Sa­lá­ri­os vão cres­cer me­nos do que o PIB

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - ///Agên­ci­aEs­ta­do

O go­ver­no fe­de­ral abriu, on­tem, atem­po­ra­da­de­ne­go­ci­a­ções­sa­la­ri­ais com os fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos, tra­çan­do um li­mi­te cla­ro: os gas­tos com folha, me­di­dos co­mo pro­por­ção do Pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB), te­rão de cair a ca­da ano. Is­so equi­va­le a di­zer que as des­pe­sas com os ser­vi­do­res te­rão de ter um pe­so ca­da vez me­nor na­e­co­no­mi­a­bra­si­lei­ra.Tal­re­sul­ta­do po­de ser al­can­ça­do de du­as for­mas: con­ten­do a folha ou ex­pan­din­do­a­e­co­no­mia.

“Es­ta­mos nes­te mo­men­to em­pe­nha­dos pa­ra que a re­cu­pe­ra­ção (da eco­no­mia) acon­te­ça da ma­nei­ra mais rá­pi­da pos­sí­vel, por­que é o cres­ci­men­to do PIB que vai ge­rar es­pa­ço fis­cal pa­ra aten­der às di­ver­sas de­man­das so­bre or­ça­men­to pú­bli­co”, dis­se o mi­nis­tro do Pla­ne­ja­men­to,Nél­sonBar­bo­sa.

A folha sa­la­ri­al do go­ver­no, que foi de 4,3% do PIB, no ano pas­sa­do, fi­ca­rá em 4,1% do PIB, em 2015, de acor­do com o Or­ça­men­to apro­va­do pe­lo Con­gres­so Na­ci­o­nal.

Ele tam­bém adi­an­tou que o prin­ci­pal pe­di­do dos fun­ci­o­ná­ri­os pú­bli­cos, um re­a­jus­te de 27,3%, pa­ra 2016, é “in­viá­vel”, por­que ele­va­ria as des­pe­sas em mais­deum­por­cen­to­doPIB.

Pa­ra se ter uma ideia, o su­pe­rá­vit pri­má­rio (sal­do das re­cei­tas e des­pe­sas não fi­nan­cei­ras) pro­me­ti­do pa­ra o ano que vem é de 2% do PIB. Ou se­ja, o re­a­jus­te con­su­mi­ri­a­me­ta­de­da­me­ta.

O im­pac­to do au­men­to pe­di­do pe­los ser­vi­do­res se­ria da or­dem deR$40bi­lhões,se­gun­do­o­pre­si­den­te do Sin­di­ca­to Na­ci­o­nal dos Ana­lis­tas e Téc­ni­cos de Fi­nan­ças eCon­tro­le(Una­conSin­di­cal),Ru­di­nei Mar­ques. Os sin­di­ca­lis­tas con­cor­da­ram, no en­tan­to, com a pro­pos­ta do go­ver­no de ne­go­ci­ar um re­a­jus­te parcelado em dois ou três anos, co­mo tem si­do a prá­ti­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.