Ser­vi­do­res fe­de­rais se mo­bi­li­zam con­tra con­ge­la­men­to do re­a­jus­te

O Diario do Norte do Parana - - ECONOMIA - Agên­cia Es­ta­do eco­no­mia@odi­a­rio.com

Sin­di­ca­tos ale­gam des­cum­pri­men­to de acor­do na pro­pos­ta es­tu­da­da pe­lo go­ver­no e já dis­cu­tem pa­ra­li­sa­ções Me­di­das pa­ra re­du­zir gas­tos com pes­so­al de­vem ser apre­sen­ta­das nos pró­xi­mos di­as

En­quan­to o go­ver­no define o ta­ma­nho do pa­co­te de me­di­das pa­ra re­du­zir os gas­tos com pes­so­al, o fun­ci­o­na­lis­mo se pre­pa­ra pa­ra o em­ba­te. Re­pre­sen­tan­tes de di­fe­ren­tes sin­di­ca­tos têm man­ti­do reu­niões pa­ra tra­çar es­tra­té­gi­as con­tra o adi­a­men­to do re­a­jus­te de 2018 pa­ra 2019 e ou­tras me­di­das, co­mo a li­mi­ta­ção do sa­lá­rio ini­ci­al de ca­te­go­ri­a­sa­cer­ca­deR$5mil.

Vá­ri­as car­rei­ras já co­me­çam a dis­cu­tir pa­ra­li­sa­ções. A pres­são tam­bém se­rá gran­de no Con­gres­so Na­ci­o­nal. Co­mo os au- men­tos es­tão pre­vis­tos em lei, qual­quer mu­dan­ça te­rá que pas­sar pe­lo aval dos de­pu­ta­dos e se­na­do­res. O adi­a­men­to de­ve ser en­vi­a­do por me­di­da pro­vi­só­ria, o que ga­ran­ti­ria a en­tra­da ime­di­a­ta em vi­gor e já tra­ria eco­no­mia pa­ra­o­go­ver­no.

“Se­rá uma pres­são mui­to gran­de em ci­ma dos par­la­men­ta­res. É des­cum­pri­men­to dos acor­dos, o go­ver­no tem que res­pei­tar a se­gu­ran­ça ju­rí­di­ca tam­bém pa­ra os ser­vi­do­res”, afir­ma o pre­si­den­te do Sin­di­ca­to Na­ci­o­nal dos Fun­ci­o­ná­ri­os do Ban­co Cen­tral, Jor­dan Pe­rei­ra.

As ca­te­go­ri­as tam­bém ame­a­çam re­cor­rer ao Ju­di­ciá­rio pa­ra der­ru­bar as me­di­das. “Com cer- te­za uma das al­ter­na­ti­vas se­rá re­cor­rer à Jus­ti­ça. Não va­mos acei­tar que o go­ver­no jo­gue is­so na con­ta dos ser­vi­do­res. É um des­mon­te do ser­vi­ço pú­bli­co fe­de­ral”, afir­mou o pre­si­den­te do Sin­di­ca­to Na­ci­o­nal dos Au­di­to­res Fis­cais (Sin­di­fis­co), Cláu­dio Da­mas­ce­no.

Os sin­di­ca­lis­tas cri­ti­cam a li­mi­ta­ção do sa­lá­rio ini­ci­al do fun­ci­o­na­lis­mo. “Vai cau­sar fal­ta de atra­ti­vi­da­de. À me­di­da que vai re­ti­ran­do to­dos os atra­ti­vos, vo­cê aca­ba com­pro­me­ten­do a qua­li­da­de do ser­vi­ço pú­bli­co”, afir­mouC­láu­di­oDa­mas­ce­no.

Car­rei­rão

No fim de 2015, o go­ver­no con- ce­deu re­a­jus­te 10,8%, par­ce­la­do em dois anos pa­ra o cha­ma­do “car­rei­rão do Exe­cu­ti­vo”, for­ma­do em sua mai­o­ria por fun­ci­o­ná­ri­os da bu­ro­cra­cia ad­mi­nis­tra­ti­va.

Pa­ra as car­rei­ras de Es­ta­do, que são for­ma­das por fun­ci­o­ná­ri­os ge­ral­men­te de sa­lá­ri­os mais ele­va­dos e que atu­am em áre­as co­mo ar­re­ca­da­ção, fis­ca­li­za­ção e se­gu­ran­ça, o au­men­to foi de 27,9% em qua­tro anos: 5,5% em 2016; 6,99% em 2017; 6,65% em 2018; e 6,31% em 2019. São es­ses os ser­vi­do­res que se­rão atin­gi­dos ago­ra pe­lo adi­a­men­to, en­tre eles au­di­to­res da Re­cei­ta, Po­li­ci­ais Fe­de­rais, ana­lis­tas do Te­sou­roNa­ci­o­na­le­doBan­coCen­tral.

Ape­sar das di­fi­cul­da­des fis­cais do go­ver­no, os par­la­men­ta­res são mui­tas ve­zes sen­sí­veis às rei­vin­di­ca­ções do fun­ci­o­na­lis­mo. No ano pas­sa­do, o re­a­jus­te pa­ra os ser­vi­do­res do Ju­di­ciá­rio, por exem­plo, foi apro­va­do de­pois de inú­me­ras e ba­ru­lhen­tas pa­ra­li­sa­ções em fren­te e nos cor­re­do­res do Con­gres­so Na­ci­o­nal.

Em 2016, a en­tão pre­si­den­te da Re­pú­bli­ca Dil­ma Rous­seff tam­bém te­ve que adi­ar o au­men­to já ne­go­ci­a­do com ser­vi­do­res, de ja­nei­ro pa­ra agos­to. Na­que­la épo­ca, no en­tan­to, o re­a­jus­te não es­ta­va pre­vis­to em lei, ha­via ape­nas si­do acor­da­do com as ca­te­go­ri­as.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.