F1 é fon­te de ino­va­ções tec­no­ló­gi­cas pa­ra o dia a dia

No­vi­da­des apre­sen­ta­das pe­la prin­ci­pal ca­te­go­ria do automobilismo vão pa­rar em di­ver­sos se­to­res da so­ci­e­da­de, co­mo am­bi­en­tes ban­cá­rio e in­dus­tri­al

O Estado de S. Paulo - - Economia -

Atec­no­lo­gia e a Fórmula 1 sempre ace­le­ra­ram lado a lado. Em busca da ex­ce­lên­cia, a F1 de­man­da mui­tas ino­va­ções tec­no­ló­gi­cas, co­mo a in­ter­net das coisas (IoT), apli­ca­das no sen­so­ri­a­men­to de veí­cu­los. E, jun­ta­men­te com ele, a ne­ces­si­da­de de aná­li­ses de gran­des vo­lu­mes de da­dos (da­ta analy­tics), ho­je fun­da­men­tal nos am­bi­en­tes ban­cá­rio, in­dus­tri­al e edu­ca­ci­o­nal.

To­dos es­ses con­cei­tos apri­mo­ra­dos nas pis­tas es­tão pre­sen­tes nas so­lu­ções ofe­re­ci­das pa­ra go­ver­nos e em­pre­sas pe­la NEC, uma das gran­des com­pa­nhi­as de tec­no­lo­gia que es­ta­rão pre­sen­tes no GP Bra­sil, nes­te domingo, pa­tro­ci­nan­do a equi­pe For­ce In­dia.

“Mui­ta in­for­ma­ção e mui­ta tec­no­lo­gia são fun­da­men­tais ho­je na F1”, diz o fran­cês Es­te­ban Ocon, pi­lo­to da es­cu­de­ria. “E, mais do que is­so, a in­for­ma­ção de­ve tra­fe­gar e ser ana­li­sa­da em tem­po re­al, sempre bus­can­do a me­lhor per­for­man­ce.”

A trans­mis­são de da­dos em re­des mó­veis de al­tís­si­ma ve­lo­ci­da­de che­ga­rá ao Bra­sil em bre­ve, com as pri­mei­ras re­des de quin­ta ge­ra­ção. Es­sa tec­no­lo­gia abre es­pa­ço pa­ra apli­ca­ções co­mo mo­ni­to­ra­men­to de ví­deo em tem­po re­al, ci­rur­gi­as à dis­tân­cia e ações em ci­da­des in­te­li­gen­tes.

INO­VA­ÇÕES PA­RA UMA SO­CI­E­DA­DE MAIS SE­GU­RA

Re­co­nhe­ci­da pe­lo Ins­ti­tu­to Nor­te-Ame­ri­ca­no de Se­gu­ran­ça (NIST) co­mo a de­sen­vol­ve­do­ra da me­lhor so­lu­ção de iden­ti­fi­ca­ção mul­ti­bi­o­mé­tri­ca do mun­do, a NEC ain­da é es­pe­ci­a­li­za­da em da­ta analy­tics, in­clu­si­ve com a lei­tu­ra in­te­li­gen­te de ví­deo, em apli­ca­ções de mo­ni­to­ra­men­to de am­bi­en­tes fe­cha­dos, co­mo au­tó­dro­mos e es­tá­di­os, e tam­bém nas ru­as, iden­ti­fi­can­do ci­da­dãos e pla­cas de veí­cu­los.

As­sim co­mo na F1, no en­tan­to, o ho­mem de­ve es­tar sempre no cen­tro do pro­ces­so. “As si­mu­la­ções por meio da in­te­li­gên­cia ar­ti­fi­ci­al são es­sen­ci­ais ho­je na F1, mas o pi­lo­to ain­da é o fa­tor mais im­por­tan­te”, afir­ma o me­xi­ca­no Ser­gio Pérez, pi­lo­to da For­ce In­dia.

A trans­mis­são de da­dos em re­des de al­tís­si­ma ve­lo­ci­da­de, tal co­mo nas pis­tas, es­tá perto de che­gar ao Bra­sil

Ser­gio Pérez, à es­quer­da, e Es­te­ban Ocon fa­lam com a re­pór­ter Ma­fê Lu­vi­zot­to so­bre as tec­no­lo­gi­as na Fórmula 1

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.