Fi­lhos lo­ca­li­zam mãe de­pois de 41 anos

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Luiz de Car­va­lho car­va­lho@odi­a­rio.com

Pe­la pri­mei­ra vez, de­pois de 41 anos, a do­na de ca­sa Lau­ri­ta Ma­ria da Con­cei­ção, de 70 anos, vai pas­sar o Dia das Mães re­ce­ben­do o ca­ri­nho de dois fi­lhos que acha­va que nun­ca mais ve­ria, além de ne­tos que ela não sa­bia que exis­ti­am. O ca­ri­nho de­ve ser por te­le­fo­ne e pe­las re­des so­ci­ais, já que Lau­ri­ta es­tá em Ja­ca­re­zi­nho, no cha­ma­do Norte Pi­o­nei­ro do Pa­ra­ná, e os fi­lhos e ne­tos es­tão a 2,8 mil quilô­me­tros de dis­tân­cia, em Ma­ceió, ca­pi­tal de Ala­go­as, mas em bre­ve de­vem se en­con­trar pes­so­al­men­te.

Os fi­lhos, que di­zem que já ti­nham per­di­do a es­pe­ran­ça de re­en­con­tra­rem a mãe e até acha­vam que ela já ti­nha mor­ri­do, se as­sus­ta­ram nes­ta se­ma­na qu­an­do re­ce­be­ram um te­le­fo­ne­ma de Ja­ca­re­zi­nho in­for­man­do que Lau­ri­ta mo­ra­va lá. O pas­so se­guin­te foi uma noi­te in­tei­ra de con­ver­sa­se­cho­ro­sa­o­te­le­fo­ne.

A chave pa­ra do ca­so foi uma ma­té­ria pu­bli­ca­da em O Diá­rio há no­ve anos, qu­an­do o re­pre­sen­tan­te co­mer­ci­al Wi­ra­qui­tan Pi­nho Bor­ges, na épo­ca ma­ri­do de Ma­ria Apa­re­ci­da dos San­tos, fi­lha de Lau­ri­ta, que viu a mãe pe­la úl­ti­ma vez qu­an­do ti­nha se­te anos de ida­de, en­trou em con­ta­to com emis­so­ras de rá­dio e jor­nais do Pa­ra­ná à pro­cu­ra da mu­lher que dei­xou o ma­ri­do e dois fi­lhos em Ma­ceió, em 1976, e mu­dou-se­pa­ra­oPa­ra­ná.

Na épo­ca, O Diá­rio pu­bli­cou uma ma­té­ria so­bre o ca­so, que no­ve anos de­pois con­tri­buiu pa­ra re­co­nec­tar a fa­mí­lia.

Ro­si Al­mei­da, fi­lha de um se­gun­do ca­sa­men­to de Lau­ri­ta, fa­lou à ami­ga e co­le­ga de tra­ba­lho Ká­tia Fe­ri­a­to so­bre a amar­gu­ra da mãe por não sa­ber dos fi­lhos que ela ti­nha dei­xa­do no Nor­des­te. Ká­tia fez uma bus­ca na in­ter­net e aca­bou lo­ca­li­zan­do a ma­té­ria no si­te odi­a­rio.com, on­de cons­ta­vam os con­ta­tos da fi­lha Ma­ria Apa­re­ci­da e de seu ex-ma­ri­doWi­ra­qui­tan.

“Foi um sus­to pa­ra nós qu­an­do en­con­tra­mos a ma­té­ria com no­me de mi­nha mãe e dos ir­mãos que nun­ca co­nhe­ci”, con­ta Ro­si. “Qu­an­do con­tei pa­ra mi­nha mãe que ti­nha lo­ca­li­za­do a fa­mí­lia, ela cho­rou mui­to e con­ti­nua mui­to emo­ci­o­na­da”, ex­pli­ca. A fa­mí­lia pre­ten­de mar­car um en­con­tro pa­ra bre­ve. “Nos­sa fa­mí­lia vai fi­car com­ple­ta e va­mos ter al­guém pa­ra cui­dar!”, co­me­mo­ra Ana Pau­la Bor­ri, 37. Ca­sa­da há no­ve anos com Anderson Bor­ri, o ca­sal co­me­çou a fa­mí­lia pe­lo me­lhor ami­go, um ca­o­zi­nho, e es­te ano, de­ci­diu que era tem­po de ter o pri­mei­ro fi­lho. Aos qua­tro me­ses de ges­ta­ção, o ca­sal es­tá en­vol­vi­do na pre­pa­ra­ção do quar­to do be­bê. Ana Pau­la diz que, por mais que se sai­ba que um fi­lho é es­pe­ci­al, ape­nas na ho­ra de ter um, a mu­lher en­ten­de o que é es­se amor. “É um amor es­pe­ci­al”, diz. O no­me ain­da não foi es­co­lhi­do, mas a lis­ta tem vá­ri­as op­ções.

