Kim Ar­chet­ti, ago­ra nos ci­ne­mas

O Diario do Norte do Parana - - CULTURA - Wi­la­me Pra­do wi­la­me@odi­a­rio.com

Hu­mo­ris­ta ma­rin­ga­en­se es­tá no fil­me “En­tre Abe­lhas”, es­tre­la­do por Fá­bio Por­chat e que es­treia em abril Pres­tes a lan­çar um DVD, Kim con­ti­nua, to­das as ter­ças, com o pro­je­to Kim­ki­lha­ria de stand up co­medy

O ator e hu­mo­ris­ta ma­rin­ga­en­se Kim Ar­chet­ti, 31 anos, po­de ser vis­to to­das as ter­ças-fei­ras (in­clu­si­ve ho­je) na Éden Be­er Chop­pe­ria, fa­zen­do stand up co­medy pe­lo pro­je­to Kim­ki­lha­ria. A par­tir do mês que vem, a pro­je­ção ex­tra­po­la fron­tei­ras e se tor­na na­ci­o­nal por meio do ci­ne­ma. Ele fa­rá uma pon­ta no fil­me “En­tre Abe­lhas”, di­ri­gi­do por Ian SBF e es­tre­la­do por nin­guém me­nos que Fá­bio Por­chat. O fil­me es­treia em to­do o País dia 23 de abril.

“O Fá­bio (Por­chat) é meu ami­go há 13 anos e, sem­pre que po­de, me cha­ma pa­ra par­ti­ci- par dos seus pro­je­tos. E eu, lo­gi­ca­men­te, fico mui­to hon­ra­do e fe­liz”, diz Kim, que tam­bém já re­tri­buiu a con­fi­an­ça tra­zen­do um dos gran­des no­mes do hu­mor brasileiro pa­ra se apre­sen­tar em Ma­rin­gá pe­lo Kim­ki­lha­ria.

De Re­ci­fe, on­de en­cer­ra­va um gran­de even­to di­re­ci­o­na­do ao pú­bli­co uni­ver­si­tá­rio com a sua pa­les­tra “Os 4 se­gre­dos pa­ra ven­cer o me­do de fa­lar em pú­bli­co e se tor­nar um co­mu­ni­ca­dor nin­ja”, Kim con­ce­deu en­tre­vis­ta e fa­lou so­bre os pro­je­tos fu­tu­ros e ain­da os de­sa­fi­os pa­ra se fa­zer rir. Leia a se­guir.

ODIÁRIOCo­mo­es­tá sen­do­es­ta­tem­po­ra­da­do Kim­ki­lha­ria?

Es­tá sen­do in­crí­vel. Nós ti­ve­mos, nas du­as pri­mei­ras se­ma­nas, o pú­bli­co es­ti­ma­do pa­ra to­da a tem­po­ra­da.

Te­ma­pos­ta­do­em­que­ti­po­de hu­mor?

Os­tan­dup­co­medy­fa­la­do­sas­sun­tos co­ti­di­a­nos, aque­las si­tu­a­ções pe­las quais que to­dos nós pas­sa­mos. Re­la­ci­o­na­men­to, fil­mes de ter­ror, vi­a­gens. Fa­la de mui­tas coi­sas da vi­da do ma­rin­ga­en­se, co­mo exem­plo o fa­to de não im­por­tar se es­tá bom ou ruim, di­zen­do que es­tá sem­pre “pi­o­o­or”. A no­vi­da­de nes­sa tem­po­ra­da­são­as­pi­a­das­co­ma­tu­a­li­da­des: to­da se­ma­na fa­ço pi­a­das com o que acon­te­ceu de mar­can­te, in­do desde o La­va Ja­to até a a ida da Xu­xa­pa­ra­aRe­cord.

Por­que­fa­zer­sor­rir?

Por­que sor­rir é a me­lhor coi­sa do mundo! Co­mo di­ria mi­nha avó, ‘de­so­pi­la­o­fí­ga­do’(ri­sos).

Qu­a­lo co­me­di­an­tes?

mai­or­de­sa­fi­o­dos Li­dar com a di­ver­si­da­de cul­tu­ral. Às ve­zes uma piada é óti­ma pa­ra pú­bli­co, mas pa­ra ou­tro não faz sen­ti­do.

Qu­an­do­a­pla­tei­a­não­ri,oque fa­zer?

Brin­car com is­so. Se não te­ve gra­ça, as­su­ma e brin­que. As pes­so­as ado­ram er­ros, mui­tas ve­zes são­mai­sen­gra­ça­dos­do­que­as­pi­a­das.

Qu­an­do­des­co­briu­o­dom­de fa­zer­rir?

Atra­vés­doFá­bi­oPor­chat,acom­pa­nhei o iní­cio do stand up co­medy­noB­ra­si­la­tra­vés­do Co­mé­dia em Pé, e ele me cha­mou pa­ra fa­zer o cur­so de­le. Fiz, gos­tei e agra­de­ço­a­tého­je­po­ris­so.

Qu­ais­são­seus­gran­des mes­tres?

Fá­bio Por­chat, Pau­lo Gustavo, Ta­tá Wer­neck, Jer­ry Sei­fi­eld, en­tre­ou­tros.

Qu­ais­seus­so­nhos­com hu­mor?

Trans­for­mar a vi­da das pes­so­as atra­vés des­se po­de­ro­so me­ca­nis­mo­de­co­mu­ni­ca­ção,queéos­tand up co­medy. Chi­co Any­sio, o mes­tre, di­zia que o hu­mor é até en­gra­ça­do. Ou se­ja, o po­der do hu­mor vai­mui­to­a­lém­do­fa­zer­rir.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.