Cúm­pli­ces da vi­o­lên­cia

O Diario do Norte do Parana - - CULTURA -

O fil­me é um gran­de sis­te­ma, pen­sa­do mi­li­me­tri­ca­men­te, fei­to pa­ra fun­ci­o­nar de acor­do com os di­ta­mes do di­re­tor. Um es­que­ma pa­ra de­ses­ta­bi­li­zar o espectador que, pa­ra o bem ou pa­ra o mal, po­de­rá en­con­trar-se nu­ma en­cru­zi­lha­da: é uma brin­ca­dei­ra ou um do­cu­men­tá­rio so­bre a vi­o­lên­cia?

De uma for­ma ou de ou­tra, não há es­ca­pa­tó­ria pa­ra aque­les que se per­mi­ti­rem fi­car até o fi­nal. “Funny Ga­mes”, do aus­tría­co Mi­cha­el Ha­ne­ke, re­a­li­za- do em 1997, con­ti­nua as­som­bro­so. Car­taz do Con­vi­te ao Ci­ne­ma des­te sá­ba­do, a obra de Ha­ne­ke é um pe­tar­do que co­lo­ca o espectador em xe­que, uma vez que a sua au­tor­re­fle­xão (do fil­me) es­tá lon­ge de se com­pa­rar aos fil­mes que tra­tam a vi­o­lên­cia de for­ma “acei­tá­vel”.

Es­ses pi­po­cam de for­ma as­sus­ta­do­ra nos ci­ne­mas (e ete­cé­te­ras), trans­for­man­do a vi­o­lên­cia num fe­ti­che se­xu­al sem pre­ce­den­tes. Nar­ran­do a his­tó­ria de uma fa­mí­lia de clas­se mé­dia to­ma­da de as­sal­to por dois psi­co­pa­tas em sua be­la ca­sa do la­go, “Funny Ga­mes” faz al­gu­mas das per­gun­tas mais cer­tei- Áus­tria/1997 – 104min. Di­re­ção: Mi­cha­el Ha­ne­ke Elen­co: Su­zan­ne Lothar, Ul­ri­ch Mühe e Arno Fris­ch e Lo­cal: Au­di­tó­rio Hé­lio Mo­rei­ra Qu­an­do: hoje, às 20h En­de­re­ço: Av. XV de No­vem­bro, 701 (ane­xo à Pre­fei­tu­ra) Re­a­li­za­ção: Se­cre­ta­ria Mu­ni­ci­pal de Cul­tu­ra Apoio: O Diá­rio, ma­rin­gá.com e RPC Clas­si­fi­ca­ção: 18 anos En­tra­da fran­ca

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.