Pre­fei­tu­ra quer di­mi­nuir gas­tos com in­de­ni­za­ções

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Luiz Fernando Car­do­so luiz­fer­nan­do@odi­a­rio.com —FO­TO: JOÃO PAU­LO SAN­TOS

Subs­ti­tui­ção de plan­tas con­de­na­das, de gran­de por­te, por es­pé­ci­es me­no­res vi­sa a re­du­zir em até 90% os cus­tos do mu­ni­cí­pio com a que­da de ár­vo­res so­bre os tú­mu­los.

A Pre­fei­tu­ra de Ma­rin­gá tem exe­cu­ta­do me­lho­ri­as no Cemitério Mu­ni­ci­pal, en­tre as quais está a subs­ti­tui­ção de ár­vo­res con­de­na­das, de gran­de por­te, por mu­das de es­pé­ci­es me­no­res. O ob­je­ti­vo prin­ci­pal da ação é re­du­zir o gas­to com in­de­ni­za­ções de­cor­ren­tes da que­da de ár­vo­res so­bre os tú­mu­los.

Ge­ren­te do Cemitério Mu­ni­ci­pal, Car­los Pa­ro­lin diz que, des­de o iní­cio do ano, 117 ár­vo­res já fo­ram re­mo­vi­das de um to­tal de 227 uni­da­des con­de­na­das. A ex­pec­ta­ti­va, se­gun­do o ge­ren­te, é ze­rar es­sa de­man­da até o fe­ri­a­do de fi­na­dos, em 2 de novembro.

Es­sa ação, ex­pli­ca Pa­ro­lin, de­ve mi­ni­mi­zar a que­da de ár­vo­res – e por con­sequên­cia as in­de­ni­za­ções – em até 90%. Ho­je, o mu­ni­cí­pio gas­ta em mé­dia R$ 4 mil com ca­da tú­mu­lo da­ni­fi­ca­do pe­la que­da de ár­vo­res.

Só es­te ano, 20 se­pul­tu­ras fo­ram que­bra­das por es­se mo­ti­vo – a úl­ti­ma de­las no dia 19 des­te mês (sex­ta-fei­ra), quan­do cho­veu for­te. “Ti­ve­mos um ca­so de se­te tú­mu­los da­ni­fi­ca­dos com a que­da de uma úni­ca ár­vo­re”, re­la­ta o ser­vi­dor Gaú­cho, au­xi­li­ar de Pa­ro­lin no cemitério.

Nes­se pro­ces­so de re­po­si­ção de ár­vo­res con­de­na­das, os im­po­nen­tes ja­ca­ran­dá-mi­mo­so, ipê-ro­sa e si­bi­pi­ru­na es­tão sen­do subs­ti­tuí­dos por ár­vo­res de me­nor por­te, co­mo a aro­ei­ra sal­sa e a aro­ei­ra-ver­me­lha. Am­bas as es­pé­ci­es são na­ti­vas da re­gião.

Re­for­mas

A lis­ta de me­lho­ri­as exe­cu­ta­das pe­la Se­musp no cemitério vai além da re­po­si­ção de ár­vo­res. Os tra­ba­lhos in­clu­em re­for­mu­la­ção da jar­di­na­gem, com tro­ca de flo­res e va­sos; des­bar­ra e po­da de ár­vo­res; co­lo­ca­ção de pi­sos em cor­re­do­res de bri­ta e ter­ra; e a cons­tru­ção de 300 no­vas car­nei­ras que, de acor­do com Pa­ro­lin, de­vem aten­der à de­man­da de se­pul­ta­men­tos pa­ra es­te ano.

A co­lo­ca­ção de pi­so tem si­do fei­ta por ser­vi­do­res mu­ni­ci­pais com ma­te­ri­al re­a­pro­vei­ta­do, co­mo os blo­que­tes re­ti­ra­dos re­cen­te­men­te do can­tei­ro cen­tral da Ave­ni­da Cer­ro Azul – que re­ce­be­rá ci­clo­via. “Pe­di- mos pa­ra re­ti­ra­rem com cui­da­do o pi­so lá da Cer­ro Azul, por­que já que­ría­mos re­a­pro­vei­tar pa­ra fa­zer a cal­ça­da aqui no cemitério”, ex­pli­ca Vag­ner de Oli­vei­ra, se­cre­tá­rio da Se­musp.

O se­cre­tá­rio diz que o re­a­pro­vei­ta­men­to do ma­te­ri­al per­mi­te aten­der a uma ne­ces­si­da­de dos fre­quen­ta­do­res do cemitério sem gas­tos com uma even­tu­al li­ci­ta­ção pa­ra o no­vo pi­so. “Ha­via a ne­ces­si­da­de des­sa cal­ça­da, por­que o cemitério é fre­quen­ta­do por mui­ta gen­te, em es­pe­ci­al por pes­so­as de mais ida­de”, co­men­ta. Nos cál­cu­los de Pa­ro­lin, a pre­fei­tu­ra te­ria gas­ta­do pe­lo me­nos R$ 85 mil se ti­ves­se op­ta­do pe­la com­pra de um pi­so no­vo.

DANO. Ge­ren­te do Cemitério, Car­los Pa­ro­lin, mos­tra um dos se­te tú­mu­los da­ni­fi­ca­dos com a que­da de ár­vo­re.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.