O Diario do Norte do Parana - - CULTURA -

pro­gra­ma que mes­cla hu­mor es­cra­cha­do com jor­na­lis­mo bem hu­mo­ra­do.

Um des­ses ví­de­os mos­tra um ban­di­do que, após ser pre­so rou­ban­do um car­ri­nho de ca­chor­ro quentes na Ave­ni­da Ka­ko­gawa, man­da ver can­tan­do um funk eró­ti­co pa­ra o mi­cro­fo­ne do repórter. Pou­co se im­por­tan­do com a pri­são, o “ele­men­to” ain­da diz pa­ra a re­por­ta­gem que veio ao Pa­ra­ná em bus­ca das “loi­ro­nas­pa­ra­na­en­ses”.

Não me­nos hi­lá­rio e em­pla­can­do o pri­mei­ro lu­gar jun­to com o doidão do hot dog no pri­mei­ro Top Fi­ve do ano apa­re­ce aque­le que ho­je tal­vez se­ja um dos mo­ra­do­res de Ma­rin­gá mais fa­mo­sos do País: o fol­cló­ri­co Sar­gen­to Fahur, lon­dri­nen­se ra­di­ca­do na ci­da­de que, após me­ga apre­en­sões de dro­gas ge­ren­ci­a­das por ele em ope­ra­ções da Po­lí­cia Ro­do­viá­ria Es­ta­du­al, man­da re­ca­dos di­re­tos e po­lê­mi­cos pa­ra os tra­fi­can­tes.

Nes­ta úl­ti­ma in­ves­ti­da de Fahur pa­ra­as­câ­me­ras,osar­gen­toin­ti­mi­da os me­li­an­tes. Per­gun­ta­do pe­lo repórter se os tra­fi­can­tes po­de­ri­am bus­car a dro­ga apre­en­di­da, o po­li­ci­al afir­ma que sim, mas da se­guin­te ma­nei­ra: “Tem qua­tro ta­ble­tes, eu vou en­fi­ar um no na­riz, um na bo­ca e um no ou­vi­do e ou­tro na­que­le ou­tro ori­fí­cio que ele de­ve sa­ber. En­tão, a dro­ga es­tá à dis­po­si­ção de­le, é só ele ser ma­cho­de­vir­bus­car.”

Sar­gen­to Fahur fi­na­li­za o de­poi­men­to te­cen­do co­men­tá- ri­os so­bre a pro­ce­dên­cia e qua­li­da­de da dro­ga apre­en­di­da: “São qua­tro ta­ble­tes que de­vem pe­sar qua­tro qui­los e pou­co da co­caí­na pu­ra. Eu fu­rei com o ca­ni­ve­te, chei­rei a co­caí­na, co­lo­quei na mi­nha lín­gua e fi­quei cha­pa­do até com es­sa por­ca­ria, de tão for­te que é. Uma dro­ga al­ta­men­te sin­té­ti­ca e pu­ra, hein...tô cha­pa­do até ago­ra com es­sa por­ca­ria aí.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.