Pa­ra for­ça-ta­re­fa, ví­ti­ma e cre­do­ra é a Pe­tro­brás

O Estado de S. Paulo - - Política - / R.B. e J.A.

O Mi­nis­té­rio Pú­bli­co Fe­de­ral e ad­vo­ga­dos dos réus são con­tra a te­se da Pro­cu­ra­do­ria-Ge­ral da Fa­zen­da Na­ci­o­nal. Pa­ra a for­ça­ta­re­fa da Ope­ra­ção La­va Ja­to, a co­bran­ça pe­la União equi­va­le a bus­car com a ví­ti­ma – no ca­so, a Pe­tro­brás – a tri­bu­ta­ção de­vi­da por cri­mi­no­sos.

“Sig­ni­fi­ca­ria na­da mais na­da me­nos do que obri­gar a ví­ti­ma a qui­tar os tri­bu­tos que são de­vi­dos por ter­cei­ros”, dis­se o pro­cu­ra­dor re­gi­o­nal da Re­pú­bli­ca Ja­nuá­rio Pa­lu­do. Se­gun­do ele, “a Fa­zen­da Na­ci­o­nal não é ví­ti­ma de da­no, se­não por me­ra fic­ção do lan­ça­men­to (fis­cal)”.

Em pa­re­cer à Jus­ti­ça, o MPF ci­tou o ca­so de uma bi­ci­cle­ta fur­ta­da. “Evi­den­te­men­te que o me­li­an­te te­ve acrés­ci­mo pa­tri­mo­ni­al que po­de ser tri­bu­ta­do. Con­tu­do, a bi­ci­cle­ta de­ve ser res­ti­tuí­da a seu pro­pri­e­tá­rio, sem que a Re­cei­ta fi­que com uma das ro­das co­mo for­ma de pa­ga­men­to do cré­di­to tri­bu­tá­rio.”

Pa­ra o MPF, é “in­viá­vel que­rer a Fa­zen­da Na­ci­o­nal ex­pro­pri­ar da pró­pria União – de­la mes­ma e da Pe­tro­brás – bens e va­lo­res pa­ra qui­ta­ção do cré­di­to tri­bu­tá­rio, sem afron­ta ao jul­ga­men­to da ação”.

O cri­mi­na­lis­ta Re­né Ari­el Dot­ti, que re­pre­sen­ta a Pe­tro­brás co­mo as­sis­ten­te de acu­sa­ção, dis­se que a es­ta­tal tem pri­o­ri­da­de. “Nós sus­ten­ta­mos des­de o iní­cio que o pro­du­to ar­re­ca­da­do com os inqué­ri­tos de­ve­ria re­ver­ter pa­ra a Pe­tro­brás e não pa­ra a União. A Pe­tro­brás é cre­do­ra dis­so, por­que ela é ví­ti­ma. De acor­do com o Có­di­go Pe­nal, o pro­du­to do cri­me re­ver­te pa­ra União, res­sal­va­do o di­rei­to de ter­cei­ro e da ví­ti­ma. E ela é ví­ti­ma.”

Roberto Pod­val, ad­vo­ga­do do ex-mi­nis­tro Jo­sé Dir­ceu, afir­mou em ar­gu­men­ta­ção a Sér­gio Mo­ro que o pe­di­do da Fa­zen­da Na­ci­o­nal é in­con­gru­en­te e que ele não é o juiz pa­ra ana­li­sar a de­man­da. “As in­con­gruên­ci­as não pa­ram por aí. Ao mes­mo tem­po em que re­quer, cri­mi­nal­men­te, a ga­ran­tia de res­sar­ci­men­to de da­nos cau­sa­dos por su­pos­to cri­me con­tra a or­dem tri­bu­tá­ria, a Fa­zen­da Na­ci­o­nal afir­ma ‘que Jo­sé Dir­ceu exer­cia ati­vi­da­de ex­clu­si­va­men­te ilí­ci­ta’. Ou se­ja, o que a au­to­ra pre­ten­de, me­di­an­te a cau­te­lar, é le­var aos co­fres pú­bli­cos va­lo­res que afir­ma se­rem pro­ve­ni­en­tes de atos ilí­ci­tos. Na­da mais con­tra­di­tó­rio”, dis­se Pod­val.

DE­NIS FER­REI­RA NET­TO/ESTADÃO - 29/8/2017

As­sis­ten­te de acu­sa­ção. Pa­ra Dot­ti, es­ta­tal tem pri­o­ri­da­de

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.