Lu­la ti­nha ‘ple­no co­nhe­ci­men­to’ e ‘co­man­do’ de es­que­ma na Petrobras

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - Ri­car­do Brandt Agên­cia Es­ta­do

Re­na­to Du­que, em de­poi­men­to a Ser­gio Mo­ro, de­ta­lha três en­con­tros com o ex-pre­si­den­te O ex-te­sou­rei­ro do PT, João Vac­ca­ri Ne­to, se­ria o ‘ho­mem‘ de Lu­la em ações na es­ta­tal

O ex-di­re­tor de Ser­vi­ços da Petrobras, Re­na­to Du­que, afir­mou on­tem, que o ex-pre­si­den­te Lu­la “ti­nha ple­no co­nhe­ci­men­to de tu­do, ti­nha o co­man­do” do es­que­ma de cor­rup­ção ins­ta­la­do na es­ta­tal pe­tro­lí­fe­ra. Du­que re­la­tou ao juiz fe­de­ral Sér­gio Mo­ro, em Cu­ri­ti­ba, três en­con­tros pes­so­ais com Lu­la, o úl­ti­mo em 2014, quan­do a Ope­ra­ção La­va Ja­to já es­ta­va nas ru­as.

“No úl­ti­mo en­con­tro, 2014, já com a La­va Ja­to em an­da­men­to, ele (Lu­la) me cha­ma em São Pau­lo.Te­mu­ma­reu­nião­nohan­gar da TAM no Ae­ro­por­to de Con­go­nhas e me per­gun­ta se eu ti­nha uma con­ta na Suí­ça com re­ce­bi­men­tos da em­pre­sa SBM”,con­touDu­que.

Se­gun­do o exe­cu­ti­vo - pre­so na La­va Ja­to e con­de­na­do a 20 anos por cor­rup­ção e lavagem de di­nhei­ro em uma ação pe­nal - , Lu­la te­ria di­to que a en­tão pre­si­den­te Dil­ma Rous­seff “ti­nha re­ce­bi­do in­for­ma­ção que um ex­di­re­tor da Petrobras te­ria re­ce­bi­do di­nhei­ro nu­ma con­ta na Suí­ça, da SBM”. “Eu fa­lei não, não te­nho di­nhei­ro da SBM ne­nhum, nun­ca re­ce­bi di­nhei­ro da SBM. Aí ele vi­ra pa­ra mim fa­la as­sim: ‘Olha, e das son­das tem al­gu­ma coi­sa?’ E ti­nha né, eu fa­lei não,tam­bém­não­tem.”

Du­que atri­buiu ao ex-pre­si­den­te a se­guin­te fra­se: “Olha, pres­ta aten­ção no que vou te di­zer. Se ti­ver al­gu­ma coi­sa não po­de ter, en­ten­deu? Não po­de ter na­da no teu no­me en­ten­deu?”

“Eu en­ten­di, mas o que eu ia fa­zer? Não ti­nha mais o que fa­zer. Aí ele fa­lou que ia con­ver­sar com a Dil­ma, que ela es­ta­va pre­o­cu­pa­da com es­se as­sun­to e que ia tran­qui­li­zá-la”, re­la­tou Du­que.

“Nes­sas três ve­zes fi­cou cla­ro, mui­to cla­ro pa­ra mim, que ele ti­nha ple­no co­nhe­ci­men­to de tu­do, ti­nha o co­man­do”, acres­cen­tou o ex-di­re­tor.

Foi Du­que quem pe­diu pa­ra ser no­va­men­te ou­vi­do por Mo­ro. O can­di­da­to a de­la­tor as­su­miu que co­me­teu “ile­ga­li­da­des”. “Mas que­ro pa­gar pe­las ile­ga­li­da­des que eu co­me­ti. Se for fa­zer uma com­pa­ra­ção com o te­a­tro, da si­tu­a­ção que a gen­te vi­ve, sou um ator, te­nho pa­pel de destaque nes­sa peça, mas não sou nem o di­re­tor, nem o pro­ta­go­nis­ta des­sa his­tó­ria.” Ele afir­mou ain­da que quer “pas­sar es­sa his­tó­ria a lim­po”.

