Em­pa­te em 1 a 1 de Co­rinthi­ans e São Pau­lo tem arbitragem po­lê­mi­ca.

Após 1 a 1, Co­rinthi­ans re­cla­ma da arbitragem e con­ti­nua sob ris­co de cair. São Pau­lo po­de per­der lu­gar no G-4

O Estado de S. Paulo - - Primeira página - Gon­ça­lo Ju­ni­or

O em­pa­te por 1 a 1 en­tre Co­rinthi­ans e São Pau­lo, em Ita­que­ra, te­rá des­do­bra­men­tos dis­tin­tos pa­ra os rivais. Os co­rin­ti­a­nos ga­nham um alen­to pa­ra se afas­tar da zo­na de re­bai­xa­men­to com a boa atu­a­ção mesmo com dez jo­ga­do­res após a ex­pul­são de Ara­os. O ti­me tam­bém vai chi­ar con­tra a arbitragem – Da­ni­lo fez um gol le­gí­ti­mo, que não foi va­li­da­do. Os são-pau­li­nos fi­ca­rão pre­o­cu­pa­dos, pois o ti­me não con­se­guiu se im­por com um jo­ga­dor a mais e po­de per­der a vaga no G-4 ca­so o Grê­mio ven­ça o Vas­co ho­je, em Por­to Ale­gre.

O lan­ce mais po­lê­mi­co acon­te­ceu no pri­mei­ro tem­po. Quan­do o jogo es­ta­va 0 a 0, Da­ni­lo fi­na­li­zou e Je­an de­fen­deu de den­tro do gol, co­mo ates­ta­ram as câ­me­ras de te­vê. O ti­me da casa tam­bém re­cla­mou de um pê­nal­ti em Ro­me­ro não mar­ca­do pe­lo ár­bi­tro Ro­dolpho Tos­ki Mar­ques. “O ár­bi­tro atrás do gol e o ban­dei­ri­nha es­tão na li­nha da bo­la. É im­pos­sí­vel não ver que a bo­la en­trou. Eles (os ár­bi­tros) pe­di­ram per­dão pa­ra o Cás­sio du­ran­te o jogo”, re­ve­lou o pre­si­den­te An­drés San­chez. O go­lei­ro Cás­sio con­fir­mou o pe­di­do de des­cul­pas. “O adi­ci­o­nal, no meio do jogo, veio me pedir des­cul­pas pe­lo er­ro”, afir­mou.

O téc­ni­co Jair Ventura evi­tou o te­ma e pre­fe­riu des­ta­car a for­ça co­le­ti­va da equi­pe. “Ho­je é só pa­ra­béns. Uma pe­na que não saí­mos com a vi­tó­ria, que se­ria mui­to im­por­tan­te pa­ra nós pe­lo o que dei­xa­mos den­tro de cam­po. A gen­te sai tris­te por­que

não foi um re­sul­ta­do jus­to”, dis­se Jair.

Com o em­pa­te, o ti­me con­ti­nua sob ris­co de re­bai­xa­men­to. Na pró­xi­ma par­ti­da, vai en­fren­tar o Cru­zei­ro (já clas­si­fi­ca­do pa­ra a Libertadores) em Mi­nas Ge­rais. Pa­ra o trei­na­dor, o ti­me saiu for­ta­le­ci­do do clás­si­co. “Es­tá en­tre as nos­sas me­lho­res par­ti­das. Por ter jo­ga­do com um a

me­nos e por ser um clás­si­co. Foi uma par­ti­da tá­ti­ca, mas tam­bém emo­ci­o­nal”, afir­mou.

Outro lan­ce im­por­tan­te do clás­si­co acon­te­ceu no fi­nal­da eta­pa inicial quan­do Ara­os acer­tou um ta­pa no ros­to de Rei­nal­do e foi ex­pul­so. No re­tor­no pa­ra o se­gun­do tem­po, Aguir­re des­fez o es­que­ma de três za­guei­ros ao tro­car An­der­son Martins por Ever­ton. A ideia era apro­vei­tar a van­ta­gem de 11 con­tra 10. Não deu cer­to. Mesmo com um jo­ga­dor a mais, o São Pau­lo foi do­mi­na­do e cri­ou pou­cas chan­ces. Prova disso foi o gol mar­ca­do por Ralf, aos 26 mi­nu­tos. Um vo­lan­te de con­ten­ção che­gou ao ata­que pa­ra fi­na­li­zar. Em vá­ri­os ou­tros mo­men­tos do jogo era o Co­rinthi­ans que pa­re­cia ter o ti­me com­ple­to. O São Pau­lo con­se­guiu o em­pa­te na úni­ca jo­ga­da or­ga­ni­za­da do se­gun­do tem­po, com Bren­ner.

“Não fi­ze­mos um bom jogo, is­so é cla­ro. Não gos­tei do que fi­ze­mos. Se, an­tes do jogo, ti­vés­se­mos fa­la­do em um em­pa­te, tal­vez ti­ves­se si­do bom, mas não nas con­di­ções que aca­ba­mos, com um a mais. Não ti­ve­mos o con­tro­le em ne­nhum mo­men­to”, cri­ti­cou o téc­ni­co Di­e­go Aguir­re.

O em­pa­te po­de fa­zer com que o São Pau­lo per­ca a quar­ta po­si­ção na ta­be­la, aque­la que ga­ran­te vaga di­re­ta na Libertadores. O Grê­mio, quin­to co­lo­ca­do, jo­ga em casa di­an­te do Vas­co. Se vencer, ul­tra­pas­sa o São Pau­lo. A pres­são so­bre Aguir­re vai au­men­tar.

ALEX SILVA/ES­TA­DÃO

Chi­a­dei­ra. Go­lei­ro Je­an de­fen­de chu­te de Da­ni­lo

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.