FAZ BEM AO CO­RA­ÇÃO

Apro­vei­te as pro­pri­e­da­des da ver­du­ra pa­ra pro­te­ger o or­ga­nis­mo con­tra os pro­ble­mas car­di­o­vas­cu­la­res

O Poder dos Alimentos - - CONTENTS - Tex­to JAQUELINE LO­PES E LARISSA TOMAZINI De­sign JU­LI­A­NA MO­RE­NO

En­ten­da co­mo a ver­du­ra po­de ser po­de­ro­sa quan­do o as­sun­to é pre­ve­nir do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res

PE­RI­GO IMINENTE

Es­sas do­en­ças, em sua mai­o­ria, es­tão li­ga­das à obe­si­da­de, que tem en­tre su­as prin­ci­pais cau­sas a má ali­men­ta­ção. “Pa­ra ca­da 10% no ga­nho de pe­so cor­po­ral, ocor­re um au­men­to na in­ci­dên­cia de do­en­ças co­ro­na­ri­a­nas em apro­xi­ma­da­men­te 20%, além da ele­va­ção do co­les­te­rol no san­gue. O ex­ces­so de gor­du­ra vis­ce­ral (ou ab­do­mi­nal) es­tá pre­sen­te em 90% dos pa­ci­en­tes obe­sos. Com is­so, tem si­do ve­ri­fi­ca­do que o ga­nho de pe­so du­ran­te a vi­da adul­ta au­men­ta o ris­co de pro­ble­mas car­di­o­vas­cu­la­res e da mor­ta­li­da­de em am­bos os se­xos, in­de­pen­den­te­men­te da pre­sen­ça de ou­tros fa­to­res de ris­cos co­ro­na­ri­a­nos clás­si­cos”, ex­pli­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Ca­ta­ri­na Qui­ri­no de Freitas.

Pa­ra re­ver­ter a si­tu­a­ção, apos­te em ver­du­ras e le­gu­mes, que têm um pa­pel fun­da­men­tal quan­do o as­sun­to é a saú­de do co­ra­ção. “Os le­gu­mes for­ne­cem gran­des quan­ti­da­des de fo­la­tos (com­ba­tem mal­for­ma­ções no fe­to e al­te­ra­ções car­di­o­vas­cu­la­res), mi­ne­rais e com­pos­tos quí­mi­cos que pre­vi­nem do­en­ças co­mo o cân­cer e as do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res”, sa­li­en­ta o nu­tró­lo­go Jo­sé Al­ves La­ra Ne­to. “A saú­de do co­ra­ção e do apa­re­lho cir­cu­la­tó­rio de­pen­de de uma ali­men­ta­ção sau­dá­vel e ba­lan­ce­a­da, con­ten­do uma gran­de va­ri­e­da­de de ali­men­tos - den­tre eles, as hortaliças”, com­ple­ta a nu­tró­lo­ga e mé­di­ca or­to­mo­le­cu­lar Ta­ma­ra Ma­za­rac­ki.

COU­VE: AMI­GA DO CO­RA­ÇÃO

Ela atua for­te­men­te na pre­ven­ção de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res, de­vi­do ao seu al­to te­or de áci­do fó­li­co, mag­né­sio e vitamina C. “Por ser an­ti­o­xi­dan­te, o con­su­mo da cou­ve re­duz o ris­co de cân­cer e de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res, além de con­tri­buir pa­ra a saú­de da pe­le, com­ba­ten­do o en­ve­lhe­ci­men­to pre­co­ce”, ex­pli­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Ana­lui­za No­guei­ra dos Santos. Con­fi­ra ou­tros ali­men­tos que, as­sim co­mo a cou­ve, são al­ta­men­te be­né­fi­cos ao co­ra­ção:

Fa­re­lo de aveia: é mui­to ri­co em fi­bras, que são gran­des au­xi­li­a­res na re­du­ção do co­les­te­rol; vi­ta­mi­nas do com­ple­xo B, que pro­te­gem con­tra a for­ma­ção de coá­gu­los e o en­du­re­ci­men­to dos va­sos san­guí­ne­os; e mi­ne­rais, que re­gu­lam a pres­são san­guí­nea.

