B3 avança em se­tor da ATG, que ten­ta abrir bol­sa no País

O Estado de S. Paulo - - Economia - TORU HANAI/REU­TERS-19/5/2016

ABLK Sis­te­mas Fi­nan­cei­ros, que aca­ba de re­ce­ber uma ofer­ta vin­cu­lan­te da B3, é con­cor­ren­te da ATG, em­pre­sa do­na da ATS e que tem planos de abrir uma bol­sa de valores no Bra­sil. A BLK ofe­re­ce pla­ta­for­ma de te­las de ne­go­ci­a­ção, com ên­fa­se na cri­a­ção e de­sen­vol­vi­men­to de softwa­res e al­go­rit­mos pa­ra os mer­ca­dos de ca­pi­tais e de de­ri­va­ti­vos fi­nan­cei­ros, e sua aqui­si­ção se­rá mais um pas­so pa­ra a B3 se apro­xi­mar de seus cli­en­tes, em es­pe­ci­al dos ins­ti­tu­ci­o­nais. O avan­ço da Bol­sa bra­si­lei­ra nes­sa are­na, em que atua a ATG, foi vis­to com bons olhos no mer­ca­do.

» Se­gu­ro lá fo­ra. A se­gu­ra­do­ra ja­po­ne­sa To­kio Ma­ri­ne con­cluiu, com a che­ga­da a São Pau­lo, o pro­ces­so de in­ter­na­li­za­ção do ser­vi­ço de as­sis­tên­cia 24 ho­ras do se­gu­ro au­to­mó­vel e não de­pen­de­rá mais de par­ce­ri­as com ter­cei­ros nes­se seg­men­to. Até en­tão, so­men­te a con­cor­ren­te Por­to Se­gu­ro, lí­der no seg­men­to, fa­zia a ges­tão den­tro de casa. Des­de abril último, quan­do a To­kio ini­ci­ou o pro­je­to nas re­giões Cen­troOes­te e Nor­te, a se­gu­ra­do­ra re­ce­beu qua­se 70 mil chamados pa­ra aten­di­men­tos, que re­sul­ta­ram em cer­ca de 100 mil ser­vi­ços pres­ta­dos.

» Bai­le to­do. Ao to­do, a ini­ci­a­ti­va de tra­zer o ser­vi­ço de as­sis­tên­cia 24 ho­ras pa­ra den­tro de casa de­ve cus­tar à To­kio Ma­ri­ne R$ 20 mi­lhões em in­ves­ti­men­tos. A se­gu­ra­do­ra pla­ne­ja ofer­tar o ser­vi­ço de as­sis­tên­cia 24 ho­ras pró­prio tam­bém pa­ra ou­tros seg­men­tos a par­tir de 2019. Es­tão na mi­ra áre­as co­mo a de se­gu­ro re­si­den­ci­al, con­do­mí­nio e em­pre­sa­ri­al.

» Ca­mi­nho no­vo. A Exec e a Fe­sa, con­sul­to­ri­as es­pe­ci­a­li­za­das no re­cru­ta­men­to de exe­cu­ti­vos, es­tão em conversas com o go­ver­na­dor elei­to de Mi­nas Ge­rais pe­lo Par­ti­do No­vo, Ro­meu Ze­ma. A apro­xi­ma­ção ocor­re em meio à si­na­li­za­ção da­da por ele qu­an­to ao de­se­jo de pro­fis­si­o­na­li­zar a se­le­ção dos in­te­gran­tes do pri­mei­ro es­ca­lão de sua ad­mi­nis­tra­ção.

» Ni­cho. A ini­ci­a­ti­va do fu­tu­ro go­ver­no mi­nei­ro po­de abrir um no­vo mer­ca­do pa­ra es­sas con­sul­to­ri­as no País. Em vá­ri­os paí­ses da Europa, as­sim co­mo no Rei­no Uni­do, Aus­trá­lia e Es­ta­dos Uni­dos, o mer­ca­do pú­bli­co é uma fa­tia im­por­tan­te do fa­tu­ra­men­to do se­tor, en­quan­to no Bra­sil é um seg­men­to ine­xis­ten­te.

