ACERTE NO PRE­PA­RO

Com al­gu­mas di­cas é fá­cil apro­vei­tar to­dos os be­ne­fí­ci­os da cou­ve!

O Poder dos Alimentos - - CONTENTS - Tex­to ED­GARD VICENTINI/COLABORADOR De­sign DI­E­GO DI­AS

Apro­vei­te o me­lhor da cou­ve em di­fe­ren­tes pre­pa­ros e sem des­per­dí­ci­os

NA HO­RA DE ADE­RIR A NO­VOS HÁ­BI­TOS, o es­tí­mu­lo é sem­pre bem-vin­do. E quan­do o as­sun­to é ali­men­ta­ção, is­so não se­ria di­fe­ren­te. Pen­san­do nis­so, nos­sa equi­pe mos­tra co­mo é pos­sí­vel adi­ci­o­nar a cou­ve ao cardápio de uma for­ma sa­bo­ro­sa e sau­dá­vel, usan­do mui­ta cri­a­ti­vi­da­de. Quer des­co­brir? Ve­ja nas li­nhas a se­guir!

CO­ME­ÇAN­DO COM O PÉ DI­REI­TO

O pri­mei­ro pas­so pa­ra um bom pre­pa­ro é es­co­lher in­gre­di­en­tes sau­dá­veis e de qua­li­da­de. Por is­so, op­te sem­pre pe­lo ma­ço de cou­ve o mais ver­de pos­sí­vel. Fo­lhas ama­re­la­das in­di­cam que a ver­du­ra não es­tá mais tão fres­ca. Quan­do for in­cluir ou­tros in­gre­di­en­tes na re­cei­ta, co­mo fru­tas e le­gu­mes, es­co­lha os pro­du­tos da épo­ca, que ge­ral­men­te são mais nu­tri­ti­vos e sa­bo­ro­sos, além de pos­suí­rem pre­ços mais aces­sí­veis.

SEM DES­PER­DÍ­CI­OS

Sem­pre evi­te os ex­ces­sos. Is­so tam­bém va­le pa­ra a ho­ra da com­pra. A cou­ve é um ve­ge­tal que es­tra­ga ra­pi­da­men­te, por is­so, com­pre ape­nas o que for usar den­tro de três ou qua­tro di­as, pa­ra não des­per­di­çar o ali­men­to. Uma ou­tra di­ca é es­co­lher o ta­ma­nho do ma­ço de acor­do com o seu uso: se o ob­je­ti­vo é fa­zer di­fe­ren­tes re­cei­tas de su­co ver­de, que de­man­dam uma pe­que­na quan­ti­da­de de cou­ve, va­le a pe­na apos­tar nos ma­ços pe­que­nos. Se op­tar pe­lo mai­or, ten­te in­cluí-lo em ou­tras re­cei­tas (con­fi­ra al­gu­mas su­ges­tões na pá­gi­na 42)!

NO LU­GAR COR­RE­TO

Após fa­zer a hi­gi­e­ni­za­ção, se­que bem as fo­lhas. A me­lhor op­ção de ar­ma­ze­na­men­to é a ge­la­dei­ra. Cou­ve e ou­tros ve­ge­tais, co­mo maçã, to­ma­te e ce­nou­ra, de­vem ser gu­ar­da­dos em sa­cos plás­ti­cos (tam­bém la­va­dos e se­cos) per­fu­ra­dos pa­ra que não ocor­ra a for­ma­ção de ne­nhum ti­po de fun­go e bo­lor. A ga­ve­ta in­fe­ri­or da ge­la­dei­ra é o me­lhor lu­gar pa­ra ar­ma­ze­nar es­se ti­po de ali­men­to.

MAIS SA­BOR!

“Va­le lem­brar que o con­su­mo po­de ser fei­to tan­to com ela re­fo­ga­da quan­to co­zi­da. Du­ran­te o pro­ces­so de coc­ção, al­guns nu­tri­en­tes são per­di­dos, po­rém, ain­da as­sim, ela con­ti­nua com mui­tas pro­pri­e­da­des nu­tri­ti­vas e benéficas à saú­de”, ex­pli­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Vivian Ta­la­ri­co. Ten­do is­so em vis­ta, por que não acres­cen­tar a cou­ve em ou­tras re­cei­tas?

Uma óti­ma ma­nei­ra de pre­pa­rá-la é a re­fo­ga­da. Uti­li­ze uma fri­gi­dei­ra gran­de, bem quen­te, com um pou­co de azeite e pas­se ra­pi­da­men­te a cou­ve. De­pois é só acres­cen­tar alho pi­ca­do, sal e pimenta-do-rei­no. Lem­bran­do que o sa­bor po­de fi­car amar­go e as pro­pri­e­da­des per­di­das se ela for dei­xa­da por mui­to tem­po no fo­go!

Nos su­cos, as fo­lhas po­dem ser ras­ga­das gros­sei­ra­men­te an­tes de ir pa­ra o li­qui­di­fi­ca­dor. O limão com­ple­men­ta o sa­bor da cou­ve e for­ma uma óti­ma união. Pa­ra as sa­la­das, cor­te-a em ti­ras bem fi­ni­nhas pa­ra re­al­çar o sa­bor.

Ou­tra op­ção pa­ra dei­xar a ro­ti­na mais rá­pi­da é pre­pa­rar ge­los de cou­ve, os quais po­dem ser acres­cen­ta­dos em vá­ri­as re­cei­tas de su­co di­fe­ren­tes. “Use um ma­ço de cou­ve or­gâ­ni­ca bem hi­gi­e­ni­za­da. Re­ti­re o ta­lo e co­lo­que tu­do no li­qui­di­fi­ca­dor ou pro­ces­sa­dor com 100 a 150ml de água ou água de co­co. Co­lo­que a mis­tu­ra em for­mi­nhas de ge­lo e le­ve ao fre­e­zer. Se agra­dar, é pos­sí­vel acres­cen­tar fo­lhi­nhas de hor­te­lã na mis­tu­ra. Use de três a qua­tro pe­dras em ca­da re­cei­ta de su­co”, en­si­na a nu­tri­ci­o­nis­ta Luiza Lei­te.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.