LI­VRE DO IN­CHA­ÇO!

In­cluir o gen­gi­bre no dia a dia é ga­ran­tia de bar­ri­gui­nha mais en­xu­ta

O Poder dos Alimentos - - ÍNDICE - Tex­to PAU­LA SAN­TA­NA | De­sign JU­LI­A­NA MO­RE­NO

“Ali­men­tos com ex­ces­so de sal ou só­dio em sua com­po­si­ção po­dem in­flu­en­ci­ar na re­ten­ção de lí­qui­dos pe­lo or­ga­nis­mo, ca­paz de nos fa­zer be­ber água além do ne­ces­sá­rio”, Le­ni­ta Bor­ba, nutricionista

OPROBLEMA - TAM­BÉM CO­NHE­CI­DO CO­MO RE­TEN­ÇÃO HÍ­DRI­CA

-, cos­tu­ma atin­gir prin­ci­pal­men­te as mu­lhe­res, que aca­bam re­cor­ren­do a uma sé­rie de al­ter­na­ti­vas (nem sem­pre sau­dá­veis) a fim de com­ba­tê-lo. Mas vo­cê já co­nhe­ce as re­ais cau­sas do in­cha­ço? “As cé­lu­las fi­cam mais afas­ta­das umas das ou­tras e, con­se­quen­te­men­te, o trans­por­te e a di­fu­são dos nu­tri­en­tes pa­ra o es­pa­ço in­ters­ti­ci­al fi­cam pre­ju­di­ca­dos por te­rem que per­cor­rer uma dis­tân­cia mai­or”, ex­pli­ca a nutricionista Le­ni­ta Bor­ba. Pa­ra aju­dar no alí­vio da dis­fun­ção, exis­te uma for­ma su­per­na­tu­ral (e sa­bo­ro­sa) de ali­vi­ar es­se des­con­for­to. Já des­co­briu qual é?

O PO­DER AN­TI-IN­CHA­ÇO DO GEN­GI­BRE

As pro­pri­e­da­des do ali­men­to são al­ta­men­te efi­ca­zes quan­do o as­sun­to é a re­ten­ção hí­dri­ca. O mo­ti­vo? A nutricionista Mai­a­ra Fi­dal­go ex­pli­ca: “ele é efi­caz na pre­ven­ção das náu­se­as e atua na di­ges­tão, na fla­tu­lên­cia e co­mo re­la­xan­te em có­li­cas. Tam­bém re­duz a for­ma­ção de coá­gu­los san­guí­ne­os, me­lho­ran­do a cir­cu­la­ção e evi­tan­do do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res”. Uma op­ção ain­da mais po­de­ro­sa é unir o ali­men­to com ou­tros in­gre­di­en­tes que ali­vi­am o in­cha­ço, co­mo os diu­ré­ti­cos na­tu­rais (aba­ca­xi, acel­ga, hor­te­lã, en­tre ou­tros.) “Uma boa di­ca é mis­tu­rar o gen­gi­bre aos ali­men­tos que pro­pi­ci­am a for­ma­ção de ga­ses pa­ra pre­ve­nir a sen­sa­ção de incô­mo­do. Além dis­so, a raiz tam­bém tem efei­to diu­ré­ti­co, o que faz com que o in­cha­ço di­mi­nua”, des­ta­ca a ci­rur­giã plás­ti­ca Eló­dia Avi­la

A QUAN­TIA IDE­AL

Não é ne­ces­sá­rio ingerir uma gran­de quan­ti­da­de de gen­gi­bre pa­ra ob­ter os seus be­ne­fí­ci­os. “O re­co­men­da­do é con­su­mir até 2 co­lhe­res (chá) di­a­ri­a­men­te, se es­ti­ver ra­la­do, mas há pes­so­as que to­le­ram me­nos. Tem que se res­pei­tar as ca­rac­te­rís­ti­cas in­di­vi­du­ais”, aler­ta Eló­dia. Mas aten­ção: exis­tem al­gu­mas con­train­di­ca­ções es­pe­ci­ais. “Se vo­cê es­ti­ver grá­vi­da, con­ver­se com o seu mé­di­co so­bre a in­ges­tão”, aler­ta a pro­fis­si­o­nal. Mu­lhe­res em fa­se de lac­ta­ção e in­di­ví­du­os com do­en­ças car­día­cas ou dis­túr­bi­os he­mor­rá­gi­cos tam­bém de­vem evi­tar o con­su­mo de gen­gi­bre.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.