Avião que caiu nos Al­pes le­va­va pas­sa­gei­ros de 15 na­ci­o­na­li­da­des

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Da Re­da­ção, com Agên­ci­as

As ví­ti­mas do aci­den­te de an­te­on­tem com o Air­bus A320, da com­pa­nhia Germanwings, que de­co­lou de Bar­ce­lo­na, na Es­pa­nha, com des­ti­no a Düs­sel­dorf, na Ale­ma­nha, são ori­gi­ná­ri­as de 15 paí­ses, in­for­ma­ram, on­tem, as au­to­ri­da­des fran­ce­sas. A mai­o­ria é de na­ci­o­na­li­da­de es­pa­nho­la­e­a­le­mã.

O go­ver­no es­pa­nhol anun­ci­ou que do to­tal de 150 mor­tos, pe­lo me­nos 49 são es­pa­nhóis e já fo­ram iden­ti­fi­ca­dos, lem­bran­do que se tra­ta de um nú­me­ro pro­vi­só­rio. A em­pre­sa aé­rea, no en­tan­to, anun­ci­ou que 35 mor­tos são­es­pa­nhói­se72,ale­mães.

Além des­sas du­as na­ci­o­na­li­da­des, o avião le­va­va pas­sa­gei­ros da Ar­gen­ti­na, Aus­trá­lia, Bél­gi­ca, Colôm­bia, Di­na­mar­ca, Es­ta­dos Unidos, Grã-Bre­ta­nha, Irã, Is­ra­el, Ja­pão, Mar­ro­cos, Mé­xi­co, Ve­ne­zu­e­la­eHo­lan­da.

A lis­ta fi­nal adi­an­tou o chan­ce­ler, Lau­rent Fa­bius, “ain­da não es­tá fi­na­li­za­da, por cau­sa de pro­ce­di­men­tos aé­re­os”. Ele ex­pli­cou que, ge­ral­men­te, é o Es­ta­do de par­ti­da da com­pa­nhia aé­rea que de­ve for­ne­cer os da­dos, mas a si­tu­a­ção tor­nou-se mais com­ple­xa, por­que a em­pre­sa é ale­mã e fa­zia um voo com ori­gem na Es­pa­nha, com o aci­den­te ocor­ren­do em ter­ri­tó­rio fran­cês.

On­tem pe­la ma­nhã, as equi­pes de res­ga­te em ter­ra re­to­ma­ram as bus­cas pe­los res­tos da ae­ro­na­ve. O pon­to de par­ti­da é Sey­ne-les-Al­pes, a pou­cos quilô­me­tros do lu­gar do aci­den­te, on­de se con­cen­tra o tra­ba­lho e as au­to­ri­da­des fran­ce­sas mon­ta­ram um lo­cal pa­ra aco­lher os pa­ren­tes das ví­ti­mas que quei­ram se des­lo­car até lá.

Cai­xa-pre­ta

On­tem, o Es­cri­tó­rio de In­ves­ti­ga­ção e Aná­li­se pa­ra a Se­gu­ran­ça da Avi­a­ção Ci­vil (BEA, na si­gla em fran­cês), re­ve­lou que con­se­guiu ex­trair, com su­ces­so, as gra­va­ções da ca­bi­ne que es­ta­vam con­ti­das em uma das cai­xas-pre­tas do Air­bus. A úl­ti­ma men­sa­gem pa­ra o con­tro­le de trá­fe­go aé­reo era ro­ti­nei­ra, de acor­do com a BEA.Um mi­nu­to de­pois, a ae­ro­na­ve co­me­çou a des­ci­da, que re­sul­tou no im­pac­to com o so­lo, nos Al­pes franceses.

O equi­pa­men­to, en­con­tra­do an­te­on­tem, lo­go após o aci­den­te, re­gis­tra vo­zes e sons do cock- pit e per­mi­te es­cu­tar as con­ver­sas,além­de­to­do­sos­son­se­a­nún­ci­os ou­vi­dos na ca­bi­ne do pi­lo­to, in­cluin­do alar­mes que even­tu­al­men­te po­dem so­ar. Os in­ves­ti- ga­do­res, no en­tan­to, ain­da “não têm a me­nor ex­pli­ca­ção”, so­bre as­cau­sas­da­tra­gé­dia.Uma­cer­te­za, po­rém, há. Es­tá des­car­ta­da a hi­pó­te­se­de­ex­plo­são­no­ar.

—FO­TO: AP

RE­CU­PE­RA­DA. As in­for­ma­ções ini­ci­ais ex­traí­das da cai­xa-pre­ta des­car­tam a hi­pó­te­se de ex­plo­são no ar.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.