Pa­ra­guai é vis­to co­mo al­ter­na­ti­va

O Diario do Norte do Parana - - ZOOM ZOOM -

No fi­nal de 2014, os em­pre­sá­ri­os do se­tor de con­fec­ção de Ma­rin­gá fi­ze­ram par­te de uma mis­são em­pre­sa­ri­al pa­ra o Pa­ra­guai, com o ob­je­ti­vo de co­nhe­cer as po­lí­ti­cas in­ter­nas e par­ti­ci­par de uma ro­da­da de ne­gó­ci­os vi­san­do possíveis par­ce­ri­as.

O co­nhe­ci­men­to da re­a­li­da­de dos tri­bu­tos e do cus­to da mão­de-obra no país vi­zi­nho abriu os olhos dos em­pre­sá­ri­os, que pas­sa­ram a ava­li­ar a aber­tu­ra de plan­tas in­dus­tri­ais ou a ter­cei­ri­za­ção da pro­du­ção no Pa­ra­guai co­mo uma al­ter­na­ti­va viá­vel pa­ra fu­gir da cri­se bra­si­lei­ra e da con­cor­rên­cia com os pro­du­tos im­por­ta­dos da China. “Sem­pre fo­mos con­tra le­var a pro­du­ção das in­dús­tri­as pa­ra ou­tros paí­ses e sa­be­mos do im­pac­to que is­to po­de acar­re­tar. Sem­pre lu­ta­mos pe­la ge­ra­ção de em­pre­go e ren­da pa­ra a nos­sa re­gião. En­tre­tan­to, os em­pre­sá­ri­os não es­tão ven­do al­ter­na­ti­va”, la­men­ta o pre­si­den­te do Sind­vest, Cás­sio Al­mei­da.

O em­pre­sá­rio Car­los Fer­raz tam­bém não des­car­ta a pos­si­bi­li­da­de de co­me­çar a in­ves­tir em ou­tro país. “Te­mos que co­me­çar a pen­sar di­fe­ren­te. O Pa­ra­guai es­tá ao la­do, a 300 quilô­me­tros. Lá, a ener­gia é mais ba­ra­ta, os en­car­gos tra­ba­lhis­tas são mais ba­ra­tos e es­ta­mos num pon­to no Bra­sil com fa­ci­li­da­des ter­ri­to­ri­ais. Se não for mais viá­vel man­ter os ní­veis de in­ves­ti­men­tos aqui, o Pa­ra­guai pas­sa sim a ser uma al­ter­na­ti­va”, afir­mou.

Se­gun­do o pre­si­den­te do Sind­vest, tu­do de­pen­de de co­mo o go­ver­no fe­de­ral vai tra­tar o se­tor pro­du­ti­vo. “Nin­guém es­tá pe­din­do fa­vor. Só que nes­te mo­men­to pre­ci­sa­mos que a de­ci­são de au­men­to na alí­quo­ta não se­ja man­ti­da.Se­as­mu­dan­ças­são­ne­ces­sá­ri­as, que se­jam fei­tas a par­tir do pró­xi­mo ano pa­ra nos pre­pa­rar­mos. Se o au­men­to vi­go­rar a par­tir de ju­nho ou ju­lho, as de­mis­sões vão ser ine­vi­tá­veis”.

Fer­raz, que atua no ata­ca­do de con­fec­ções, afir­mou que as vendas nos pró­xi­mos me­ses tam­bém de­pen­dem do frio. “Os ata­ca­dos re­gis­tra­ram re­per­cus­são ne­ga­ti­va em fe­ve­rei­ro. Em mar­ço, foi um pou­co me­lhor. Ago­ra, de­pen­de do in­ver­no che­gar pa­ra ver­mos co­mo vai fi­car a ven­da em re­la­ção aos anos an­te­ri­o­res. É no pri­mei­ro frio que va­mos sen­tir a di­fe­ren­ça.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.