Avan­ço de­mo­cra­ta

O Estado de S. Paulo - - Internacional - LOURIVAL SANT’AN­NA EMAIL: CAR­TA@LOURIVALSANTANNA.COM LOURIVAL SANT’AN­NA ES­CRE­VE AOS DO­MIN­GOS

Avi­tó­ria de­mo­cra­ta na Câ­ma­ra dos De­pu­ta­dos re­sul­tou do des­lo­ca­men­to, da di­rei­ta pa­ra o cen­tro, de elei­to­res das áre­as re­si­den­ci­ais de clas­ses mé­dia e al­ta na pe­ri­fe­ria das ci­da­des. Pe­sou tam­bém a mo­bi­li­za­ção de mu­lhe­res, ne­gros e la­ti­nos, que saí­ram da apa­tia e con­tri­buí­ram pa­ra o com­pa­re­ci­men­to de 114 mi­lhões, bem aci­ma da mé­dia em elei­ções de meio de man­da­to. Es­sa apa­tia ex­pli­cou, em gran­de me­di­da, a eleição de Trump em 2016. Igual­men­te, a ade­são dos chamados “su­búr­bi­os” às pro­mes­sas de Trump, co­mo a re­du­ção de im­pos­tos e dos pre­ços dos con­vê­ni­os de saú­de, tam­bém aju­dou a ele­ger o pre­si­den­te.

A re­for­ma tri­bu­tá­ria deu con­ti­nui­da­de ao ci­clo de cres­ci­men­to e queda do de­sem­pre­go, que já vi­nha ocor­ren­do no go­ver­no de Ba­rack Oba­ma. Por outro lado, a po­lí­ti­ca de Trump de en­fra­que­cer o sis­te­ma de saú­de cri­a­do por Oba­ma, por meio de cor­tes or­ça­men­tá­ri­os e eli­mi­na­ção de in­cen­ti­vos tri­bu­tá­ri­os, en­ca­re­ceu os con­vê­ni­os.

Por­tan­to, há uma ra­ci­o­na­li­da­de cla­ra nes­se mo­vi­men­to do elei­to­ra­do de clas­se mé­dia: os de­mo­cra­tas não re­ver­te­rão os cor­tes nos im­pos­tos, mas tra­ba­lha­rão pa­ra re­for­çar o Oba­ma­ca­re. As bol­sas de valores re­a­gi­ram po­si­ti­va­men­te, por­que os de­mo­cra­tas apoi­am a pro­pos­ta de Trump de in­ves­tir em in­fra­es­tru­tu­ra, não ame­a­çam a re­for­ma tri­bu­tá­ria nem a des­re­gu­la­ção e po­dem pôr um freio nas gu­er­ras co­mer­ci­ais de­sen­ca­de­a­das pe­lo pre­si­den­te.

As mu­lhe­res acor­da­ram um pou­co tar­de pa­ra o sig­ni­fi­ca­do da eleição de Trump pa­ra ques­tões que as afe­tam di­re­ta­men­te, co­mo o di­rei­to ao abor­to, no ca­so das li­be­rais; ou, in­ver­sa­men­te, da pre­ser­va­ção da fa­mí­lia, no ca­so de con­ser­va­do­ras, que ficaram cho­ca­das com a se­pa­ra­ção dos fi­lhos de imi­gran­tes ile­gais dos seus pais pre­sos.

Acom­pa­nhei a mar­cha das mu­lhe­res em Washing­ton, Fi­la­dél­fia e No­va York, em 2017, um dia de­pois da pos­se de Trump. Co­mo es­cre­vi em re­por­ta­gem pa­ra o ca­der­no Aliás, sen­ti um cli­ma de con­tra­cul­tu­ra, de res­pos­ta li­be­ral à on­da con­ser­va­do­ra. Ali co­me­çou a mo­bi­li­za­ção das mu­lhe­res pa­ra se lan­çar ou apoi­ar can­di­da­tas, que re­sul­tou na eleição de 100 de­pu­ta­das, 12 se­na­do­ras e 9 go­ver­na­do­ras. Des­se to­tal, 103 são de­mo­cra­tas e 18, re­pu­bli­ca­nas.

Co­bri as elei­ções de 2016, e per­ce­bi o de­sa­len­to dos elei­to­res ne­gros fren­te a Hil­lary Clin­ton. A eu­fo­ria cau­sa­da pe­la eleição de Oba­ma re­fluiu, com al­gu­mas ex­pec­ta­ti­vas não ma­te­ri­a­li­za­das e com a can­di­da­tu­ra de uma bran­ca iden­ti­fi­ca­da com o es­ta­blish­ment. Mui­tos não saí­ram pa­ra vo­tar.

O cha­ma­do “vo­to la­ti­no” sempre foi tão di­ver­so a pon­to de es­va­zi­ar o sig­ni­fi­ca­do prá­ti­co da ex­pres­são. Há os cu­ba­nos re­pu­bli­ca­nos, que odei­am os de­mo­cra­tas por iden­ti­fi­cá-los com o “so­ci­a­lis­mo” do qual fu­gi­ram; há os la­ti­nos de­mo­cra­tas, que re­jei­tam a hos­ti­li­da­de re­pu­bli­ca­na com imi­gran­tes e até con­tra Cu­ba; e há, so­bre­tu­do, os in­di­fe­ren­tes. Nas co­ber­tu­ras das três úl­ti­mas elei­ções pre­si­den­ci­ais, sempre iden­ti­fi­quei a fi­gu­ra do imi­gran­te “ar­ri­vis­ta”, que, no an­seio de se tor­nar um ame­ri­ca­no, e de­pois de ter pas­sa­do mui­tos sa­cri­fí­ci­os pa­ra al­can­çar a ci­da­da­nia, de­fen­de li­nha du­ra con­tra os in­do­cu­men­ta­dos. Eles iden­ti­fi­cam nos re­pu­bli­ca­nos a re­a­li­za­ção do sonho ame­ri­ca­no de pros­pe­ri­da­de fin­ca­da no in­di­vi­du­a­lis­mo. Apa­ren­te­men­te, Trump foi lon­ge de­mais em sua hos­ti­li­da­de, le­van­do mui­tos la­ti­nos a vo­tar pe­la pri­mei­ra vez – con­tra ele.

Tiveram me­lhor de­sem­pe­nho os de­mo­cra­tas mo­de­ra­dos e os re­pu­bli­ca­nos mais ra­di­cais. Os de­mo­cra­tas mais à es­quer­da e os re­pu­bli­ca­nos mais ao cen­tro, crí­ti­cos de Trump, tiveram me­nos vo­tos. Is­so aponta pa­ra os de­mo­cra­tas re­o­cu­pan­do o cen­tro e os re­pu­bli­ca­nos con­ti­nu­an­do a ca­mi­nhar pa­ra a di­rei­ta. E o apro­fun­da­men­to do abis­mo en­tre ame­ri­ca­nos ur­ba­nos e li­be­rais, de um lado, e ru­rais e con­ser­va­do­res, de outro.

De­mo­cra­tas mo­de­ra­dos e re­pu­bli­ca­nos ra­di­cais tiveram me­lhor de­sem­pe­nho na eleição

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.