Pró-Co­tis­ta da Cai­xa vol­tou

O Diario do Norte do Parana - - ESPECIAL IMÓVEIS - Luiz Fer­nan­do Car­do­so luiz­fer­nan­do@odi­a­rio.com

Mi­nis­té­rio das Ci­da­des anun­ci­ou re­cur­sos de R$ 2,54 bi­lhões pa­ra ma­nu­ten­ção do pro­gra­ma Li­nha de em­prés­ti­mo ha­bi­ta­ci­o­nal tem as me­lho­res ta­xas de­pois do Mi­nha Ca­sa, Mi­nha Vi­da

O Pro­gra­ma Es­pe­ci­al de Cré­di­to Ha­bi­ta­ci­o­nal ao Co­tis­ta do Fun­do de Ga­ran­tia do Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS), o Pró-Co­tis­ta, que che­gou a ser sus­pen­so pe­la Cai­xa es­te mês, es­tá de vol­ta. O Mi­nis­té­rio das Ci­da­des in­for­mou em no­ta que re­ma­ne­jou R$ 2,54 bi­lhões pa­ra a ma­nu­ten­ção do pro­gra­ma.

Li­nha de em­prés­ti­mo ha­bi­ta­ci­o­nal mais barata de­pois do Mi­nha Ca­sa, Mi­nha Vi­da, o PróCo­tis­ta se­rá des­ti­na­do ao fi­nan­ci­a­men­to de imó­veis no va­lor de até R$ 500 mil. Tam­bém de acor­do com a Ins­tru­ção Nor­ma­ti­va Nº 20, pu­bli­ca­da ter­ça-fei­ra no Diá­rio Ofi­ci­al da União, 60% dos va­lo­res se­rão des­ti­na­dos à aqui­si­ção de imó­veis no­vos.

Ain­da que o va­lor se­ja con­si­de­ra­do bai­xo pa­ra a de­man­da na­ci­o­nal, a me­di­da é co­me- mo­ra­da por pro­fis­si­o­nais do ra­mo. Pro­pri­e­tá­rio da Lé­lo Imó­veis, Mil­ton Lé­lo de Oliveira ex­pli­ca que a des­ti­na­ção de re­cur­sos pa­ra pro­gra­mas ha­bi­ta­ci­o­nais com ju­ros mais atra­ti­vos é de­ter­mi­nan­te pa­ra o fe­cha­men­to de no­vos ne­gó­ci­os no se­tor.

Ou­tro imo­bi­li­a­ris­ta con­sul­ta­do pe­lo Diá­rio, João Gra­na­do diz que a re­to­ma­da do PróCo­tis­ta é im­por­tan­te pa­ra es­ti­mu­lar o mer­ca­do. “O fa­to de a Cai­xa vol­tar a ope­rar ju­ros mais bai­xos, ape­sar de R$ 2,54 bi­lhões não ser tan­ta coi­sa, le­va a gen­te (mer­ca­do imo­bi­liá­rio) a acre­di­tar que o Bra­sil vai me­lho­rar”, diz o pro­pri­e­tá­rio da Gra­na­do Imó­veis.

Des­ti­na­do a tra­ba­lha­do­res com car­tei­ra as­si­na­da, e com pe­lo me­nos 36 me­ses de vín­cu­lo com o FGTS, o Pró-Co­tis­ta per­mi­te o fi­nan­ci­a­men­to com ta­xa efe­ti­va de ju­ros abai­xo de 8% ao ano (a.a.) pa­ra be­ne­fi­ciá­ri­os com re­la­ci­o­na­men­to e con­ta-sa­lá­rio na Cai­xa. Na mai­o­ria das ins­ti­tui­ções fi­nan­cei­ras, o cré­di­to ha­bi­ta­ci­o­nal tem ta­xa efe­ti­va aci­ma de 10% a.a.

Se­gun­do si­mu­la­ção fei­ta por Lé­lo, que é correspondente ban­cá­rio da Cai­xa, no fi­nan­ci­a­men­to de um imó­vel de R$ 350 mil – com R$ 100 mil de en­tra­da, uti­li­zan­do o FGTS –, o va­lor da pri­mei­ra par­ce­la fi­ca cer­ca de R$ 400 mais em con­ta no Pró-Co­tis­ta do que no Sis­te­ma Bra­si­lei­ro de Pou­pan­ça e Em­prés­ti­mo (SBPE). “É uma ta­xa de ju­ros mui­to mais em con­ta, por is­so, quei­ra ou não quei­ra, a gen­te sem­pre ten­ta en­qua­drar (o cli­en­te) no Pró-Co­tis­ta”, diz Lé­lo.

A re­por­ta­gem che­gou a per­gun­tou à Cai­xa quan­to dos R$ 2,54 bi­lhões se­rão des­ti­na­dos aos 123 mu­ni­cí­pi­os da área de abran­gên­cia da Su­pe­rin­ten­dên­cia Re­gi­o­nal No­ro­es­te do Pa­ra­ná. No en­tan­to, o ban­co não re­pas­sou informações re­fe­ren­tes à re­gião de Ma­rin­gá. A li­nha de fi­nan­ci­a­men­to ha­bi­ta­ci­o­nal Pró-co­tis­ta é des­ti­na­da a tra­ba­lha­do­res ti­tu­la­res de con­tas vin­cu­la­das ao Fun­do de Ga­ran­tia do Tem­po de Ser­vi­ço (FGTS). Exi­ge dos be­ne­fi­ciá­ri­os os se­guin­tes pré-re­qui­si­tos: Três anos de tra­ba­lho no re­gi­me FGTS, com no mí­ni­mo 10% do va­lor da ava­li­a­ção do imó­vel dis­po­ní­vel no fun­do; Exis­tên­cia de tra­ba­lho ati­vo com car­tei­ra as­si­na­da; Não ser pro­pri­e­tá­rio de imó­vel (pronto ou em cons­tru­ção) lo­ca­li­za­do na re­gião me­tro­po­li­ta­na de atu­al re­si­dên­cia;

Não ser ti­tu­lar de ou­tro fi­nan­ci­a­men­to ati­vo con­ce­di­do no âm­bi­to do Sis­te­ma Fi­nan­cei­ro de Ha­bi­ta­ção (SFH), em qual­quer par­te do ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.