Lu­la e Dil­ma re­ce­be­ram pro­pi­na, apon­ta de­la­tor

O Diario do Norte do Parana - - GERAL - ///AE

O ter­mo de co­la­bo­ra­ção 1 do em­pre­sá­rio Jo­es­ley Ba­tis­ta, do Gru­po JBS, des­cre­ve o flu­xo de du­as ‘con­tas-cor­ren­tes’ de pro­pi­na no ex­te­ri­or, cu­jos be­ne­fi­ciá­ri­os se­ri­am os ex-pre­si­den­tes Luiz Iná­cio Lu­la da Silva e Dil­ma Rous­seff. O em­pre­sá­rio in­for­mou à Pro­cu­ra­do­ri­aGe­ral da Re­pú­bli­ca que o sal­do das du­as con­tas ba­teu em US$ 150 mi­lhões em 2014. Ele dis­se que o ex-mi­nis­tro Gui­do Man­te­ga (Fa­zen­da/Go­ver­nos Lu­la e Dil­ma) ope­ra­va as con­tas.

O de­la­tor in­for­mou que em 2009 des­ti­nou uma con­ta a Lu­la e no ano se­guin­te, ou­tra para Dil­ma. Jo­es­ley re­ve­lou que em dezembro de 2009, o Ban­co Na­ci­o­nal de De­sen­vol­vi­men­to Econô­mi­co e So­ci­al (BNDES) ad­qui­riu de de­bên­tu­res da JBS, con­ver­ti­das em ações, no va­lor de US$ 2 bi­lhões, “para apoio do plano de ex­pan­são” na­que­le ano.

“O de­po­en­te es­cri­tu­rou em fa­vor de Gui­do Man­te­ga, por con­ta des­se ne­gó­cio, cré­di­to de US$ 50 mi­lhões e abriu con­ta no ex­te­ri­or, em no­me de offsho­re que con­tro­la­va, na qual de­po­si­tou o va­lor”, re­la­tou Jo­es­ley.

Segundo o em­pre­sá­rio, em reu­nião com Man­te­ga, no fi­nal de 2010, o pe­tis­ta pe­diu a ele “que abris­se uma no­va con­ta, que se des­ti­na­ria a Dil­ma”. “O de­po­en­te per­gun­tou se a con­ta já exis­ten­te não se­ria su­fi­ci­en­te para os de­pó­si­tos dos va­lo­res a se­rem pro­vi­si­o­na­dos, ao que Gui­do res­pon­deu que esta era de Lu­la, fa­to que só en­tão pas­sou a ser do co­nhe­ci­men­to do de­po­en­te”, con­tou o em­pre­sá­rio”. “O de­po­en­te in­da­gou se Lu­la e Dil­ma sa­bi­am do es­que­ma, e Gui­do con­fir­mou que sim.

De­fe­sa

Em no­ta, os ad­vo­ga­dos Cris­ti­a­no Za­nin Mar­tins e Ro­ber­to Tei­xei­ra, que de­fen­dem Lu­la, afir­mam: “Ve­ri­fi­ca-se nos pró­pri­os tre­chos va­za­dos à im­pren­sa que as afir­ma­ções de Jo­es­ley Ba­tis­ta em re­la­ção a Lu­la não de­cor­rem de qual­quer con­ta­to com o ex­Pre­si­den­te, mas sim de su­pos­tos diá­lo­gos com ter­cei­ros, que se­quer­fo­ram­com­pro­va­dos.

A ver­da­de é que a vi­da de Lu­la e de seus fa­mi­li­a­res foi - ile­gal­men­te - de­vas­sa­da pe­la Ope­ra­ção La­va Ja­to. To­dos os si­gi­los - ban­cá­rio, fis­cal e con­tá­bil - fo­ram le­van­ta­dos e ne­nhum va­lor ilí­ci­to foi en­con­tra­do, evi­den­ci­an­do que Lu­la é ino­cen­te. Sua ino­cên­cia tam­bém foi con­fir­ma­da pelo de­poi­men­to de mais de uma cen­te­na de tes­te­mu­nhas já ou­vi­das - com o com­pro­mis­so de di­zer a ver­da­de - que ja­mais con­fir­ma­ram qual­quer acu­sa­ção con­tra o ex-Pre­si­den­te.”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.