Sar­di­nha: é umas das me­lho­res fon­tes de ôme­ga-3, ex­tre­ma­men­te be­né­fi­co pa­ra o co­ra­ção, pro­te­gen­do-o con­tra in­far­tos. Tam­bém pos­sui um óti­mo de­sem­pe­nho con­tra in­fla­ma­ções, além de es­ti­mu­lar o sis­te­ma imu­no­ló­gi­co.

Azeite: apre­sen­ta gran­de quan­ti­da­de de ôme­ga-9, que atua, prin­ci­pal­men­te, no con­tro­le do co­les­te­rol, pro­mo­ven­do o au­men­to do HDL (o co­les­te­rol bom) e a re­du­ção do LDL (o co­les­te­rol ruim), fa­zen­do com que os ris­cos de in­far­to se­jam me­no­res.

CON­SU­MA DA FOR­MA COR­RE­TA!

Pa­ra se be­ne­fi­ci­ar das pro­pri­e­da­des da cou­ve, é ne­ces­sá­rio con­su­mi-la cor­re­ta­men­te. Por ser ri­ca em fi­bras, cál­cio, vi­ta­mi­nas e mi­ne­rais, sua in­ges­tão diá­ria é fun­da­men­tal – cer­ca de 1 xí­ca­ra (chá) por dia. Se­gun­do a nu­tri­ci­o­nis­ta So­lan­ge Ventura, é pos­sí­vel in­cluí-la em su­cos de fru­tas e sha­kes, con­su­min­do de for­ma crua pa­ra não per­der tan­tas pro­pri­e­da­des. A nu­tri­ci­o­nis­ta Ta­lit­ta Ma­ci­el tam­bém in­di­ca seu con­su­mo de for­ma crua, sen­do acres­cen­ta­da em sa­la­das e su­cos, co­mo nes­sa re­cei­ta in­di­ca­da pe­la pro­fis­si­o­nal, que aju­da a re­du­zir a pres­são ar­te­ri­al.

NÃO FI­QUE PA­RA­DO

Uma ma­nei­ra mui­to efi­caz de evi­tar as do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res é unir uma boa ali­men­ta­ção à prá­ti­ca de ati­vi­da­des fí­si­cas re­gu­la­res. “Uma pes­soa se­den­tá­ria que pas­sa a re­a­li­zar ati­vi­da­des fí­si­cas mo­de­ra­das po­de di­mi­nuir em até 34% o ris­co de de­sen­vol­ver do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res, por­tan­to, pa­ra quem já é car­di­o­pa­ta - con­di­ção que o acom­pa­nha­rá por to­da a vi­da -, os exer­cí­ci­os fí­si­cos agem na fun­ção do co­ra­ção pa­ra evi­tar pro­ble­mas co­mo in­far­tos, ar­rit­mi­as, is­que­mi­as, en­tre ou­tros”, in­for­ma a pro­fes­so­ra de edu­ca­ção fí­si­ca Cláudia For­jaz.

Um es­tu­do re­cen­te com­pro­vou que a uti­li­za­ção de le­ci­ti­na de so­ja aju­da a di­mi­nuir o co­les­te­rol san­guí­neo. Con­ver­se com seu mé­di­co ou nu­tri­ci­o­nis­ta so­bre a su­ple­men­ta­ção em le­ci­ti­na de so­ja

CON­SUL­TO­RIA Ana­lui­za No­guei­ra dos Santos, Ca­ta­ri­na Qui­ri­no de Freitas, So­lan­ge Ventura e Ta­lit­ta Ma­ci­el, nu­tri­ci­o­nis­tas; Cláudia For­jaz, pro­fes­so­ra de edu­ca­ção fí­si­ca; Jo­sé Al­ves La­ra Ne­to, nu­tró­lo­go; Ta­ma­ra Ma­za­rac­ki, nu­tró­lo­ga e me­di­ca or­to­mo­le­cu­lar FOTOS Shut­ters­tock Ima­ges

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.