Dó­lar mais ca­ro faz brasileiro re­du­zir gas­tos no ex­te­ri­or

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Mu­ri­lo Ro­dri­gues Al­ves e Vic­tor Mar­tins

No pri­mei­ro bi­mes­tre, des­pe­sas so­mam US$ 3,7 bi; em 2014, fo­ram US$ 4 bi Ban­co Cen­tral re­duz pa­ra US$ 80 bi es­ti­ma­ti­va de dé­fi­cit com o es­tran­gei­ro

Com o dó­lar mais ca­ro, os bra­si­lei­ros gas­ta­ram no ex­te­ri­or US$ 3,7 bi­lhões, no pri­mei­ro bi­mes­tre des­te ano, qua­se 9% a me­nos do que nos dois pri­mei­ros me­ses de 2014, de acor­do com o Ban­co Cen­tral (BC). A ta­xa de câm­bio é de­ci­si­va, por­que de­ter­mi­na as con­tas que as pes­so­as fa­zem quan­do de­ci­dem vi­a­jar pa­ra o ex­te­ri­or.

O freio nos gas­tos dos bra­si­lei­ros fez com que o item vi­a­gens fe­chas­se o pri­mei­ro bi­mes­tre com sal­do ne­ga­ti­vo de US$ 2,6 bi­lhões, an­te US$ 2,8 bi­lhões dos dois pri­mei­ros me­ses do ano pas­sa­do. Pa­ra o che­fe-ad­jun­to do De­par­ta­men­to Econô­mi­co do BC, Fer­nan­do Ro­cha, é uma ten­dên­cia que de­ve se man­ter pe­lo me­nos nes­te mês. Até o dia 20, o dé­fi­cit no item vi­a­gens (que le­va tam­bém em con­ta o que os tu­ris­tas es­tran­gei­ros gas­tam no Bra­sil) era de US$ 731 mi­lhões.

O BC re­du­ziu a pro­je­ção de sal­do ne­ga­ti­vo des­sa con­ta nes­se ano de US$ 18,5 bi­lhões pa­ra US$ 17,5 bi­lhões. Pa­ra a au­to­ri­da­de mo­ne­tá­ria, a si­na­li­za­ção da­da pe­la con­ta de vi­a­gens in­ter­na­ci­o­nais é com­pa­tí­vel com a pers­pec­ti­va de re­du­ção do dé­fi­cit em con­ta cor­ren­te nes­te ano, na­com­pa­ra­ção­com2014.

Mais da me­ta­de das des­pe­sas com vi­a­gens é de gas­tos no car­tão de cré­di­to, o que in­clui com­pras pe­la in­ter­net. O res­tan­te é com­pos­to por gas­tos de tu­ris­tas que não en­vol­vem car­tão e des­pe­sas de fun­ci­o­ná­ri­os de em­pre­sas­pri­va­da­se­do­go­ver­no­em­vi­a­gem,en­tre­ou­tros.

Rom­bo

Com o dó­lar mais ca­ro e a de­sa­ce­le­ra­ção da eco­no­mia, o Ban­co Cen­tral re­vi­sou a pro­je­ção de rom­bo nas tran­sa­ções de bens e ser­vi­ços do Bra­sil com o ex­te­ri­or es­te ano. A au­to­ri­da­de mo­ne­tá­ria di­mi­nuiu a es­ti­ma­ti­va de sal­do ne­ga­ti­vo nas tran­sa­ções cor­ren­tes nes­te ano em US$ 3 bi­lhões. Pa­ra o BC, es­se ce­ná­rio con­tri­bui­rá pa­ra re­du­zir o dé­fi­cit brasileiro de US$ 91,3 bi­lhões, re­gis­tra­dos, em 2014, pa­ra US$ 80,5 bi­lhões. em 2015.

As­sim co­mo ocor­re desde 2012, o dé­fi­cit nas tran­sa­ções cor­ren­tes do País não de­ve ser to­tal­men­te fi­nan­ci­a­do pe­la en­tra­da de investimento es­tran­gei­ro di­re­to. O BC man­te­ve a pro­je­ção de in­gres­so de IED em US$ 65 bi­lhões.

Em fe­ve­rei­ro, o rom­bo nas con­tas ex­ter­nas fe­chou em US$ 89,9 bi­lhões, na lei­tu­ra em 12 me­ses, o equi­va­len­te a 4,22% do Pro­du­to In­ter­no Bru­to (PIB). Já os in­gres­sos lí­qui­dos de IED so­ma­ram US$ 60,1 bi­lhões - 2,82% doPIB,no­mes­mo­pe­río­do.

Os dois prin­ci­pais des­ta­ques pa­ra a re­vi­são na pro­je­ção de dé­fi­cit nas con­tas ex­ter­nas, se­gun­do o BC, são a que­da das re­mes­sas de lu­cros e di­vi­den­dos e das des­pe­sas com alu­guel de equi­pa­men­tos.

Fer­nan­do Ro­cha afir­mou que o câm­bio e a de­sa­ce­le­ra­ção da ati­vi­da­de econô­mi­ca fo­ram res­pon­sá­veis pe­la que­da no en­vio de lu­cros no pri­mei­ro bi­mes­tre des­te ano em 36,3%. Pa­ra o acu­mu­la­do­do­a­no,aau­to­ri­da­de­mo­ne­tá­ria re­du­ziu a pro­je­ção de en­vio de lu­cros de US$ 26,5 bi- lhões­pa­raUS$24,5bi­lhões.

Além de re­fle­tir o rit­mo bem mais­fra­co­de­cres­ci­men­to­e­conô­mi­co, que faz com que as com­pa­nhi­as lu­crem me­nos, o re­cuo da re­mes­sa de lu­cros é con­sequên­cia da des­va­lo­ri­za­ção do re­al. O dó­lar mais ca­ro de­ses­ti­mu­la as em­pre­sas mul­ti­na­ci­o­nais a ti­rar di­nhei­ro do País, já que seus re­sul­ta­dos­são­a­pu­ra­do­sem­re­ais.

—FO­TO: ARQUIVO/DNP

ES­CA­LA­DA. A co­ta­ção em al­ta en­ca­re­ce pas­sa­gens, ho­téis e gas­tos com car­tões.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.