Vac­ca­ri

O ex-te­sou­rei­ro do PT João Vac­ca­ri Ne­to era “o ho­mem” do exp­re­si­den­te Lu­la a no es­que­ma ins­ta­la­do na Petrobras, se­gun­do Du­que.

“Vac­ca­ri é da cri­a­ção do PT, sal­vo en­ga­no. Vac­ca­ri foi apre­sen­ta­do co­mo ho­mem do pre­si­den­te Lu­la, que iria cui­dar dos in­te­res­ses das em­pre­sas que atu­a­vam jun­to a Petrobras, in­te­res­ses do pre­si­den­te Lu­la, in­te­res­ses po­lí­ti­cos.”

A La­va Ja­to des­co­briu a ação de um po­de­ro­so car­tel de em­prei­tei­ras na Petrobras en­tre 2004 e 2014 - pe­río­do que pe­gou os dois go­ver­nos de Lu­la e o pri­mei­ro de Dil­ma. O car­tel dis­tri­buiu pro­pi­nas a par­ti­dos, po- lí­ti­cos e ex-di­ri­gen­tes da es­ta­tal, in­clu­si­ve pa­ra o pró­prio Du­que, con­de­na­do a 20 anos de pri­são em uma das ações pe­nais da La­va Ja­to.

As re­ve­la­ções de Du­que in­di­cam que o ex-pre­si­den­te es­ca­lou Vac­ca­ri pa­ra “cui­dar dos in­te­res­ses” des­sas em­prei­tei­ras na pe­tro­lí­fe­ra. Vac­ca­ri tam­bém es­tá na pri­são da La­va Ja­to, des­de abril de 2015, já con­de­na­do por Mo­ro.

Ou­tro­la­do

Se­gun­do o Ins­ti­tu­to Lu­la, “o de­poi­men­to do ex-di­re­tor da Petrobras, Re­na­to Du­que, é mais uma ten­ta­ti­va de fa­bri­car acu­sa­ções ao ex-pre­si­den­te Lu­la nas ne­go­ci­a­ções en­tre os pro­cu­ra­do­res da La­va Ja­to e réus con­de­na­dos, em tro­ca de re­du­ção de pe­na. Co­mo não con­se­gui­ram pro­du­zir ne­nhu­ma pro­va das de­nún­ci­as le­vi­a­nas con­tra o ex-pre­si­den­te, de­pois de dois anos de in­ves­ti­ga­ções, que­bra de si­gi­los e vi- ola­ção de te­le­fo­ne­mas, res­tou aos acu­sa­do­res de Lu­la ape­lar pa­ra a fa­bri­ca­ção de de­poi­men­tos men­ti­ro­sos”.

“O de­ses­pe­ro dos pro­cu­ra­do­res au­men­tou com a apro­xi­ma­ção da au­di­ên­cia em que Lu­la vai, fi­nal­men­te, apre­sen­tar ao juí­zo a ver­da­de dos fa­tos. A au­di­ên­cia de Lu­la foi adi­a­da em uma se­ma­na sob o fal­so pre­tex­to de ga­ran­tir a se­gu­ran­ça pú­bli­ca. Na ver­da­de, co­mo vi­nha aler­tan­do a de­fe­sa de Lu­la, o adi­a­men­to ser­viu uni­ca­men­te pa­ra en­cai­xar nos au­tos de­poi­men­tos fa­bri­ca­dos de ex-di­re­to­res da OAS (Leo Pi­nhei­ro e Age­nor Me­dei­ros) e, ago­ra, o de Re­na­to Du­que.”

Ain­da con­for­me o Ins­ti­tu­to Lu­la, “os três de­po­en­tes, que nun­ca ha­vi­am men­ci­o­na­do o ex-pre­si­den­te Lu­la ao lon­go do pro­ces­so, são pes­so­as con­de­na­das a pe­nas de mais de 20 anos de pri­são, en­con­tran­do-se ob­je­ti­va­men­te co­a­gi­das a ne­go­ci­ar be­ne­fí­ci­os pe­nais.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.