A par­tir de se­gun­da, gás de co­zi­nha te­rá au­men­to aci­ma de qua­tro re­ais

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Van­da Mu­nhoz van­da@odi­a­rio.com

A par­tir da pró­xi­ma quar­ta­fei­ra, o Gás Li­que­fei­to de Pe­tró­leo (GLP), usa­do na co­zi­nha, so­fre­rá re­a­jus­te de pre­ço. A al­ta é re­sul­ta­do da mu­dan­ça na alí­quo­ta do Im­pos­to so­bre Cir­cu­la­ção de Mer­ca­do­ri­as e Ser­vi­ços (ICMS) dos atu­ais 12% pa­ra 18%. A me­di­da re­pre­sen­ta­rá em um au­men­to de mais de qua­tro re­ais, no bo­ti­jão de 13 qui­los. Os cál­cu­los são dos sin­di­ca­tos Na­ci­o­nal das Dis­tri­bui­do­ras de GLP (Sin­di­gás) e das Em­pre­sas de Ata­ca­do e Va­re­jo de GLP de Ma­rin­gá e Re­gião (Si­ne­gás) e le­vam em con­si­de­ra­ção tam­bém a ma­jo­ra­ção nos cus­tos com­trans­por­te­e­com­bus­tí­veis.

Em Ma­rin­gá, se­gun­do a Agên­cia Na­ci­o­nal do Pe­tró­leo (ANP), o pro­du­to é co­mer­ci­a­li­za­do a R$ 53,75, em mé­dia. Na prá­ti­ca, um bo­ti­jão cus­ta en­tre R$ 50 e R$ 58. Um acrés­ci­mo de, pe­lo me­nos, qua­tro re­ais co­lo­ca­rá o pre­ço en­treR$54eR$62.

“Além da co­bran­ça da no­va alí­quo­ta do Im­pos­to so­bre Cir­cu­la­ção de Mer­ca­do­ri­as e Ser­vi­ços (ICMS), se­rá re­pas­sa­do pa­ra o con­su­mi­dor o re­a­jus­te dos com­bus­tí­veis”, diz San­dra Ruiz, pre­si­den­te do Si­ne­gás. O va­lor exa­to, no en­tan­to, só se­rá de­fi­ni­do­na­se­gun­da-fei­ra.

No Bra­sil, ape­nas Mi­nas Ge­rais tem alí­quo­ta de 18%. Nos ou­tros Es­ta­dos, o im­pos­to va­ria de 12% a 17%. Ar­gu­men­tan­do que o pro­du­to é de pri­mei­ra ne­ces­si- da­de, o Sin­di­gás rei­vin­di­ca uma au­di­ên­cia com o se­cre­tá­rio de Fa­zen­da do Pa­ra­ná pa­ra tra­tar do­as­sun­to.

“Não qu­e­re­mos cri­ar ‘cli­ma’ com o go­ver­no, mas cha­mar a aten­ção so­bre o fa­to de que es­se au­men­to do im­pos­to vai atin­gir, prin­ci­pal­men­te, as clas­ses de me­nor po­der aqui­si­ti­vo”, ar­gu­men­ta o pre­si­den­te do Sin­di­gás,Sér­gi­oBan­dei­ra­deMe­lo.

Em­pre­sas tam­bém te­rão im­pac­to. “A mai­o­ria das pa­ni­fi­ca­do­ras usam for­nos e fo­gões à gás”, des­ta­ca Vil­son Fe­li­pe Borg­nann, pre­si­den­te do Sin­di­ca­to da In­dús­tria de Pa­ni­fi­ca­ção e Con­fei­ta­ri­as do Es­ta­do do Pa­ra­ná (Sip­cep).

Re­per­cus­são

Os con­su­mi­do­res re­si­den­ci­ais cri­ti­cam o au­men­to do pre­ço. “É um ab­sur­do. Se to­dos es­tão ga­nhan­do com o gás, ago­ra, com o au­men­to, vão ga­nhar mais ain­da. O go­ver­no es­tá sen­do in­jus­to e er­ra­do”, de­cla­ra a autô­no­ma Dul­ce Ma­ria de Andrade. Na ava­li­a­ção de­la, os mais pre­ju­di­ca­dos se­rão a par­ce­la mais hu­mil­de­da­po­pu­la­ção.

A do­na de ca­sa Ra­quel Car­va­lho Gomes tam­bém con­si­de­ra um ab­sur­do. “Já pa­guei mais ca­ro quan­do te­ve a gre­ve de ca­mi­nho­nei­ros, foi mais de R$ 60. To­dos que uti­li­zam o pro­du­to se­rão atin­gi­dos”, res­sal­ta.

A Se­cre­ta­ria de Fa­zen­da do Pa­ra­ná diz, por meio da As­ses­so­ria de Im­pren­sa, que, no Es­ta­do não foi ape­nas o gás que te­ve as alí­quo­tas re­a­jus­ta­da, mas 95 mil itens de di­ver­sas áre­as. “No ca­so do Pa­ra­ná, o ajus­te na alí­quo­ta de 12% pa­ra 18%, que es­tá den­tro da mé­dia na­ci­o­nal, é pre­vis­to em lei apro­va­da pe­la As­sem- bleia em de­zem­bro de 2014”, diz em no­ta en­vi­a­da à Re­da­ção. A as­ses­so­ria diz que não tem in­for­ma­ções so­bre pe­di­do de reu­nião do Sin­di­gás.

—FO­TO: RI­CAR­DO LO­PES

VA­LOR. Com a mu­dan­ça na alí­quo­ta do ICMS de 12% pa­ra 18%, bo­ti­jão de 13 qui­los vai cus­tar de R$ 54 a R$ 62.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.