Ae­ró­bi­co x mus­cu­la­ção: qual a di­fe­ren­ça?

En­ten­da as prin­ci­pais ca­rac­te­rís­ti­cas de ca­da uma das prá­ti­cas

O Poder dos Alimentos - - NEWS - Tex­to IURI SAN­TOS/CO­LA­BO­RA­DOR | De­sign ANA MAS­SA/CO­LA­BO­RA­DO­RA CON­SUL­TO­RIA Con­sul­to­ria Yon­der San, or­to­pe­dis­ta FO­TO is­tock.com/getty Ima­ges

IN­DE­PEN­DEN­TE­MEN­TE DE PAR­TI­CU­LA­RI­DA­DES, QUAL­QUER PRÁ­TI­CA DE EXER­CÍ­CIO É PONTECIALMENTE BE­NÉ­FI­CA PA­RA

O COR­PO. Is­so por­que as ati­vi­da­des me­lho­ram a saú­de car­di­o­vas­cu­lar, aju­dan­do no con­di­ci­o­na­men­to e no pro­ces­so de ema­gre­ci­men­to; dão mais dis­po­si­ção pa­ra o dia a dia! Nes­se ca­so, o im­por­tan­te é en­con­trar o ti­po de ati­vi­da­de que me­lhor se ade­qua às su­as ne­ces­si­da­des: ae­ró­bi­co ou mus­cu­la­ção. É im­por­tan­te que tu­do is­so es­te­ja co­nec­ta­do com uma di­e­ta ba­lan­ce­a­da e a aju­da de pro­fis­si­o­nais. Con­fi­ra, a se­guir, as prin­ci­pais di­fe­ren­ças en­tre as du­as mo­da­li­da­des!

AERÓBICOS

Es­ses exer­cí­ci­os ge­ral­men­te têm du­ra­ção mai­or. Nes­se ti­po de prá­ti­ca, mar­ca­da por um rit­mo le­ve e du­ra­dou­ro, as cé­lu­las con­so­mem mais oxi­gê­nio pa­ra li­be­rar ener­gia. O ae­ró­bio atua na per­da de pe­so por­que uti­li­za as mo­lé­cu­las de gordura nes­se pro­ces­so, não só dos mús­cu­los, co­mo de de­mais áre­as. É im­por­tan­te, en­tre­tan­to, to­mar al­gu­mas pre­cau­ções. “So­bre­tu­do no obe­so, a ati­vi­da­de ae­ró­bi­ca le­va a um al­to im­pac­to so­bre as ar­ti­cu­la­ções dos pés, tor­no­ze­los, jo­e­lhos, qua­dris e co­lu­na ver­te­bral”, des­ta­ca o or­te­pe­dis­ta Yon­der Son. Por is­so, o es­pe­ci­a­lis­ta pon­de­ra que a prá­ti­ca de­ve ser in­di­vi­du­a­li­za­da e acom­pa­nha­da por um pro­fis­si­o­nal de edu­ca­ção fí­si­ca.

Exem­plos de ati­vi­da­des: ca­mi­nha­da, na­ta­ção e dan­ça.

MUS­CU­LA­ÇÃO

Ca­rac­te­ri­za­do pe­la in­ten­si­da­de, es­se ti­po de exer­cí­cio atua em mús­cu­los es­pe­cí­fi­cos. A pro­du­ção de ener­gia, nes­ses ca­sos, não de­pen­de de oxi­gê­nio e, ape­sar de ocor­rer em um pe­río­do cur­to, a quei­ma de calorias con­ti­nua após a prá­ti­ca. É in­te­res­san­te por­que, além de ema­gre­cer, au­xi­lia na to­ni­fi­ca­ção dos mús­cu­los. “A mus­cu­la­ção per­mi­te que o tô­nus mus­cu­lar se­ja man­ti­do du­ran­te o pro­ces­so de ema­gre­ci­men­to”, ga­ran­te Yon­der.

Ou­tros exer­cí­ci­os ana­e­ró­bi­cos: sal­tos e pi­la­tes.

“Gas­ta­mos mais ener­gia pa­ra man­ter os mús­cu­los fun­ci­o­nan­do do que ou­tros te­ci­dos. As­sim, a hi­per­tro­fia mus­cu­lar au­men­ta o gas­to ca­ló­ri­co diá­rio, o que fa­vo­re­ce o pro­ces­so de ema­gre­ci­men­to”, Yon­der Son, or­to­pe­dis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.