Em­pre­sas de­vem in­ves­tir em pro­ces­sos de ação

O Diario do Norte do Parana - - CLASSIDIÁRIO - Fer­nan­da Ber­to­la fer­nan­da@odi­a­rio.com

O cli­ma de in­cer­te­za em tor­no da eco­no­mia bra­si­lei­ra, em fun­ção do atu­al ce­ná­rio po­lí­ti­co e das me­di­das ado­ta­das pe­lo go­ver­no, tem ge­ra­do pre­vi­sões de­sa­ni­ma­do­ras pa­ra o ano. Mas pa­ra o se­tor imo­bi­liá­rio há pers­pec­ti­va de evo­lu­ção, co­mo acre­di­ta o es­pe­ci­a­lis­ta no as­sun­to Ro­sal­vo Bar­re­to, que é con­sul­tor em mar­ke­ting imo­bi­liá­rio no Bra­sil e atua na área há mais de 20 anos. Pa­ra ele, os in­ves­ti­men­tos não vão pa­rar, mas, se há al­guns anos imo­bi­liá­ri­as e cor­re­to­res ti­nham um cam­po mais fér­til em opor­tu­ni­da­des, ago­ra há es­pa­ço so­men­te pa­ra quem se adap­tar e apre­sen­tar um di­fe­ren­ci­al.

Dei­xar os con­cor­ren­tes pa­ra trás sig­ni­fi­ca in­ves­tir em ino­va­ção. Bar­re­to afir­ma que as em­pre­sas que pres­tam ser­vi­ço de ven­da e lo­ca­ção pre­ci­sam apos­tar na atu­a­li­za­ção de mé­to­dos e im­plan­ta­ção de pro­ces­sos de ação. E já exis­te uma mu­dan­ça de pos­tu­ra por par­te de al­gu­mas em­pre­sas. Um le­van­ta­men­to fei­to pe­lo con­sul­tor mos­tra que a in­ten­ção de 28% das em­pre­sas es­te ano é in­ves­tir em ges­tão do ne­gó­cio, se­gui­da de investimento em re­cur­sos hu­ma­nos, com a ad­mis­são e ca­pa­ci­ta­ção de equi­pe (22%), e pe­lo re­for­ço da mar­ca (12%), o que re­ve­la uma mu­dan­ça, já que há qua­tro anos o fo­co era o investimento no con­cei­to­de­mar­ca.

“O em­pre­sá­rio pre­ci­sa en­ten­der, pri­mei­ro, que pa­ra al­can­çar o su­ces­so é pre­ci­so tra­ba­lhar com am­bas as áre­as: lo­ca­ção e ven­da. Quem só tra­ba­lha com vendas po­de até so­bre­vi­ver, ma­seu­não­a­cre­di­to­por­que­qual­quer cri­se po­de re­pre­sen­tar pro­ble­mas.Co­ma­lo­ca­ção­e­xis­te­pre­vi­são­de­fa­tu­ra­men­to”,dizBar­re­to. Ele ex­pli­ca que o ano co­me­çou com au­men­to de ca­sos de ina­dim­plên­ci­a­e­a­tra­sos­no­pa­ga­men­to do alu­guel, e que, por es­sa ra­zão, é ne­ces­sá­rio me­lho­rar o flu­xo­de­pro­ces­sos.

In­ves­tir em for­mas de con­tro­lar co­bran­ça e vis­to­ri­as são ações que vi­sam evi­tar per­das. Ou­tro exem­plo de co­mo me­lho­rar os pro­ces­sos é men­su­rar re­tor­nos. Bar­re­to ex­pli­ca que o mai­or re­tor­no (li­ga­ções de in­te­res­sa­dos) de anún­ci­os de imó­veis pa­ra as imo­bi­liá­ri­as vem de pla­ca no imó­vel e in­ter­net, mas é pre­ci­so não dei­xar de in­ves­tir em jor­nais. Se­gun­do ele, al­guns em­pre­sá­ri­os acre­di­tam que o re­tor­no vin­do de anún­ci­os em jor­nais têm di­mi­nuí­do e aca­bam in­ves­tin­do em ou­tras áre­as. “Co­mo a em­pre­sa não tem um pro­ces­so de ava­li­a­ção de re­tor­no, não con­se­gue ter ba­se so­bre o que dá ou não re­tor­no. Jor­nais, por exem­plo,dão­re­sul­ta­do­sim”,diz.

