De­lí­ci­as bo­as PA­RA A SAÚ­DE

Co­nhe­ça di­fe­ren­tes for­mas de con­su­mir o hibisco e apro­vei­te to­dos os seus be­ne­fí­ci­os!

O Poder dos Alimentos - - NEWS -

OHIBISCO É UM DOS TI­POS DE CHÁS MAIS PO­PU­LA­RES DO MUN­DO. E VO­CÊ JÁ DES­CO­BRIU QUE ELE OFE­RE­CE INÚ­ME­RAS VAN­TA­GENS PA­RA A SAÚ­DE, CO­MO RE­DU­ÇÃO DO CO­LES­TE­ROL, CON­TRO­LE DA HI­PER­TEN­SÃO, PRE­VEN­ÇÃO DE DO­EN­ÇAS E CLA­RO, QUEI­MA DE GORDURA

COR­PO­RAL. Mas vo­cê sa­bia que po­de man­ter to­das as pro­pri­e­da­des be­né­fi­cas da be­bi­da em vá­ri­as for­mas de con­su­mo? A plan­ta po­de ser uti­li­za­da tam­bém no pre­pa­ro de ou­tras be­bi­das ge­la­das, ge­lei­as, tem­pe­ros e até em bo­los. As se­men­tes, le­ve­men­te amar­gas, tam­bém po­dem ser moí­das pa­ra pre­pa­ra­ção de fa­ri­nhas ou tor­ra­das e uti­li­za­das co­mo subs­ti­tu­to do ca­fé.

CO­MO EN­CON­TRAR

Na ho­ra de com­prar a plan­ta, pre­fi­ra sem­pre a ver­são na­tu­ral: a flor seca. Evi­te o ti­po em pó ou o chá pron­to, já que es­se úl­ti­mo em ge­ral já vem ado­ça­do e po­de ter as fun­ções que exer­ce no or­ga­nis­mo com­pro­me­ti­das. Se­gun­do a nutricionista Diully Ba­lis­tei­ro, o ex­tra­to se­co da flor de hibisco po­de ser en­con­tra­do fa­cil­men­te em lo­jas de pro­du­tos na­tu­rais.

SAI­BA ES­CO­LHER!

A nutricionista He­loi­sa Te­ves Scat­ti­ni reforça que a me­lhor for­ma de usar a plan­ta é com flo­res se­cas. Is­so por que elas ga­ran­tem a con­ser­va­ção das pro­pri­e­da­des, pois não so­frem ne­nhum ti­po de pro­ces­sa­men­to. É im­por­tan­te des­ta­car tam­bém a ne­ces­si­da­de de uti­li­zar flo­res com o re­gis­tro da An­vi­sa (Agên­cia Na­ci­o­nal de Vi­gi­lân­cia Sa­ni­tá­ria), que de­ve es­tar na em­ba­la­gem.

DO­SE CER­TA

“A re­co­men­da­ção pa­ra a mai­o­ria das pes­so­as é de ape­nas um co­po de chá por dia, o que cor­res­pon­de a 6g da plan­ta”, ex­pli­ca a nu­tró­lo­ga Ana Va­lé­ria Ra­mi­rez. Es­sa pe­que­na por­ção pos­sui quan­ti­da­des sa­tis­fa­tó­ri­as de mag­né­sio, cálcio, po­tás­sio e fós­fo­ro pa­ra o or­ga­nis­mo. “Mas, an­tes de co­me­çar a to­mar o chá de hibisco di­a­ri­a­men­te, o ide­al é pas­sar por uma ava­li­a­ção mé­di­ca. Is­so por­que a quan­ti­da­de li­be­ra­da pa­ra con­su­mo po­de ser mai­or se for iden­ti­fi­ca­do o uso de me­di­ca­men­tos com efei­to diu­ré­ti­co, por exem­plo”, com­ple­men­ta.

In­clu­si­ve, por ter es­se efei­to, ele de­ve ser in­ge­ri­do com mo­de­ra­ção, pa­ra não eli­mi­nar nu­tri­en­tes im­por­tan­tes pa­ra o fun­ci­o­na­men­to do or­ga­nis­mo por meio da uri­na. Ele po­de oca­si­o­nar al­gum efei­to co­la­te­ral, quan­do in­ge­ri­do em ex­ces­so. Pa­ra ca­da xí­ca­ra (200ml) de água, o ide­al é adi­ci­o­nar cer­ca de uma colher (chá) da flor seca.

VARIE O CAR­DÁ­PIO

Ve­ja a se­guir al­gu­mas re­cei­tas mui­to sau­dá­veis e sa­bo­ro­sas de su­cos e chás de hibisco que se­rão bem-vin­das na sua ro­ti­na!

Pa­ra fa­zer o chá, in­gre­di­en­te bá­si­co da mai­o­ria das re­cei­tas abai­xo, aque­ça um litro de água até o pon­to de fer­vu­ra. As­sim que apa­re­ce­rem as pri­mei­ras bo­lhas, adi­ci­o­ne du­as colheres (so­pa) de pé­ta­las se­cas de hibisco. A se­guir, des­li­gue o fo­go, tam­pe e dei­xe des­can­sar de 8 a 10 mi­nu­tos. De­pois é só co­ar e co­lo­car em um re­ci­pi­en­te de vi­dro.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.