Mãe é sus­pei­ta de ven­der be­bê por R$ 1,6 mil

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ -

A Po­lí­cia Ci­vil de Ma­rin­gá vai in­ves­ti­gar a su­pos­ta ven­da de um be­bê por R$ 1,6 mil. A mãe te­ria co­mer­ci­a­li­za­do o fi­lho nas­ci­do se­gun­da-feira (15), na San­ta Ca­sa, para um ca­sal; fa­to que foi de­nun­ci­a­do ano­ni­ma­men­te ao Con­se­lho Tu­te­lar de Sa­ran­di.

O be­bê foi afas­ta­do da fa­mí­lia, le­va­do ini­ci­al­men­te para o Abri­go Mu­ni­ci­pal, mas pas­sa­rá aos cui­da­dos do pro­gra­ma Fa­mí­lia Aco­lhe­do­ra en­quan­to cor­re a apu­ra­ção.

Avi­sa­do pelo ór­gão do mu­ni­cí­pio vi­zi­nho, o Con­se­lho Tu­te­lar de Ma­rin­gá pas­sou a acom­pa­nhar o ca­so. Jun­ta­men­te com a Po­lí­cia Mi­li­tar, a equi­pe se­guiu até o en­de­re­ço in­di­ca­do pe­la mãe na fi­cha do hos­pi­tal, onde ela não foi en­con­tra- da. Uma mu­lher que lá es­ta­va pas­sou um segundo en­de­re­ço, des­ta vez do ca­sal de­nun­ci­a­do.

O ho­mem acu­sa­do con­tou que te­ve um ca­so ex­tra­con­ju­gal com a mãe da cri­an­ça e, me­ses após o fim do re­la­ci­o­na­men­to, foi avi­sa­do por um ami­go da gra­vi­dez. Ele con­fes­sou à es­po­sa a trai­ção, que ini­ci­al­men­te se mos­trou bra­va, mas de­pois pas­sou a aju­dar a ges­tan­te com di­nhei­ro, rou­pas e man­ti­men­tos.

Mãe de ou­tros três fi­lhos, a mu­lher te­ria di­to não pos­suir con­di­ções fi­nan­cei­ras de cui­dar da cri­an­ça, dei­xan­do que o ca­sal fi­cas­se com ela de­pois do nas­ci­men­to. Após o par­to, o be­bê foi para a re­si­dên­cia dos no­vos pais, en­quan­to o ho­mem te­ria le­va­do a exa­man­te para a ca­sa de­la em Sa­ran­di, lo­cal onde re­ce­beu a visita da PM e do con­se­lho.

Qu­es­ti­o­na­da, a mãe ale­gou que o fi­lho te­ria si­do se­ques- tra­do, ne­gou qual­quer ne­go­ci­a­ção de di­nhei­ro, po­rém, con­fir­mou ter re­ce­bi­do ali­men­tos dos su­pos­tos au­to­res do rap­to. “Ela foi le­va­da à de­le­ga­cia e sus­ten­tou a ver­são do rap­to, mas a gen­te pra­ti­ca­men­te já des­car­tou es­sa hi­pó­te­se, pois ela não pro­cu­rou a po­lí­cia em ne­nhum mo­men­to”, con­ta o con­se­lhei­ro tu­te­lar Car­los Bonfim.

A Po­lí­cia Ci­vil vai ini­ci­ar a in- ves­ti­ga­ção a partir de se­gun­da­fei­ra (22). No bo­le­tim de ocor­rên­cia, es­tá re­gis­tra­do “não há ma­te­ri­a­li­da­de su­fi­ci­en­te para com­pro­var a ne­go­ci­a­ção da cri­an­ça, ha­ven­do ne­ces­si­da­de de di­la­ção pro­ba­tó­ria, in­clu­si­ve a re­a­li­za­ção de exa­me de DNA.”

Uma pes­soa ha­via pro­me­ti­do se apre­sen­tar on­tem, com in­for­ma­ções sobre a su­pos­ta compra do be­bê, o que não acon­te­ceu, segundo o Con­se­lho Tu­te­lar. A di­re­to­ra do Abri­go Mu­ni­ci­pal, Ja­ne Fer­mi­no Rodrigues, in­for­mou que o me­ni­no fi­ca­rá aos cui­da­dos de uma fa­mí­lia tem­po­rá­ria, trei­na­da para re­ce­bê-lo.

“Ele é sau­dá­vel e cal­mo. Es­sa equi­pe do Fa­mí­lia Aco­lhe­do­ra fi­ca­rá res­pon­sá­vel pelo acom­pa­nha­men­to do ca­so, da in­ves­ti­ga­ção e vai in­for­mar ao juiz das pos­si­bi­li­da­des, in­clu­si­ve da des­ti­tui­ção se for o ca­so”, ex­pli­ca.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.