Trio ten­ta rou­bo de ma­lo­te

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Ro­ber­to Sil­va ro­ber­to­sil­va@odi­a­rio.com

A Po­lí­cia Ci­vil (PC) de Ma­rin­gá não tem dú­vi­das de que os três as­sal­tan­tes que ten­ta­ram rou­bar um ma­lo­te de pa­ga­men­to, ter­ça-fei­ra, na Vi­la Bos­que, zo­na nor­te da ci­da­de, agi­ram com ba­se em in­for­ma­ções pri­vi­le­gi­a­das. A evi­dên­cia sur­giu de­pois de os operários con­ta­rem que um dos ban­di­dos che­gou per­gun­tan­do so­bre a pes­soa que fa­ria o pa­ga­men­to da equi­pe. “Eles (as­sal­tan­tes) mos­tra­ram que ti­nham in­for­ma­ções res­tri­tas fun­ci­o­ná­ri­os da obra”, ex­pli­cou o che­fe da Se­ção de Fur­tos e Roubos (SFR), in­ves­ti­ga­dor Eve­ral­do Fer­nan­des.

De acor­do com a PC, a ten­ta­ti­va de rou­bo ocor­reu por vol­ta das 16h, mo­men­to em que três ho­mens ar­ma­dos in­va­di­ram o can­tei­ro de obras, um pré­dio em cons­tru­ção na Rua Gu­a­ri­tá, e ren­de­ram 15 operários, que fo­ram obri­ga­dos a dei­tar no chão. Ame­a­ça­dos de mor­te, eles fo­ram ques­ti­o­na­dos so­bre on­de es­ta­va o “en­ge­nhei­ro da L-200”, que ha­via ido ao ban­co bus­car o pa­ga­men­to da equi­pe, cer­ca de R$ 80 mil. Se­gun­do a po­lí­cia, os ban­di­dos não per­ce­be­ram que o en­ge­nhei­ro já ha­via en­tra­do e se es­con­di­do no úl­ti­mo pi­so. Os ban­di­dos che­ga­ram a fa­zer bus­cas na cons­tru­ção, mas de­sis­ti­ram do pla­no e fu­gi­ram le­van­do ape­nas três ce­lu­la­res dos operários.

Ví­ti­ma, que era sur­da-mu­da e ti­nha de­fi­ci­ên­cia men­tal, foi ata­ca­da com um ca­pa­ce­te en­quan­to co­le­ta­va la­ti­nhas no Jar­dim Al­vo­ra­da .

A De­le­ga­cia de Ho­mi­cí­di­os (DH) de Ma­rin­gá es­tá pe­din­do aju­da da po­pu­la­ção pa­ra ten­tar iden­ti­fi­car um ho­mem que na noi­te de 12 de abril des­te ano agre­diu um co­le­tor de re­ci­clá­veis com um gol­pe de ca­pa­ce­te na ca­be­ça. A agres­são foi tão vi­o­len­ta que a ví­ti­ma so­freu le­sões gra­ves no cé­re­bro e mor­reu dia 6 pas­sa­do­em­su­a­re­si­dên­cia.

Ima­gens gra­va­das por uma câ­me­ra de se­gu­ran­ça de uma em­pre­sa par­ti­cu­lar mos­tra­ram o mo­men­to da agres­são, mas o dis­tan­ci­a­men­to im­pe­diu a iden­ti­fi­ca­ção do au­tor do cri­me. “É pro­vá­vel que al­guém te­nha pre­sen­ci­a­do o ata­que e pos­sa re­pas­sar in­for­ma­ções so­bre o agres­sor”, ex­pli­cou o de­le­ga­do Di­e­go Eli­as de Freitas, que pre­si­de as in­ves­ti­ga­ções.

De acor­do com a DH, a agres­são ocor­reu por vol­ta das 22h10 na Ave­ni­da Mo­ran­guei­ra, es­qui­na com Rua Mas­ca­re­nhas de Mo­ra­es, no Jar­dim Al­vo­ra­da. A exem­plo­que­fa­zi­a­ro­ti­nei­ra­men­te, João Henrique Mai­o­li Bohn, 43 anos, que era sur­do-mu­do, co-

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.