BOA PA­RA DI­A­BÉ­TI­COS

As fi­bras são res­pon­sá­veis por li­mi­tar a ab­sor­ção de açú­car!

O Poder dos Alimentos - - CONTENTS - Tex­to ED­GARD VICENTINI/COLABORADOR | De­sign DI­E­GO DI­AS

As fi­bras da cou­ve man­têm as ta­xas de gli­ce­mia sob con­tro­le

ACOUVE É COM­PLE­TA DE MUI­TAS MANEIRAS: fer­ro, mag­né­sio, cál­cio e vi­ta­mi­nas A, B6 e K são al­guns de seus nu­tri­en­tes im­por­tan­tes pa­ra a pre­ven­ção de do­en­ças. Po­rém, são as su­as fi­bras ali­men­ta­res que au­xi­li­am o or­ga­nis­mo con­tra o di­a­be­tes. “As fi­bras so­lú­veis po­dem se dis­sol­ver em água e têm al­gu­mas ações de ex­tre­ma im­por­tân­cia pa­ra nos­sa saú­de, co­mo au­xi­li­ar na di­mi­nui­ção dos ní­veis de co­les­te­rol do san­gue e re­gu­lar a ab­sor­ção intestinal dos açú­ca­res pro­ve­ni­en­tes dos ali­men­tos. Elas for­mam um gel e, por is­so, exer­cem im­por­tan­te efei­to so­bre o es­va­zi­a­men­to gás­tri­co, uma vez que per­ma­ne­cem mais tem­po no estô­ma­go, dan­do mai­or sa­ci­e­da­de”, ex­pli­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Lu­a­na Vas­con­ce­los. O con­su­mo da hor­ta­li­ça, ali­a­do

a uma ali­men­ta­ção sau­dá­vel, con­tro­la as ta­xas gli­cê­mi­cas e evi­ta pi­cos de in­su­li­na, me­lho­ran­do a qua­li­da­de de vi­da do di­a­bé­ti­co.

COM­BI­NA­ÇÃO IM­POR­TAN­TE

Que a cou­ve com­ba­te do­en­ças co­mo o di­a­be­tes, já era de se pre­su­mir, mas que ela fi­ca mui­to mais po­de­ro­sa quan­do ali­a­da com o con­su­mo ade­qua­do de água é uma no­vi­da­de! “É im­por­tan­te lem­brar que se a pes­soa não se hi­dra­tar cor­re­ta­men­te, o tra­ba­lho das fi­bras é di­fi­cul­ta­do e, sem es­sa hi­dra­ta­ção, elas po­dem ter efei­to con­trá­rio do desejado, co­mo pren­der o in­tes­ti­no”, aler­ta a nu­tri­ci­o­nis­ta. En­tão, pa­ra que as fi­bras con­si­gam co­la­bo­rar com o con­tro­le da gli­ce­mia, é ne­ces­sá­rio que a in­ges­tão de água se­ja fei­ta cor­re­ta­men­te. “Ou­tra op­ção pa­ra apro­vei­tar bem as pro­pri­e­da­des da hor­ta­li­ça é con­su­mi-la com os ta­los em for­mas de sa­la­das, de re­fo­ga­dos e em so­pas, as­sim, a quan­ti­da­de de fi­bras se­rá mai­or”, en­si­na a nu­tri­ci­o­nis­ta Ta­lit­ta Ma­ci­el. Ou­tras com­bi­na­ções que fa­vo­re­cem o tra­ba­lho da cou­ve con­tra o ex­ces­so de açú­car no san­gue são: Ba­ta­ta ya­con: ri­ca em fi­bras e pro­bió­ti­cos, é fa­mo­sa na di­e­ta dos di­a­bé­ti­cos por aju­dar no con­tro­le da do­en­ça. Is­so por­que o tu­bér­cu­lo é ri­co em um car­boi­dra­to cha­ma­do fru­to-oli­gos­sa­ca­rí­deo, que é ab­sor­vi­do pe­lo or­ga­nis­mo len­ta­men­te, li­be­ran­do a gli­co­se nas mes­mas pro­por­ções. Li­nha­ça: o grão pos­sui áci­do li­no­lê­ni­co, subs­tân­cia es­sen­ci­al na for­ma­ção de mo­lé­cu­las de he­mo­glo­bi­na, que aju­da a di­mi­nuir as ta­xas de co­les­te­rol e gli­co­se no san­gue. O ali­men­to ain­da promove ou­tros be­ne­fí­ci­os à saú­de. “A li­nha­ça é ri­ca em fi­bras, que além de au­xi­li­a­rem na di­mi­nui­ção do co­les­te­rol e no con­tro­le gli­cê­mi­co, atu­am no bom fun­ci­o­na­men­to intestinal e pro­por­ci­o­nam a sen­sa­ção de sa­ci­e­da­de, di­mi­nuin­do o ape­ti­te”, des­ta­ca a nu­tri­ci­o­nis­ta Ales­san­dra Co­e­lho.

