FA­MÍ­LIA SE LIVRA DO CA­TI­VEI­RO TALEBAN

Se­ques­tra­do pe­lo Haqqa­ni, ca­sal te­ve 3 fi­lhos

O Estado de S. Paulo - - Internacional -

Uma mu­lher ame­ri­ca­na e seu ma­ri­do ca­na­den­se man­ti­dos re­féns de mi­li­tan­tes no Afe­ga­nis­tão ha­via cin­co anos fo­ram li­ber­ta­dos com seus fi­lhos. Du­ran­te o pe­río­do em que di­plo­ma­tas e agen­tes do FBI (po­lí­cia fe­de­ral ame­ri­ca­na) ten­ta­ram sua li­ber­ta­ção, o ca­sal te­ve três fi­lhos em ca­ti­vei­ro.

As For­ças Ar­ma­das do Pa­quis­tão i nfor­ma­ram que “por meio de uma operação de in­te­li­gên­cia”, cer­ca­ram na quar­ta-fei­ra o lo­cal on­de a re­de Haqqa­ni – uma fac­ção taleban que atua na fron­tei- ra do Pa­quis­tão com o Afe­ga­nis­tão – vi­nha man­ten­do os re­féns Cai­tlan Co­le­man, de 31 anos, e seu ma­ri­do, Joshua Boy­le, de 34, des­de 2012. O Exér­ci­to pa­quis­ta­nês pro­me­teu re­pa­triá­los. As agên­ci­as de in­te­li­gên­cia ame­ri­ca­nas es­ta­vam se­guin­do os pas­sos dos re­féns e sa­bi­am que eles ha­via cru­za­do as aci­den­ta­das áre­as tri­bais pa­quis­ta­ne­sas.

O pre­si­den­te Do­nald Trump afir­mou que sua ad­mi­nis­tra­ção e o go­ver­no pa­quis­ta­nês tra­ba­lha­ram jun­tos para li­ber­tá-los, mas uma fon­te ame­ri­ca­na as­se­gu­rou ao jor­nal The New York Ti­mes que o ser­vi­ço de in­te­li- gên­cia do Pa­quis­tão foi o res­pon­sá­vel por pla­ne­jar a li­ber­ta­ção da fa­mí­lia após ser pres­si­o­na­do por Washing­ton. O jor­nal afir­mou que não es­ta­va cla­ro se al­gu­ma ou qual con­ces­são foi feita à re­de Haqqa­ni para ga­ran­tir a li­ber­ta­ção da fa­mí­lia.

O ca­sal foi se­ques­tra­do em ou­tu­bro de 2012 en­quan­to vi­a­ja­va co­mo mo­chi­lei­ro pe­la Pro­vín­cia de War­dak, um bas­tião mi­li­tan­te per­to de Ca­bul. Na épo­ca do se­ques­tro, Cai­tlan, que é da Pen­sil­vâ­nia, es­ta­va grá­vi­da e deu à luz no ca­ti­vei­ro. Nos anos se­guin­tes, ela te­ve mais du­as cri­an­ças, au­men­tan­do a pres­são para que a si­tu­a­ção fos­se re­sol­vi­da.

O ca­sal não em­bar­cou ime­di­a­ta­men­te num avião ru­mo aos EUA por cau­sa do te­mor de Boy­le de even­tu­al­men­te en­fren­tar in­ves­ti­ga­ção ame­ri­ca­na por li­ga­ções com um an­ti­go pre­so de Gu­an­tá­na­mo, dis­se um fun­ci­o­ná­rio do go­ver­no ame­ri­ca­no. Em 2009, Boy­le foi ca­sa­do por pou­co tem­po com Zay­nab Kha­dr, ir­mã do ca­na­den­se Omar Kha­dr, que pas­sou uma dé­ca­da em Gu­an­tá­na­mo – pri­são mi­li­tar ame­ri­ca­na na ilha de Cu­ba.

Fa­lan­do sob con­di­ção de ano­ni­ma­to, o mi­li­tar ame­ri­ca­no dis­se à agên­cia Fran­ce-Pres­se que a fa­mí­lia es­ta­va he­si­tan­te so­bre pe­gar o ja­to do Exér­ci­to ame­ri­ca­no.

No en­tan­to, o mi­li­tar dis­se que Boy­le não se­rá su­jei­to a ne­nhu­ma con­sequên­cia se em­bar­cas­se na ae­ro­na­ve dos EUA. Se­gun­do o Ti­mes, ele se­gui­ria para o Ca­na­dá en­quan­to a mu­lher e os fi­lhos iri­am para os EUA.

“Não é nos­sa in­ten­ção fa­zer qual­quer coi­sa as­sim. Es­ta­mos pre­pa­ra­dos para tra­zê-los para ca­sa”, afir­mou o fun­ci­o­ná­rio do Exér­ci­to.

A li­ber­ta­ção ines­pe­ra­da dos re­féns rom­pe um pe­río­do de ten­são nas re­la­ções en­tre EUA e Pa­quis­tão, após um dis­cur­so no qual Trump foi mui­to crí­ti­co com o país em agos­to pas­sa­do. “Es­se é um mo­men­to po­si­ti­vo para as re­la­ções do nos­so país com o Pa­quis­tão”, afir­mou Trump em um co­mu­ni­ca­do. “A co­o­pe­ra­ção do go­ver­no ame­ri­ca­no é um si­nal de que (o Pa­quis­tão) es­tá hon­ran­do o de­se­jo dos EUA de que fa­ça mais para for­ne­cer se­gu­ran­ça na re­gião. Es­pe­ra­mos que es­se ti­po de co­o­pe­ra­ção e tra­ba­lho con­jun­to aju­de a as­se­gu­rar a li­ber­ta­ção de re­féns ain­da man­ti­dos e, no fu­tu­ro, nos au­xi­lie nas ope­ra­ções de con­tra­ter­ro­ris­mo.”

AP

Re­féns. Cai­tlan e Joshua com fi­lhos em ví­deo em 2016

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.