Mo­ra­do­res es­pe­ram par­que na zo­na sul há 9 anos

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Luiz Fer­nan­do Car­do­so luiz­fer­nan­do@odi­a­rio.com

Por pe­lo me­nos dois pro­ces­sos elei­to­rais, mo­ra­do­res dos bair­ros San­ta Fe­li­ci­da­de, Jar­dim Uni­ver­so, Jar­dim Ipa­ne­ma e Con­jun­to João de Bar­ro, em Ma­rin­gá, ou­vi­ram fa­lar so­bre a cons­tru­ção de uma be­la área de la­zer na zo­na sul.

Ba­ti­za­do de Par­que Trópico de Capricórnio, a pro­mes­sa fi­cou no dis­cur­so e, ho­je, os mo­ra­do­res já não acre­di­tam mais que o par­que pla­ne­ja­do pa­ra a área das an­ti­gas “la­go- as de es­ta­bi­li­za­ção” da Sa­ne­par sai­rá do pa­pel.

“O par­que ia va­lo­ri­zar a pe­ri­fe­ria, a clas­se mais bai­xa. A gen­te acre­di­ta­va que fos­se au­men­tar a va­lo­ri­za­ção dos imó­veis, in­clu­si­ve dos vi­zi­nhos ri­cos (con­do­mí­ni­os fe­cha­dos)”, diz o do­no de mer­ce­a­ria Le­an­dro de Pau­la, 32 anos, mo­ra­dor do Con­jun­to João de Bar­ro há 22.

“Nun­ca mais nin­guém veio aqui fa­lar com a gen­te (so­bre o par­que)”, fa­la o apo­sen­ta­do Si­dão Au­gus­to Luiz, 67, mo­ra­dor do San­ta Fe­li­ci­da­de há 30 anos.

O pro­je­to ti­nha, de fa­to, tu­do pa­ra va­lo­ri­zar a re­gião. Em ho­me­na­gem ao Trópico de Capricórnio – a li­nha ima­gi­ná­ria pas­sa so­bre a ci­da­de –, a re­ser­va na­tu­ral te­má­ti­ca abri­ga­ria mu­seu, bos­que com tri­lhas, lan­cho­ne­te, mi­ran­te e pe­da­li­nho, pis­ta de ro­li­mã, en­tre ou­tras atra­ções.

O par­que tam­bém te­ria um me­mo­ri­al com in­for­ma­ções “de to­dos os 11 paí­ses dos três con­ti­nen­tes cor­ta­dos pe­lo Trópico de Capricórnio”.

À épo­ca da pri­mei­ra apre­sen­ta­ção do pro­je­to a li­de­ran­ças mu­ni­ci­pais, em ju­nho de 2008, na As­so­ci­a­ção Co­mer­ci­al e Em- pre­sa­ri­al de Ma­rin­gá (Acim), a pro­pos­ta do en­tão pre­fei­to Sil­vio Bar­ros (PP) em­pol­gou – e te­ve gran­de re­per­cus­são na im­pren­sa lo­cal.

Qua­se no­ve anos de­pois, a pro­pos­ta de um Par­que Trópico de Capricórnio ain­da é con­si­de­ra­da boa, tan­to pe­los ex-pre­fei­tos Sil­vio e Car­los Ro­ber­to Pu­pin (PP) – que in­cluí­ram a re­ser­va am­bi­en­tal em su­as pro­mes­sas de cam­pa­nha – qu­an­to do atu­al pre­fei­to, Ulis­ses Maia (PDT), que não pro­me­teu o par­que.

“A ideia ain­da é boa. Ma­rin­gá me­re­ce um Par­que Tró­pi- co de Capricórnio, mas te­ria de ser em ou­tro lu­gar”, co­men­ta Sil­vio, sob a ale­ga­ção que pro­ble­mas en­vol­ven­do a in­de­ni­za­ção de her­dei­ros da área in­vi­a­bi­li­zou a exe­cu­ção do pro­je­to.

“A Jus­ti­ça de­ter­mi­nou que eles (her­dei­ros) têm di­rei­to à área, en­tão, o ter­re­no foi pas­sa­do pa­ra eles. A prefeitura não exe­cu­tou o par­que por­que não po­de usar aque­la área, a me­nos que de­sa­pro­prie e in­de­ni­ze”, diz o ex-pre­fei­to. A mes­ma ale­ga­ção – da in­vi­a­bi­li­da­de de uso da área – foi fei­ta por Pu­pin.

Oa­tu­al­pre­fei­to­diz­não­des­car- tar a pos­si­bi­li­da­de de exe­cu­tar o pro­je­to, po­rém es­cla­re­ce que “não­e­xis­te­ne­nhum­cen­ta­vo­pre­vis­to­pa­ra­o­par­que”.“Ai­dei­aéin­te­res­san­te­e­eu­não­te­nho­pro­ble­ma ne­nhum em fa­zer obras que fo­ram pro­pos­tas por ou­tros ad­mi­nis­tra­do­res. E não é por­que pro­me­te­ram e não fi­ze­ram que não pos­sa ser fei­to”, co­men­ta Ulis­ses.

Após tan­tas pro­mes­sas pa­ra a área – que ini­ci­a­ram com o Jar­dim Bo­tâ­ni­co inau­gu­ra­do pe­lo ex-pre­fei­to Said Fer­rei­ra, na dé­ca­da de 1980 –, os mo­ra­do­res ou­vi­dos por O Diá­rio di­zem não crer mais no par­que.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.