A che­ga­da de Otá­vio, fi­lho da ad­vo­ga­da Fer­nan­da Mo­rei­ra Ben­ve­nu­to Mes­qui­ta Simões, es­tá pre­vis­ta pa­ra o pró­xi­mo mês. Aos 34 anos, a mãe en­fren­tou­a­en­do­me­tri­o­se­e­o­tra­ta­men­to pa­ra en­gra­vi­dar. “Meu ma­ri­do es­ta­va jun­to, dois ris­qui­nhos cor de ro­sa no tes­te de far­má- cia. O tes­te de la­bo­ra­tó­rio, eu fiz de­pois. É a pri­mei­ra cri­an­ça do la­do ma­ter­no e do la­do do meu ma­ri­do, te­mos ape­nas uma so­bri­nha”, afir­ma. Os dois em­pre­gos e o dou­to­ra­do vão ter de se ajus­tar aos cui­da­dos com o be­bê, e a futura ma­mãe já sen­te as pri­mei­ras­mu­dan­ças­de­ro­ti­na.

A pre­pa­ra­ção pa­ra a ma­ter­ni­da­de da pro­fes­so­ra Nin­na Fran­coF­ra­go­so­co­me­çou­no­ve­me­ses an­tes da con­cep­ção de Ga­el. Jun­to com o ma­ri­do, João Cláu­dio, ela de­ci­diu que era tem­po de au­men­tar a fa­mí­lia que, além do ca­sal, con­ta com a ca­chor­ri­nha Brigitte, a Bi­bi. O ca­sal ten­tou por no­ve me­ses sem su­ces­so, até que a futura ma­mãe sou­be que mui­tas ou­tras mu­lhe­res en­gra­vi­da­ram de­pois de se de­di­ca­rem à no­ve­na do Me­ni­no Je­sus de Pra­ga. “Eu ti­nha cer­te­za que se­ría­mos aben­ço­a­dos e fo­mos! En­gra­vi­dei an­tes de ter­mi­nar a no­ve­na”, diz. Fo­ra os en­jo­os das pri­mei­ras se­ma­nas, a ges­ta­ção cor­reu bem e já na re­ta fi­nal as quei­xas são ape­nas o pe­so da bar­ri­ga e a von­ta­de de ir ao ba­nhei­ro o tem­po to­do.

Nin­na já es­tá em re­pou­so por cau­sa da pres­sa de Ga­el e an­si­o­sa pa­ra co­nhe­cê-lo, com me­do do que vem pe­la fren­te e de­se­jan­do uma fa­mí­lia em har­mo­nia. O co­ra­ção mu­da, fi­ca mais ter­no. “Es­tou sem­pre con­ver­san­do com o be­bê e co­lo­co a ca­chor­ri­nha no pa­po, co­mo ir­mã mais ve­lha. Eu que­ro mui­to que se­jam gran­des com­pa­nhei­ros”, afir­ma.

O en­joo per­sis­ten­te e o vô­mi­to­ma­ti­na­las­sus­ta­ra­ma­es­tu­dan­te de Di­rei­to Jes­si­ca Ba­chesk, 24. Jun­to com o na­mo­ra­do Luis Fe­li­pe, ela des­co­briu que a “ba­gun­ça” era Ian, “avi­san­do” que es­tá aca­mi­nho.Afu­tu­ra­ma­mãe­es­ta­va se pre­pa­ran­do pa­ra um in­ter­câm­bio e, em ra­zão do ová­rio po­li­cís­ti­co que di­fi­cul­ta a con­cep­ção, não es­pe­ra­va a no­tí­cia. Ela achou que ti­nha se en­ve­ne­na­do por­que uns di­as an­tes ti­nha de­de­ti­za­do a ca­sa so­zi­nha. Fi­cou in­ter­na­da e tu­do, ne­nhum mé­di­co des­con­fi­ou. Ian se tor­nou a pri­o­ri­da­de de Jés­si­ca, mas ela ga­ran­te que vai fre­quen­tar a fa­cul­da­de en­quan­to se sen­tir bem e de­pois con­cluir o cur­so em re­gi- me do­mi­ci­li­ar. “Sem­pre quis ser mãe, ele é meu pre­sen­te do uni­ver­so, mi­nha maior fe­li­ci­da­de. Eu que­ro ser igual a mi­nha mãe por­que ela foi mãe, pai, ami­ga, tu­do!”, diz.

Eli­sân­ge­la Mo­rei­ra Pas­sos sem­pre quis ser mãe, mas o so­nho es­ta­va di­fí­cil. Lu­tan­do con­tra a obe­si­da­de mór­bi­da ela pas­sou­po­ru­ma­re­du­ção­de­estô­ma­go e um tra­ta­men­to pa­ra es­ti­mu­lar a ovu­la­ção, sem su­ces­so. Aos 37 anos, no mês de ou­tu­bro o “não” dos mé­di­cos era qua­se uma sen­ten­ça. Qua­se, por­que con­tra­ri­an­do to­dos eles, Elena es­ta­va a ca­mi­nho e a gra­vi­dez foi con­fir­ma­da em ja­nei­ro. Fun­ci­o­ná­ria pú­bli­ca, ela es­pe­ra com tran­qui­li­da­de a che­ga­da da fi­lha. “Es­tou com qua­se cin­co me­ses de ges­ta­ção e fa­ço exa­mes to­da se­ma­na. Nós a de­di­ca­mos a Deus e va­mos ten­tar en­ca­mi­nhá-la pa­ra um fu­tu­ro me­lhor que­o­nos­so”,afir­ma.

Ain­da meio anes­te­si­a­da com tan­ta ale­gria, a futura ma­mãe diz que já ima­gi­na a vi­da com a pe­que­na, as con­ver­sas que elas te­rão e o que fa­rão jun­tas.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.