Na­da de no­vo um ano após in­cên­dio

O Diario do Norte do Parana - - MARINGÁ - Luiz de Car­va­lho car­va­lho@odi­a­rio.com

No pró­xi­mo dia 29 com­ple­ta um ano que um in­cên­dio em um car­ri­nho de lan­che re­sul­tou na des­trui­ção de três es­ta­be­le­ci­men­tos da Pra­ça dos Ex­pe­di­ci­o­ná­ri­os e re­ve­lou uma sequên­cia de fa­lhas que en­vol­ve, prin­ci­pal­men­te, a pre­fei­tu­ra e o Cor­po de Bom­bei­ros.

O in­cên­dio, que co­me­çou por vol­ta das 19h45 em um bo­ti­jão do car­ri­nho de lanches do Leonel Lanches, atin­giu o pe­que­no am­bi­en­te, fe­riu du­as pes­so­as que tra­ba­lha­vam no lo­cal e aca­bou atin­gin­do os pré­di­os da Ca­sa de Car­nes Vi­tó­ria e da W Cor­re­to­res.

De acor­do com re­la­tos de quem pre­sen­ci­ou a ce­na, os da­nos po­de­ri­am ter si­do me­no­res se hou­ves­se uma ação mais efe­ti­va do Cor­po de Bom­bei­ros, que foi aci­o­na­do no mo­men­to em que o si­nis­tro co­me­çou. Fil­ma­gens, que es­tão na Jus­ti­ça, mos­tram que o pri­mei­ro car­ro de bom­bei­ros a che­gar pra­ti­ca­men­te não po­de fa­zer na­da por­que não en­con­trou água no hi­dran­te. Um se­gun­do ca­mi­nhão foi cha­ma­do, mas de­mo­rou de­vi­do ao trá­fe­go in­ten­so de iní­cio de noi­te. O re­sul­ta­do foi a des­trui­ção to­tal do açou­gue e da imo­bi­liá­ria.

Um ano após o in­ci­den­te, o co­mer­ci­an­te Leonel Eu­gê­nio Ber­nar­del­li es­tá com seu lan­che em um pré­dio da Ave­ni­da Luiz Tei­xei­ra Men­des, a cer­ca de 200 me­tros do pon­to em que fun­ci­o­nou por 15 anos, a W Cor­re­to­res re­a­briu na Rua Arthur Tho­mas, no Cen­tro da Ci­da­de, e o do­no da ca­sa de car­nes, Os­mar Fi­o­ri­ni, lu­ta pa­ra im­plan­tar um pe­que­no fri­go­rí­fi­co em Itam­bé, a 40 quilô­me­tros de Ma­rin­gá.

“Por fa­lhas da pre­fei­tu­ra e bom­bei­ros, que não fis­ca­li­za­ram o car­ri­nho de lan­che, fi­ca­mos com o pre­juí­zo”, diz Fi­o­ri­ni, que te­ve a Ca­sa de Car­ne Vi­tó­ria por 12 anos na Pra­ça dos Ex­pe­di­ci­o­ná­ri­os, tam­bém co­nhe­ci­da co­mo Pra­ça do Ca­fé Cre­mo­so. A des­trui­ção do es­ta­be­le­ci­men­to e de tu­do que ti­nha den­tro re­sul­tou em um pre­juí­zo de apro­xi­ma­da­men­te R$ 200 mil.

Os ad­vo­ga­dos da ca­sa de car­ne e da imo­bi­liá­ria aci­o­na­ram na Jus­ti­ça tan­to o pro­pri­e­tá­rio do car­ri­nho de lanches quan­to a pre­fei­tu­ra e o bom­bei­ro. Se­gun­do eles, há uma sé­rie de er­ros, a co­me­çar pe­la con­ces­são de al­va­rá pa­ra uma pes­soa que não se en­qua­dra na Lei Mu­ni­ci­pal que de­ter­mi­na que car­ri­nhos de lanches em Ma- rin­gá só po­dem ser au­to­ri­za­dos pa­ra por­ta­do­res de de­fi­ci­ên­cia fí­si­ca ou apo­sen­ta­dos. Se­gun­do por não fis­ca­li­zar, per­mi­tin­do que cin­co bo­ti­jões fos­sem de­po­si­ta­dos em um es­pa­ço de me­nos de 6 me­tros qua­dra­dos, uma bom­ba em po­ten­ci­al.

A pre­fei­tu­ra in­for­mou que, após o in­ci­den­te, foi fei­to o ca­das­tra­men­to de cer­ca de 150 car­ri­nhos de lanches, ago­ra a Se­cre­ta­ria de As­sis­tên­cia So­ci­al e Ci­da­da­nia (Sasc) vai ve­ri­fi­car se os pro­pri­e­tá­ri­os se en­qua­dram na Lei, de­pois se­rá fei­ta a fis­ca­li­za­ção, pe­la pre­fei­tu­ra e bom­bei­ros, de to­dos os car­ri­nhos.

—FO­TO: EDU COR­RÊA AR­QUI­VO/DNP

UM PE­RI­GO. In­cên­dio des­truiu car­ri­nho do Leonel Lanches há qua­se um ano.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.