Bar­re­to de­fen­de que nun­ca foi tão im­por­tan­te a par­ti­ci­pa­ção do do­no ou ges­tor da imo­bi­liá­ria, já que o pla­ne­ja­men­to da ges­tão é es­sen­ci­al. “Ino­var não sig­ni­fi­ca pe­gar no pé do cor­re­tor e achar que o re­sul­ta­do es­tá ali. É pre­ci­so in­ves­tir­no­pro­ces­so,odo­no­as­su­mi­ra­ges­tão­da­em­pre­sa.”

Me­lho­rar pro­ces­sos e ali­nhar ações de mar­ke­ting e pro­pa­gan­da com ações de aproximação do cli­en­te con­fe­rem à em­pre­sa mais for­ça. Pa­ra ele, não se de­ve dei­xar de in­ves­tir em di­vul­ga­ção es­tra­té­gi­ca.

O mes­mo va­le pa­ra o investimento em mo­ti­va­ção da equi­pe. Um time en­tro­sa­do tem mais po­ten­ci­al pa­ra con­quis­tar no­vos cli­en­tes e fi­de­li­zar os que já exis­tem. “Ges­tor de­ve apri­mo- rar seus co­nhe­ci­men­tos, bus­car in­for­ma­ções, fa­zer cur­sos e ofe­re­cer tais re­cur­sos à equi­pe tam­bém. Há es­pa­ço no mer­ca­do pa­ra que­mé­com­pe­ten­te.”

Cor­re­to­res

Foi apro­va­da no iní­cio do ano uma lei que per­mi­te ao cor­re­tor se as­so­ci­ar à imo­bi­liá­ria sem que se­ja con­fi­gu­ra­do vín­cu­lo em­pre­ga­tí­cio. A lei cri­ou a fi­gu- ra do cor­re­tor de imó­veis as­so­ci­a­do. O con­tra­to de­ve ser re­gis­tra­do no Con­se­lho Re­gi­o­nal de Cor­re­to­res de Imó­veis lo­cal. Bar­re­to acre­di­ta que a le­gis­la­ção po­de tra­zer be­ne­fí­ci­os pa­ra am­bos os la­dos, por­que há ga­nhos de co­mis­são, mas exi­gi­rá que o cor­re­tor se des­ta­que, o que obri­ga o pro­fis­si­o­nal a bus­car co­nhe­ci­men­to pa­ra apri­mo­rar as téc­ni­cas. Con­sul­tor pre­mi­a­do em mar­ke­ting imo­bi­liá­rio no Bra­sil, Ro­sal­vo Bar­re­to es­ta­rá sex­ta-fei­ra, em Ma­rin­gá, pa­ra mi­nis­trar o cur­so Ge­rên­cia Imo­bi­liá­ria. O con­teú­do pro­gra­má­ti­co in­clui: co­mo ino­var en­fren­tan­do no­vas di­fi­cul­da­des atra­vés de no­vas es­tra­té­gi­as, fi­gu­ra do ge­ren­te co­mo lí­der, ge­ren­te atu­an­do co­mo ele­men­to trei­na­dor da equi­pe, im­por­tân­cia de se en­vol­ver pes­so­al­men­te e co­nhe­cer o cam­po de atu­a­ção, tra­ba­lhan­do em fun­ção do lu­cro, co­mo cri­ar con­tro­les efi­ci­en­tes, pro­pi­ci­an­do que seus cor­re­to­res atu­em de ma­nei­ra mais ágil e co­mo im­plan­tar pro­ces­sos de trei­na­men­to que re­sol­vam as ne­ces­si­da­des de sua imo­bi­liá­ria.

O cur­so se­rá re­a­li­za­do no Bris­tol Me­tró­po­le Hotel, a par­tir das 8h30. A car­ga ho­rá­ria se­rá de 10 ho­ras. Mais in­for­ma­ções so­bre o cur­so e ins­cri­ções no si­te ww.ro­sal­vo­bar­re­to.com.br. ///Fer­nan­daBer­to­la

— FO­TO: DI­VUL­GA­ÇÃO

PERS­PEC­TI­VA. “O mer­ca­do pro­me­te um bom cres­ci­men­to pa­ra quem sou­ber se adap­tar”, diz Bar­re­to.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.