Co­mo nun­ca do­mei um ca­va­lo

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - ///Ale­san­dreGai­o­to

Nun­ca con­se­gui do­mar um ca­va­lo. Fal­ta­vam-me co­ra­gem pa­ra en­ca­rar o bi­cho nos olhos e sa­pi­ên­cia equi­na pa­ra acei­tá-lo nos om­bros. Nu­ma ma­nhã, aos 14 anos, acor­dei de­ci­di­do: mi­nhas cos­tas tre­mi­am, eu es­ta­va pá­li­do. Tra­zia nas mãos a mon­ta­ria, a cor­da e, na ca­be­ça, um ro­tei­ro com as me­lho­res cer­ca­ni­as.Lan­cei­a­cor­da-no­meu­pei­to­ga­lo­pa­vam,furiosos, os três Cor­céis de Fo­go -, fe­chei os olhos e de­sis­ti pa­ra sem­pre. Te­nho 27 anos e, ho­je, meus ca­va­los têm ou­tros coi­ces, ain­da mais vi­o­len­tos.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.