UEM e UEL vão à Jus­ti­ça

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Pau­li­ne Al­mei­da ma­rin­ga@odi­a­rio.com

As uni­ver­si­da­des es­ta­du­ais de Ma­rin­gá (UEM) e Lon­dri­na (UEL) vão in­gres­sar ama­nhã no Tri­bu­nal de Jus­ti­ça con­tra a de­ter­mi­na­ção do go­ver­no do Es­ta­do de uti­li­zar o sis­te­ma Me­ta 4 pa­ra a ges­tão de re­cur­sos hu­ma­nos. As ou­tras cin­co es­ta­du­ais de­vem se­guir o exem­plo. A de­ci­são foi to­ma­da em Lon­dri­na, on­de to­dos os Con­se­lhos Uni­ver­si­tá­ri­os e rei­to­res se reu­ni­ram na quin­ta-fei­ra, fa­to iné­di­to.

Go­ver­no e ins­ti­tui­ções de en­si­no su­pe­ri­or es­tão com re­la­ções aba­la­das há pe­lo me­nos três anos, qu­an­do ti­ve­ram iní­cio os cor­tes brus­cos no cus­teio. A UEM re­ce­bia R$ 24,5 mi­lhões em 2015, va­lor que caiu pa­ra R$ 14 mi­lhões em 2017. Se­gun­do o rei­tor Mau­ro Ba­es­so, o di­nhei­ro não pa­ga nem as con­tas de água e ener­gia. O ápi­ce da cri­se foi o pra­zo de 11 de maio pa­ra o en­vio dos da­dos de ade­são ao Me­ta 4, usa­do pa­ra ges­tão de sa­lá­ri­os des­de 2012.

Os con­se­lhos uni­ver­si­tá­ri­os ela­bo­ra­ram o do­cu­men­to Car­ta de Lon­dri­na, em que se co­lo­cam­con­tra­as­me­di­das­do­go­ver­no, con­si­de­ra­das um ata­que à au­to­no­mia uni­ver­si­tá­ria ga­ran­ti­da pe­la Cons­ti­tui­ção. “O diá­lo­go com o go­ver­no es­tá pra­ti­ca­men­te in­ter­rom­pi­do. As me­di­das que têm si­do to­ma­das, a sua mai­o­ria sem ba­se le­gal, têm tra­zi­do gran­des di­fi­cul­da­des pa­ra as uni­ver­si­da­des. To­ma­mos um po­si­ci­o­na­men­to po­lí­ti­co, pe­din­do in­clu­si­ve o apoio da so­ci­e­da­de, pa­ra que o go­ver­no en­ten­da que as uni­ver­si­da­des es­tão sob ris­co”,de­cla­rouMau­roBa­es­so.

Um dos ar­gu­men­tos usa­dos pe­lo Es­ta­do pa­ra o Me­ta 4, con­si­de­ra­do “fa­lá­cia” pe­las es­ta­du­ais, é a trans­pa­rên­cia. “Se fal­ta trans­pa­rên­cia é so­bre co­mo e quan­to o Es­ta­do pa­ga por es­te sis­te­ma de fo­lha de pa­ga­men­to que per­ten­ce a uma em­pre­sa es­pa­nho­la e quan­to te­ve que in­ves­tir pa­ra po­der in­cor­po­rar os ser­vi­do­res das uni­ver­si­da­des”, cha­ma a aten­ção a Car­ta de Lon­dri­na. O rei­tor da UEM ava­lia que o sis­te­ma é ar­cai­co e um me­lhor po­de­ria ser cri­a­do, sem cus­tos, pe­las pró­pri­as uni­ver­si­da­des.

Ou­tro pon­to de atri­to diz res- pei­to ao Tem­po In­te­gral de De­di­ca­ção Ex­clu­si­va, va­lor ex­tra que o pro­fes­sor re­ce­be pa­ra tra­ba­lhar ape­nas na uni­ver­si­da­de me­di­an­te cum­pri­men­to de re­gras de pro­du­ti­vi­da­de. O go­ver­no quer trans­for­mar o re­gi­me de tra­ba­lho em gra­ti­fi­ca­ção, me­di­da tam­bém re­cha­ça­da pe­los ser­vi­do­res. “É dar po­der po­lí­ti­co pa­ra o Es­ta­do de­ci­dir quem vai ter ou não o TIDE”, apon­tou o rei­tor.

O di­re­tor-ge­ral da Se­cre­ta­ria de Es­ta­do da Ci­ên­cia, Tec­no­lo­gia e En­si­no Su­pe­ri­or, Dé­cio Spe­ran­dio, afir­mou que a pas­ta aguar­da o pro­to­co­lo ofi­ci­al da Car­ta de Lon­dri­na. “Es­se é um sis­te­ma que pro­ces­sa a fo­lha de pa­ga­men­to de to­do o fun­ci­o­na­lis­mo. É uma po­si­ção de uni­for­mi­zar es­se tra­ta­men­to”, de­fen­deu.

Spe­ran­dio já foi rei­tor da UEM. Qu­es­ti­o­na­do se ado­ta­ria o Me­ta 4, pre­fe­riu não dar sua opi­nião pes­so­al. “Qual­quer que se­ja o sis­te­ma de pro­ces­sa­men­to, tem que ser exe­cu­ta­do em ci­ma da le­gis­la­ção vi­gen­te”, co­lo­cou, des­car­tan­do que a mu­dan­ça tra­rá pre­juí­zos às car­rei­ras dos ser­vi­do­res.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.