Se­gre­do qua­se des­co­ber­to

O Diario do Norte do Parana - - CULTURA -

Co­mo ele des­co­briu as pis­tas, is­so eu te­nho que in­ves­ti­gar. Só pos­so as­se­gu­rar, ago­ra que o ca­so co­me­çou a se tor­nar pú­bli­co, que fi­quei en­tre sur­pre­so e ir­ri­ta­do. Va­le di­zer, ir­ri­ta­do não com a per­gun­ta, mas com o fa­to de a in­for­ma­ção ter va­za­do. Além de ser um fa­to co­nhe­ci­do por pou­cas pes­so­as, ca­da uma de­las sa­bia ape­nas um frag­men­to, um an­ti­go mé­to­do de se­gu­ran­ça uti­li­za­do por or­ga­ni­za­ções ra­di­cais clan­des­ti­nas. Mes­mo se al­guém qui­ses­se abrir o bi­co, por in­dis­cri­ção ou por efei­to de tor­tu­ra, não po­de­ria di­zer o es­sen­ci­al. Is­so eu apren­di em um ma­nu­al dos re­vo­lu­ci­o­ná­ri­os do an­ti­go império rus­so, ela­bo­ra­do di­re­ta­men­te por Le­nin. De­pois o mé­to­do foi in­cor­po­ra­do por re­vo­lu­ci­o­ná­ri­os de to­do o mundo. O pro­ble­ma é que as for­ças da or­dem sa­bi­am que os ra­di­cais de es­quer­da usa­vam es­se es­tra­ta­ge­ma e tal­vez ti­ves­sem de­sen­vol­vi­do um an­tí­do­to pa­ra co­lar os frag­men­tos. Só que a per­gun­ta ha­via si­do fei­ta por al­guém apa­ren­te­men­te dis­tan­te des­ses apa­ra­tos de se­gu­ran­ça po­lí­ti­ca, o jor­na­lis­ta Ale­xan­dre Gai­o­to. O pi­or é que ele me in­da­gou com cer­ta ino­cên­cia, co­mo se es­ti­ves­se ape­nas in­te­res­sa­do em ob­ter in­for­ma­ções so­bre um even­to cul­tu- ral, ain­da que clan­des­ti­no: um show do João Gil­ber­to em Ma­rin­gá. Es­cre­vi “apa­ren­te­men­te” por­que Ale­xan­dre Gai­o­to po­de­ria ser um agen­te ca­mu­fla­do, re­pre­sen­tan­do o pa­pel do jor­na­lis­ta in­te­res­sa­do em cul­tu­ra e bo­e­mia. Por in­tui­ção ou por de­ter in­for­ma­ções pri­vi­le­gi­a­das, ele ha­via se apro­xi­ma­do das pes­so­as cer­tas: Ade­mir De­mar­chi, Iva­na Ve­ral­do e Os­car Na­ka­sa­to. Era a me­ta­de do nos­so bu­re­au cul­tu­ral. Se­ria ele uma es­pé­cie de Ra­mon Mer­ca­der, o agen­te que li­qui­dou Trotsky? Não da­va pa­ra con­fi­ar. No mí­ni­mo, a abor­da­gem era si­nal de que a in­for­ma­ção, ain­da que in­di­ciá­ria e frag­men­ta­da, ti­nha cir­cu­la­do. Jor­na­lis­ta ou agen­te du­plo, Gai­o­to é co­nhe­ci­do por de­ci­frar os fi­os de Ari­ad­ne. Quan­do ele me te­le­fo­nou, não con­se­gui man­ter a fleu­ma. Em vez de dis­si­mu­lar, con­si­de­rei mais efi­ci­en­te lhe mos­trar, em tom in­ti­mi­da­dor, que ele de­ve­ria pa­rar as coi­sas ali mes­mo. Mas ele, de­sa­fi­a­dor ou im­pru­den­te, per­sis­tiu. Ade­mir e Iva­na tam­bém usa­ram o tom ame­a­ça­dor. Co­mo ele não de­sis­tiu, Os­car, pa­ra ga­nhar tem­po, com­bi­nou a in­ti­mi­da­ção com um tru­que que cos­tu­ma se­du­zir os es­cri­to­res: dis­se que iria re­ve­lar tu­do em um li­vro. Não sei se por an­si­e­da­de ou por se­gu­ran­ça, Gai­o­to re­sol­veu abrir o jo­go com os lei­to­res de O Diá­rio, em um con­to que re­per­cu­tiu ins­tan­ta­ne­a­men­te. Ima­gi­no que al­guns lei­to­res te­nham pen­sa­do que se tra­ta­va ape­nas de uma brin­ca­dei­ra literária, en­vol­ven­do ami­gos de bo­e­mia cul­tu­ral. Sei, po­rém, que ou­tros lei­to­res, mais aten­tos, ten­ta­ram de­ci­frar a men­sa­gem ocul­ta. O even­to acon­te­ceu há mui­to tem­po. Nos­sa or­ga­ni­za­ção clan­des­ti­na, frá­gil em seu épo­ca, de­fi­nhou até de­sa­pa­re­cer, jun­ta­men­te com os so­nhos que a mo­vi­am. Res­ta­ram os la­ços de ami­za­de, lem­bran­ças con­tra­di­tó­ri­as de um pe­río­do tão con­tur­ba­do e se­gre­dos que não po­dem ser re­ve­la­dos nem des­co­ber­tos. Tal­vez o nos­so show do João Gil­ber­to fos­se uma se­nha pa­ra fa­zer re­fe­rên­cia a uma reu­nião com al­gum pres­ti­gi­a­do lí­der re­vo­lu­ci­o­ná­rio. Tal­vez fos­se a len­dá­ria vi­si­ta de Er­nes­to Che Gu­e­va­ra a Ma­rin­gá, se­di­a­da no Hotel Ber­lim. Tal­vez João Gil­ber­to fos­se nos­so lí­der e, em vez de bos­sa no­va, te­nha can­ta­do rock pauleira, acom­pa­nha­do pe­lo pes­so­al do Ma­de in Brazil, en­sai­an­do uma vi­ra­da, nun­ca con­su­ma­da, em seu es­ti­lo. Se de­pen­der de mim, Gai­o­to nun­ca sa­be­rá a ver­da­de.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.