» Edu­ca­ção. A Start­se, ecos­sis­te­ma de star­tups cri­a­do por ex-só­ci­os da XP, es­tá de olho na in­ter­na­ci­o­na­li­za­ção e ex­pan­são de sua área de edu­ca­ção pa­ra exe­cu­ti­vos. Após abrir es­cri­tó­rio no Va­le do Si­lí­cio, nos Es­ta­dos Uni­dos, e na Chi­na, a em­pre­sa lan­çou seu pri­mei­ro pro­gra­ma de edu­ca­ção con­ti­nu­a­da na Europa. Uma de­le­ga­ção de 40 em­pre­sá­ri­os foi le­va­da a Por­tu­gal no iní­cio des­te mês pa­ra o Web­Sum­mit, um dos mai­o­res even­tos de em­pre­en­de­do­ris­mo e ino­va­ção do mun­do. Fo­ra da Europa, 1,5 mil exe­cu­ti­vos já par­ti­ci­pa­ram de cur­sos vol­ta­dos à edu­ca­ção exe­cu­ti­va fo­ra do Bra­sil, in­cluin­do paí­ses co­mo Is­ra­el e Ín­dia. A me­ta da Start­se é atin­gir 5 mil em­pre­sá­ri­os no ano que vem.

» Bom ne­gó­cio. Nos tra­ba­lhos de edu­ca­ção exe­cu­ti­va lo­cal­men­te, mais de 40 mil pes­so­as pas­sa­ram pe­los cur­sos e pa­les­tras da Start­se no Bra­sil. Es­sa li­nha de ne­gó­ci­os, cha­ma­da de “Li­fe Long Le­ar­ning”, re­pre­sen­ta a mai­or par­te do fa­tu­ra­men­to da Start­se, que pre­vê fe­char 2018 com re­cei­ta aci­ma de R$ 40 mi­lhões.

» Oti­mis­mo. A se­gu­ra­do­ra fran­ce­sa Co­fa­ce, com fo­co em se­gu­ros de cré­di­to, es­tá oti­mis­ta e es­pe­ra su­pe­rar o cres­ci­men­to de prê­mi­os em 2018. Até ju­lho, a se­gu­ra­do­ra viu seu fa­tu­ra­men­to, con­si­de­ran­do apó­li­ces pa­ra tran­sa­ções do­més­ti­cas e de ex­por­ta­ção, au­men­tar em 7,2% an­te o mesmo pe­río­do do ano pas­sa­do. Em 2017, a ex­pan­são foi de 9,3%.

» Olha a on­da. O mer­ca­do to­do cresce mais. Os prê­mi­os de se­gu­ro de cré­di­to do­més­ti­co e de ex­por­ta­ção avan­ça­ram 9,4% até ju­lho, an­te al­ta de 2,7% em 2017. Ca­mi­nha, as­sim, pa­ra vol­tar aos dois dí­gi­tos de ex­pan­são que pre­do­mi­na­ram nos anos an­te­ri­o­res. O ce­ná­rio, con­for­me a CEO da Co­fa­ce no Bra­sil, Mar­ce­le Le­mos, é de­mons­tra­ção de que a eco­no­mia es­tá re­a­que­cen­do e que as em­pre­sas es­tão bus­can­do no­vas al­ter­na­ti­vas pa­ra pro­te­ger re­ce­bí­veis.

» Aten­ta. A Oi se mo­ve pa­ra não per­der o con­ta­to com seus con­su­mi­do­res. Em re­cu­pe­ra­ção ju­di­ci­al e perto de re­ce­ber um apor­te de R$ 4 bi­lhões de aci­o­nis­tas, a te­le tro­cou 8 mi­lhões de men­sa­gens por meio de seu as­sis­ten­te vir­tu­al (chat­bot), lan­ça­do em fe­ve­rei­ro. Pe­lo WhatsApp, web e Mes­sen­ger, for­ne­ceu da­dos pa­ra pa­ga­men­to da fa­tu­ra dos pro­du­tos e su­por­te téc­ni­co em 600 mil aten­di­men­tos. Dos que bus­ca­ram o as­sis­ten­te pa­ra pa­ga­men­to, ape­nas 5% li­ga­ram de­pois ao call cen­ter.

» Ali­a­do. A tec­no­lo­gia es­tá se pro­van­do uma gran­de ali­a­da de as­ses­so­res, ges­to­res e agen­tes de in­ves­ti­men­to, gra­ças a fer­ra­men­tas de pro­ces­sa­men­to de cál­cu­los, pre­ci­fi­ca­ção de ati­vos e or­ga­ni­za­ção dos da­dos. Uma pes­qui­sa fei­ta pe­la SmartB­rain iden­ti­fi­cou au­men­to de 18% no vo­lu­me médio de ati­vos sob ges­tão de as­ses­so­res de in­ves­ti­men­to, pa­ra R$ 107,4 mi­lhões por pro­fis­si­o­nal. Ou se­ja, con­for­me as tec­no­lo­gi­as evo­lu­em, es­ses pro­fis­si­o­nais con­se­guem aten­der mais in­ves­ti­do­res.

PAU­LO WHITAKER/REU­TERS-29/10/2018

PAU­LO WHITAKER/REU­TERS-18/7/2018

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.