Maçã: con­tém quer­ce­ti­na, uma subs­tân­cia que di­fi­cul­ta o acú­mu­lo de gor­du­ra nas ar­té­ri­as ao im­pe­dir a ab­sor­ção de co­les­te­rol no or­ga­nis­mo. A fru­ta ain­da pos­sui pec­ti­na, fi­bra que au­xi­lia no con­tro­le da gli­ce­mia.

Aveia: o grão pos­sui be­ta­glu­ca­na, uma fi­bra que di­fi­cul­ta a ab­sor­ção de gor­du­ra pe­lo or­ga­nis­mo. As fi­bras pre­sen­tes na aveia ain­da aju­dam os di­a­bé­ti­cos no con­tro­le do açú­car no san­gue. O ali­men­to po­de ser con­su­mi­do de vá­ri­as for­mas, co­mo grãos, flo­cos, fa­re­lo ou até mes­mo fa­ri­nha. Com tan­tas va­ri­e­da­des, não tem des­cul­pa pa­ra dei­xar de in­cluir o ali­men­to no cardápio, não é mes­mo?

Ole­a­gi­no­sas: cas­ta­nhas e no­zes são ex­ce­len­tes ali­men­tos pa­ra os di­a­bé­ti­cos. O seu con­su­mo es­tá in­ver­sa­men­te as­so­ci­a­do ao ris­co de di­a­be­tes ti­po 2. Além dis­so, pos­su­em bai­xo ín­di­ce gli­cê­mi­co, al­to te­or de fi­bras, mag­né­sio, gor­du­ras mo­noin­sa­tu­ra­das e po­li-in­sa­tu­ra­das.

Fru­tas ver­me­lhas: mo­ran­go, amei­xa, amo­ra, fram­bo­e­sa, mir­ti­lo e ja­bu­ti­ca­ba são ri­cas em pro­to­nan­to­ci­a­ni­di­nas, com­pos­tos an­ti­o­xi­dan­tes que aju­dam na cir­cu­la­ção e di­mi­nu­em os ris­cos de com­pli­ca­ções do di­a­be­tes.

Limão: o gran­de trun­fo da fru­ta é a pre­sen­ça de li­mo­ne­no, uma subs­tân­cia pre­sen­te na cas­ca que pe­ne­tra com fa­ci­li­da­de nos te­ci­dos e cé­lu­las do or­ga­nis­mo, agin­do com um sol­ven­te de gor­du­ras. A fru­ta ain­da pos­sui al­ta con­cen­tra­ção de áci­do ni­co­tí­ni­co, agen­te que pro­te­ge as ar­té­ri­as, pre­ve­nin­do pro­ble­mas car­di­o­vas­cu­la­res, uma ten­dên­cia pa­ra quem tem di­a­be­tes.

Kiwi: a fru­ta, além de pos­suir vitamina C, car­ro-che­fe pa­ra man­ter a imu­ni­da­de em al­ta, con­tém vitamina E, po­de­ro­so an­ti­o­xi­dan­te que com­ba­te os ra­di­cais li­vres e evi­ta o de­sen­vol­vi­men­to de do­en­ças car­di­o­vas­cu­la­res.

“O con­su­mo de cou­ve evi­ta os pi­cos de gli­co­se, con­tro­lan­do os ní­veis des­sa subs­tân­cia no san­gue”, Ta­lit­ta Ma­ci­el, nu­tri­ci­o­nis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.