Pra­ça vi­ra re­fú­gio de sem-te­tos

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Pau­li­ne Al­mei­da ma­rin­ga@odi­a­rio.com

En­de­re­ço em bair­ro no­bre de Ma­rin­gá vi­ra mo­ra­da de trio, que so­bre­vi­ve fa­zen­do ar­te­sa­na­to e atu­an­do co­mo fla­ne­li­nha Ál­co­ol e dro­gas são com­pa­nhi­as pa­ra a vi­da pe­ri­go­sa e so­li­tá­ria

Um dos sím­bo­los da Vi­la Ma­rumby, na Zo­na 2 de Ma­rin­gá, é a Pra­ça de To­dos os San­tos. Ao seu re­dor es­tão te­a­tro Re­vi­ver, Ce­mi­té­rio Mu­ni­ci­pal, co­mér­ci­os, fei­ras, fo­od trucks, além de pon­tos de ôni­bus e tá­xi. En­quan­to mui­tas pes­so­as ape­nas pas­sam pe­lo lo­cal, ou­tras mo­ram ne­le. Re­cen­te­men­te, hou­ve um au­men­to no nú­me­ro de mo­ra­do­res em si­tu­a­ção de rua na pra­ça, o que ge­rou re­cla­ma­ções.

João Bos­co Mar­tins da Sil­va, 31 anos, é do­no de uma aca­de­mia e proi­biu os an­da­ri­lhos de fi­ca­rem em fren­te ao lo­cal após re­ce­ber re­la­tos de alu­nos com me­do, es­pe­ci­al­men­te mu- lhe­res. “Eles che­gam, abor­dam, al­guns dro­ga­dos, al­co­o­li­za­dos. Ti­nha uma mu­lher que não que­ria vol­tar pa­ra a aca­de­mia, ela fi­cou mui­to as­sus­ta­da.”

Es­ta se­ma­na, Sil­va che­gou a aci­o­nar a Po­lí­cia Mi­li­tar três ve­zes, po­rém, acre­di­ta que é um pro­ble­ma que pre­ci­sa ser tra­ta­do pe­la prefeitura. “Eles não que­rem tra­ba­lhar, não que­rem ser aju­da­dos”, opi­na. O ví­cio em ál­co­ol e dro­gas exis­te, mas os mo­ra­do­res afir­mam que que­rem e pre­ci­sam de apoio pa­ra dei­xar a rua.

O au­men­to de pes­so­as na pra­ça é pe­rió­di­co. Mes­mo quan­do o nú­me­ro di­mi­nui, res­tam os ha­bi­tan­tes ‘fi­xos’ e o pro­ble­ma so­ci­al que eles re­pre­sen­tam. Co­mo a vi­da na rua é pe­ri­go­sa e so­li­tá­ria, eles se or­ga­ni­zam em pe­que­nos gru­pos, co­mo o que reú­ne Na­ta­li­no Gon­çal­ves, 53, Mar­co Antô­nio de Li­ma, 38, e Mar­lon Luiz Sil­va San­tos, 23.

Na­ta­li­no é o mais ex­pe­ri­en­te, com qua­se 30 anos de rua en­tre idas e vin­das. Na car­tei­ra de tra­ba­lho com um cor­te, he­ran­ça de um rou­bo em foi ata­ca­do com uma fa­ca, mos­tra o úl­ti­mo re­gis­tro, de mar­ço de 2014 com o sa­lá­rio de R$ 1.250. Per­deu o con­ta­to com a fa­mí­lia por cau­sa das dro­gas, tro­ca­das ho­je pe­la “pin­ga”, se­gun­do ele, que re­cla­ma das pou­cas va­gas exis­ten­tes na Agên­cia do Tra­ba­lha­dor.

O mais fa­lan­te, Mar­co Antô­nio, afir­ma que que­ria uma ca­sa e um em­pre­go pa­ra re­co­me­çar. “Que­ro jo­gar com mi­nhas pró­pri­as for­ças”, diz, no en­tan­to, es­bar­ra no ví­cio. Co­me­çou chei­ran­do co­la, ‘evo­luiu’ pa­ra a ma­co­nha, ál­co­ol e crack. Ain­da jo­vem, pas­sou por uma ca­sa de re­cu­pe­ra­ção em Bra­sí­lia, ca­sou-se de vol­ta a Ma­rin­gá e fi­cou ‘lim­po’ por um tem­po.

“Mi­nha mu­lher não gos­ta­va que eu be­bia por­que é evan­gé­li­ca. Ho­je, ela não quer o di­vór­cio por­que acre­di­ta que eu pos­so me re­ge­ne­rar”, re­la­ta o pai de cin­co fi­lhos, que já che­gou a se in­ter­nar no hos­pi­tal psi­quiá­tri­co pa­ra fu­gir das dro­gas. “Eu não sou lou­co. Têm pes­so­as que têm me­do da gen­te e eu não cul­po elas, mas não vem me cha­mar de va­ga­bun­do.”

Já Mar­lon, o mais no­vo, fa­la bai­xo e tem um olhar tris­te. Caiu na rua ce­do pa­ra fu­gir dos pro­ble­mas de ca­sa, on­de es­ta­va a mãe que be­bia e os se­te ir­mãos. “Rua é igual dro­ga, vi­cia, mas não é vi­da pa­ra nin­guém.” Pa­ra con­se­guir dinheiro, o trio cui­da de car­ros e faz ar­te­sa­na­to. Mo­ra­do­res há tem­pos da Pra­ça de To­dos os San­tos, não gos­tam quan­do che­gam fo­ras­tei­ros de ou­tras ci­da­des.

Pu­xa­dos pe­la sen­sa­ção de li­ber­da­de da rua, pe­lo ví­cio e o des­gas­te dos vín­cu­los fa­mi­li­a­res, os três e mais tan­tos se­guem ten­do o céu co­mo te­to.

Se in­co­mo­dam a al­guns, a ou­tros tra­zem com­pai­xão. “São le­gais, têm ami­za­de com to­do mun­do”, diz o fre­tis­ta Vil­mar Go­bi. “São bons e ta­len­to­sos, mas be­bem mais pin­ga que água”, la­men­ta o tam­bém fre­tis­ta Paulo Sai­to.

—FOTO: JC FRAGOSO

A RUA É MI­NHA MO­RA­DA. Mar­lon, Mar­co Antô­nio e Na­ta­li­no: his­tó­ri­as de vi­da di­fe­ren­tes que se en­con­tra­ram na Pra­ça de To­dos os San­tos

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.