Sai­ba usar o cír­cu­lo cro­má­ti­co

O Diario do Norte do Parana - - CLASSIDIÁRIO - Deborah Bus­ko Es­pe­ci­al O Diá­rio Am­bi­en­te de­co­ra­do com co­res com­ple­men­ta­res in­clu­em tons opos­tos den­tro do cír­cu­lo cro­má­ti­co, co­mo o ro­xo e o ama­re­lo, o ro­sa e o ver­de. Es­ta com­bi­na­ção cria um con­tras­te e é per­fei­ta pa­ra quem pre­za am­bi­en­tes chei­os de ener

As co­res são ele­men­tos-cha­ve na de­co­ra­ção pa­ra de­fi­nir o es­ti­lo e dei­xar qual­quer es­pa­ço cheio de personalidade. Sa­ber a ma­nei­ra cor­re­ta­deu­ti­li­zá-la­sé­fun­da­men­tal pa­ra cri­ar am­bi­en­tes har­mo­ni­o­sos e evi­tar exa­ge­ros. Pa­ra au­xi­li­ar nes­sa ta­re­fa, uma di­ca é re­cor­re­ra­o­cír­cu­lo­cro­má­ti­co,uma ma­nei­ra­rá­pi­da­e­fá­cil­pa­ra­des­co­brir quais os tons ide­ais pa­ra a de­co­ra­ção.

An­tes de uti­li­zar o cír­cu­lo cro­má­ti­co,pri­mei­roé­pre­ci­so­en­ten­dê-lo. Com­pos­to por 12 co­res, o cír­cu­lo é uma re­pre­sen­ta­ção das co­res­per­ce­bi­das­pe­lo­o­lhohu­ma­no.Ne­le­es­tão­três­tons­pri­má­ri­os (ama­re­lo, azul e ver­me­lho), três se­cun­dá­ri­os (ver­de, vi­o­le­ta e la­ran­ja)que­são­re­sul­tan­tes­da­mis­tu­ra das co­res pri­má­ri­as en­tre si, e seis tons ter­ciá­ri­os (va­ri­a­ções de ver­de, vi­o­le­ta e la­ran­ja) cri­a­dos a par­tir de mis­tu­ras das co­res pri­má­ri­as com as se­cun­dá­ri­as. Com­bi­nan­do as to­na­li­da­des pre­sen­tes no cír­cu­lo, é pos­sí­vel ob­ter di­ver­sos efei­tos cro­má­ti­cos na de­co­ra­ção.

De­a­cor­do­co­ma­de­sig­ner­dein­te­ri­o­res Le­tí­cia Roque, o cír­cu­lo cro­má­ti­co po­de ser uti­li­za­do na de­co­ra­ção de qual­quer am­bi­en­te, in­de­pen­den­te de sua di­men­são. No en­tan­to, na ho­ra de co­lo­car em prá­ti­ca as com­bi­na­ções de­co­res,épre­ci­so­a­ten­tar­pa­ra­al­guns de­ta­lhes que po­dem fa­zer to­da a di­fe­ren­ça. Le­tí­cia des­ta­ca que um er­ro co­mum é não de­fi­nir qual har­mo­ni­za­ção de co­res se­ráa­pli­ca­da­no­am­bi­en­te.“Ocír­cu­lo cro­má­ti­co au­xi­lia na de­fi­ni­ção das co­res do es­pa­ço e, con­se­quen­te­men­te, to­dos os ele­men­tos es­co­lhi­dos se­gui­rão o pa­drão es­té­ti­co de­se­ja­do. A mis­tu­ra de con­cei­tos po­de re­sul­tar em um am­bi­en­te sem personalidade e con­fu­so.”

O ar­qui­te­to Bruno Oli­vei­ra tam­bém aler­ta pa­ra a ne­ces­si­da­de de le­var em con­ta as pro­por­ções do es­pa­ço an­tes de es­co­lher as co­res e, as­sim, evi­tar des­li­zes. “O ide­al é evi­tar usar co­res con- tras­tan­tes em lo­cais mui­to pe­que­nos, já que elas dão a im­pres­são de que o es­pa­ço é me­nor. Em am­bi­en­tes mai­o­res, é pos­sí­vel ou­sar nas co­res, cri­an­do vá­ri­os­pon­tos­de­des­ta­que.”

De­co­ra­çãoCom­ple­men­tar

As co­res com­ple­men­ta­res são as que­se­en­con­tra­mem­la­do­so­pos­tos do cír­cu­lo, o que não sig­ni­fi­ca que não pos­sam ser com­bi­na­das. O efei­to apa­ren­te­men­te con­tras­tan­te en­tre elas fun­ci­o­na bem e re­sul­ta em um re­al­ce vi­su­al bas­tan­te agra­dá­vel na de­co­ra­ção. O ar­qui­te­to Bruno Oli­vei­ra ex­pli­ca que ao tra­ba­lhar com co­res­com­ple­men­ta­re­séin­te­res­san­te es­co­lher am­bi­en­tes mais des­con­traí­dos e de uso co­mum à fa­mí­lia. “A co­zi­nha é uma boa pe­di­da pa­ra es­se ti­po de de­co­ra­ção”,su­ge­re.

De­co­ra­çãoT­ría­de

A de­co­ra­ção em­pre­gan­do co­res tría­des le­va mui­ta personalidade ao am­bi­en­te, já que con­sis­te na uti­li­za­ção de três co­res con­tras­tan­tes no cír­cu­lo cro­má­ti­co, co­mo as co­res pri­má­ri­as. No en­tan­to, exi­ge cau­te­la. “É im­por­tan­te sem­pre usar uma ba­se neu­tra, co­mo o bran­co, pa­ra não dei­xar o am­bi­en­te co­lo­ri­do de­mais. Va­le tam­bém es­co­lher co­res que par­tam da tría­de, mas em tons mais cla­ros”, ex­pli­ca Bruno Oli­vei­ra.

De­co­ra­çãoA­ná­lo­ga

Na de­co­ra­ção aná­lo­ga, com­bi­na-se­as­co­res­pró­xi­mas­no­cír­cu- lo cro­má­ti­co. O ar­qui­te­to res­sal­ta­que­co­ma­a­pli­ca­ção­de­tons­pa­re­ci­dos, o am­bi­en­te ga­nha a sen­sa­ção de tran­qui­li­da­de. “Apos­te nes­se­ti­po­de­de­co­ra­ção­nos­quar­to­se­am­bi­en­tes­de­tra­ba­lho”,diz.

—FO­TO: DI­VUL­GA­ÇÃO

EU VE­JO CO­RES. De­co­ra­ção aná­lo­ga, que usa tons con­se­cu­ti­vos, dá mais ‘vi­da’ a es­ta co­zi­nha.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.