Cres­ce o nú­me­ro de fa­mí­li­as en­di­vi­da­das

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Idi­a­na To­ma­zel­li Agên­cia Es­ta­do

Nes­te mês, in­di­ca­dor atin­giu 59,6%, con­tra 57,8%, em fe­ve­rei­ro. Des­pe­sas extras do co­me­ço do ano fo­ram as prin­ci­pais res­pon­sá­veis.

Os gas­tos extras de iní­cio de ano pro­vo­ca­ram o au­men­to do por­cen­tu­al de fa­mí­li­as en­di­vi­da­das nes­te mês. O in­di­ca­dor atin­giu 59,6%, em mar­ço, con­tra 57,8% em fe­ve­rei­ro, in­for­mou, on­tem, a Con­fe­de­ra­ção Na­ci­o­nal do Co­mér­cio de Bens, Ser­vi­ços e Tu­ris­mo (CNC). Ain­da as­sim, a cau­te­la das fa­mí­li­as e o re­ceio an­te a de­sa­ce­le­ra­ção do mer­ca­do de tra­ba­lho têm fei­to o ní­vel de en­di­vi­da­men­to cair em re­la­ção há um ano. O ín­di­ce era de 61% em mar­ço­de2014.

“O au­men­to na com­pa­ra­ção men­sal já era es­pe­ra­do. Há mui­tos gas­tos extras que in­ci­dem nes­se pe­río­do e que afe­tam en­di­vi­da­men­to e ina­dim­plên­cia”, dis­se a eco­no­mis­ta da CNC Ma­ri­an­ne Han­son. Ele ci­ta o pa­ga­men­to de im­pos­tos co­mo o Pre­di­al e Ter­ri­to­ri­al Ur­ba­no (IPTU) e o so­bre a Pro­pri­e­da­de de Veí­cu­los Au­to­mo­to­res; e as des­pe­sas com­ma­te­ri­a­les­co­lar.

Já a que­da anu­al é atri­buí­da pe­la es­pe­ci­a­lis­ta ao ar­re­fe­ci­men­to no rit­mo de cres­ci­men­to do­cré­di­to­pa­ra­o­con­su­mo.

“O cré­di­to ten­de a fi­car ca­da vez mais ca­ro, por cau­sa do au­men­to do cus­to de cap­ta­ção dos ban­cos e do spre­ad mais al­to. O con­su­mo es­tá mais mo­de­ra­do. O con­su­mi­dor es­tá pre­o­cu­pa­do com ru­mos da eco­no­mia, do cré­di­to, do em­pre­go e da ren­da. Com is­so, não es­pe­ra­mos al­tas ex­pres­si­vas do en­di­vi­da­men­to nos pró­xi­mos me­ses”, dis­se Ma­ri­an­ne.

O ce­ná­rio fu­tu­ro, con­tu­do, vai de­pen­der da di­nâ­mi­ca do mer­ca­do de tra­ba­lho. Em­bo­ra a ta­xa de de­sem­pre­go per­ma­ne­ça em ní­veis bai­xos, his­to­ri­ca­men­te, os con­su­mi­do­res já per­ce­bem de­sa­que­ci­men­to. Ho­je, o Ins­ti­tu­to Brasileiro de Ge­o­gra­fia e Es­ta­tís­ti­ca (IBGE) anun­ci­ou que a ta­xa de de­sem­pre­go fi­cou em 5,9%, no mês pas­sa­do, a mai­or des­de­ju­nho­de2013.

“His­to­ri­ca­men­te, exis­te cor­re­la­ção en­tre de­sem­pre­go e ina­dim­plên­cia. Sem tra­ba­lhar, as pes­so­as não con­se­guem hon­rar os com­pro­mis­sos”, des­ta­cou Ma­ri­an­ne.

Nes­te mês, a pro­por­ção de fa­mí­li­as com dí­vi­das ou con­tas em atra­so tam­bém au­men­tou na com­pa­ra­ção men­sal, pas­san­do de 17,5% pa­ra 17,9%. En­tre­tan­to, hou­ve que­da em re­la­ção a mar­ço do ano pas­sa­do, quan­do o in­di­ca­do­ral­can­çou20,8%.

O per­fil do en­di­vi­da­men­to das fa­mí­li­as ain­da é fa­vo­rá­vel, afir­mou a es­pe­ci­a­lis­ta, mas ela aler­tou que a con­jun­tu­ra econô­mi­ca po­de pro­vo­car o au­men­to da pro­cu­ra por cré­di­to emer­gen­ci­al - es­pe­ci­al­men­te che­que es­pe­ci­al e car­tão de cré­di­to -, ge­ral­men­te com li­mi­tes pré-apro­va­dos. Nes­te mês, em fun­ção do au­men­to dos ju­ros, a par­ce­la mé­dia da ren­da com­pro­me­ti­da com dí­vi­das tam­bém au­men­tou pa­ra29,7%.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.