In­ten­ção de con­su­mo é o me­nor desde 2010

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - ///Idi­a­naTo­ma­zel­li/AE Amo­rim/Agên­ci­aEs­ta­do /// Da­ni­e­la

A in­se­gu­ran­ça das fa­mí­li­as em re­la­ção ao mer­ca­do de tra­ba­lho é o prin­ci­pal fa­tor de re­du­ção do con­su­mo nos pró­xi­mos me­ses, em­bo­ra a in­fla­ção ele­va­da e a al­ta de ju­ros tam­bém con­tri­bu­am pa­ra a mai­or cau­te­la. Com a de­te­ri­o­ra­ção em to­dos es­ses in­di­ca­do­res, a In­ten­ção de Con­su­mo das Fa­mí­li­as (ICF) caiu 6,1%, an­te fe­ve­rei­ro, atin­gin­do pe­lo se­gun­do mês con­se­cu­ti­vo o mí­ni­mo his­tó­ri­co da sé­rie, ini­ci­a­da em ja­nei­ro de 2010. Os bens du­rá­veis são os prin­ci­pais cor­tes do or­ça­men­to: qua­se me­ta­de das fa­mí­li­as acha que é um mau mo­men­to pa­ra ad­qui­rir es­se ti­po de pro­du­to, in­for­mou, on­tem, a Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal do Co­mér­cio de Bens, Ser­vi­ços e Tu­ris­mo (CNC). Di­an­te das si­na­li­za­ções das fa­mí­li­as, o qua­dro não é na­da alen­ta­dor pa­ra o co­mér­cio. “O se­tor, que era um pro­pul­sor do cres­ci­men­to, es­tá bas­tan­te ba­que­a­do”, des­ta­ca a eco­no­mis­ta da CNC, Ju­li­a­na Se­ra­pio. Os al­tos pre­ços da car­ne bo­vi­na le­va­ram a uma re­du­ção no aba­te de ga­do no País no ano pas­sa­do. O con­su­mi­dor subs­ti­tuiu o pro­du­to por fran­go e suí­nos nas re­fei­ções, se­gun­do o Ins­ti­tu­to Brasileiro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca (IBGE). Em 2014, o Bra­sil aba­teu 33,907 mi­lhões de ca­be­ças de ga­do; 1,5% abai­xo do re­cor­de his­tó­ri­co al­can­ça­do em 2013, de acor­do com as Pes­qui­sas Tri­mes­trais do Aba­te de Ani­mais, do Lei­te, do Cou­ro e da Pro­du­ção de Ovos de Ga­li­nha. A pro­du­ção foi de 8,063 mi­lhões de to­ne­la­das de car­ca­ças bo­vi­nas, no ano pas­sa­do; que­da de 1,3%, em re­la­ção ao ano an­te­ri­or. As car­nes fi­ca­ram 22,21% mais ca­ras ao con­su­mi­dor, em 2014, o que le­vou o item a exer­cer o mai­or im­pac­to so­bre a in­fla­ção ofi­ci­al no ano, me­di­da pe­lo Ín­di­ce Na­ci­o­nal de Pre­ços ao Con­su­mi­dor Am­plo (IPCA), tam­bém do IBGE. Di­an­te no cus­to mais al­to, as fa­mí­li­as au­men­ta­ram a de­man­da por car­ne suí­na e fran­go, im­pul­si­o­nan­do o aba­te des­ses ani­mais pa­ra pa­ta­ma­res re­cor­des na sé­rie his­tó­ri­ca ini­ci­a­da em 1997. Os pro­du­to­res con­ta­bi­li­za­ram 37,118 mi­lhões de suí­nos aba­ti­dos, no ano pas­sa­do; al­ta de 2,3%, em re­la­ção 2013. Já o aba­te de fran­gos che­gou a 5,496 bi­lhões de uni­da­des; avan­ço de 1,9%, no pe­río­do.

Mo­e­da fe­cha co­ta­da a R$ 3,295; al­ta de 2,49%. No mês, acu­mu­la ga­nho de 15,37%. No ano, so­be 24,11%.

On­tem, o dó­lar, ne­go­ci­a­do à vis­ta no bal­cão, ul­tra­pas­sou o pa­ta­mar dos R$ 3,30, in­flu­en­ci­a­do pe­lo for­te viés de al­ta pa­ra a mo­e­da norte-ame­ri­ca­na no ex­te­ri­or. In­ter­na­men­te, a de­man­da pe­la di­vi­sa foi es­ti­mu­la­da, prin­ci­pal­men­te, pe­la cau­te­la em meio às ten­sões po­lí­ti­cas en­tre go­ver­no e a ba­se ali­a­da no Con­gres­so e tam­bém di­an­te das in­cer­te­zas so­bre a con­ti­nui­da­de do­pro­gra­ma­deswap­cam­bi­al.

O dó­lar à vis­ta terminou a ses­são com va­lo­ri­za­ção de 2,49%, co­ta­do a R$ 3,295; mai­or pre­ço desde pri­mei­ro de abril de 2003, quan­to foi ne­go­ci­a­do a R$ 3,313. No mês, a mo­e­da acu­mu­la ga­nho de 15,37%. No ano, so­be 24,11%. No mer­ca­do fu­tu­ro, às 16h37, o dó­lar pa­ra abril va­lo­ri­za­va2,56%,co­ta­do­aR$3,307.

No fim da ma­nhã, o mo­vi­men­to de al­ta do dó­lar foi in­ten-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.