Ven­da com ‘con­tra­to de ga­ve­ta’ é ar­ris­ca­da

O Diario do Norte do Parana - - CLASSIDIÁRIO - Hair­ton Ponciano Agên­cia Es­ta­do

A prá­ti­ca não é acon­se­lhá­vel, mas ain­da há lo­jis­tas e até par­ti­cu­la­res que, pa­ra agi­li­zar a ne­go­ci­a­ção, acei­tam o cha­ma­do “con­tra­to de ga­ve­ta”, do­cu­men­to in­for­mal em que o do­no do veí­cu­lo trans­fe­re a dí­vi­da do fi­nan­ci­a­men­to pa­ra o no­vo com­pra­dor. Pa­ra quem es­tá ven­den­do po­de pa­re­cer um bom ne­gó­cio, por­que ele se de­so­bri­ga­ria de ter de qui­tar o car­ro (e de­sem­bol­sar mais di­nhei­ro) an­tes da ven­da.

Já o in­te­res­sa­do po­de achar que ti­rou a sor­te gran­de ao en­con­trar uma ofer­ta com en­tra­da bai­xa e fi­nan­ci­a­men­to já em cur­so, fei­to no no­me do do­no an­te­ri­or. Po­rém, o ne­gó­cio en­vol­ve ris­cos pa­ra am­bos os la­dos e não tem am­pa­ro le­gal. Pa­ra o do­no da Trans-Am, Munir Fa­raj, a trans­fe­rên­cia de dí­vi­da sem anuên­cia da fi­nan­cei­ra é de­sa­con­se­lhá­vel.

Ca­so o com­pra­dor dei­xe de pa­gar ou atra­se as pres­ta­ções, a dí­vi­da re­cai­rá so­bre o an­ti­go do­no. “Ele po­de ter o no­me ‘ne­ga­ti­va­do’, e ain­da cor­re o ris­co de ser obri­ga­do a pa­gar uma dí­vi­da que não é de­le”.

O mes­mo va­le pa­ra even­tu­ais mul­tas ou aci­den­tes, já que no do­cu­men­to es­ta­rá o no­me do ex-do­no. “Tem gen­te que faz um con­tra­to particular, mas is­so não tem ne­nhu­ma va­li­da­de”, diz o lo­jis­ta.

Trans­fe­rên­cia

Pre­si­den­te da As­so­ci­a­ção Na­ci­o­nal das Em­pre­sas Fi­nan­cei­ras das Mon­ta­do­ras (Anef ), Décio Car­bo­na­ri de Al­mei­da afir­ma que o in­te­res­sa­do em as­su­mir as par­ce­las de um veí­cu­lo que já es­tá fi­nan­ci­a­do pre­ci­sa ser sub­me­ti­do a uma no­va aná­li­se de cré­di­to. O la­do po­si­ti­vo é que, ca­so a pres­ta­ção se­ja al­ta, é pos­sí­vel op­tar por um pra­zo mai­or no con­tra­to, de mo­do a re­du­zir o va­lor das par­ce­las.

A par­te ruim é que, por ser um no­vo con­tra­to, a ta­xa de ju­ros ten­de a su­bir. “Se o an­te­ri­or foi fei­to em uma épo­ca em que a ta­xa es­ta­va me­nor, o no­vo vai le­var em con­ta a atu­al alí­quo­ta”, afir­ma Al­mei­da.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.