ELE­MEN­TOS PO­TEN­TES!

Com o seu ca­rac­te­rís­ti­co “aze­di­nho”, es­sa fru­ta nu­tre o or­ga­nis­mo com efi­cá­cia

O Poder dos Alimentos - - NEWS - Tex­to IURI SAN­TOS/CO­LA­BO­RA­DOR De­sign RO­DRI­GO DA GRA­ÇA

Con­fi­ra as prin­ci­pais pro­pri­e­da­des da fru­ta

UTI­LI­ZA­DO EM DI­VER­SAS ÁRE­AS DA CO­ZI­NHA, TAN­TO EM RE­CEI­TAS SAL­GA­DAS QUAN­TO NAS DO­CES, O LI­MÃO É UM CURINGA NA CU­LI­NÁ­RIA E É PRE­SEN­ÇA CA­RIM­BA­DA

NAS DESPENSAS. E não pa­ra por aí! Além da sua po­pu­la­ri­da­de no pre­pa­ro de pra­tos, es­se in­gre­di­en­te tam­bém é um ali­a­do da saú­de e do equi­lí­brio de nu­tri­en­tes ne­ces­sá­ri­os pa­ra o bom fun­ci­o­na­men­to do or­ga­nis­mo. Por is­so, não é di­fí­cil ima­gi­nar que o li­mão se­ja ca­paz de evi­tar di­ver­sas do­en­ças e pro­te­ger seu cor­po de pro­ble­mas. “Traz enor­mes be­ne­fí­ci­os ao nos­so cor­po. Ele é al­ca­li­ni­zan­te, me­lho­ra a imunidade e evi­ta do­en­ças res­pi­ra­tó­ri­as”, apon­ta o nu­tri­ci­o­nis­ta e pro­fis­si­o­nal de edu­ca­ção fí­si­ca Fer­nan­do Cas­tro. Con­fi­ra ou­tros com­pos­tos po­de­ro­sos do li­mão!

VI­TA­MI­NA C

Pre­sen­te nas fru­tas cí­tri­cas em ge­ral, ela cum­pre di­ver­sas fun­ções no or­ga­nis­mo. Além da sua ação an­ti­o­xi­dan­te, que pre­ser­va as cé­lu­las, a vi­ta­mi­na C tam­bém é res­pon­sá­vel por man­ter a saú­de da pe­le, já que ela atua na sín­te­se do co­lá­ge­no — pro­teí­na res­pon­sá­vel pe­las fun­ções es­tru­tu­rais e de elas­ti­ci­da­de des­se te­ci­do. “In­flu­en­cia di­re­ta­men­te no sis­te­ma imu­no­ló­gi­co, é an­ti­o­xi­dan­te e com­ba­te os efei­tos do es­tres­se na fi­si­o­lo­gia, nos man­ten­do mais saudáveis e dis­pos­tos”, des­ta­ca Fer­nan­do. Se­gun­do a Ta­be­la Bra­si­lei­ra de Com­po­si­ção de Ali­men­tos (TACO), 100g da va­ri­a­ção tai­ti (uma das mais co­muns) con­têm 38,2mg da vi­ta­mi­na, qua­se me­ta­de da do­se diá­ria in­di­ca­da pa­ra ho­mens adul­tos (90mg) e mais da me­ta­de da quan­ti­da­de pa­ra mu­lhe­res adul­tas (75mg). É cla­ro, po­rém, que nem sem­pre es­sa quan­ti­da­de se­rá con­su­mi­da, por­tan­to, é im­por­tan­te in­ge­rir ou­tras fru­tas em con­jun­to.

CÁL­CIO

Mi­ne­ral ex­tre­ma­men­te im­por­tan­te pa­ra o de­sen­vol­vi­men­to sau­dá­vel dos os­sos, ele não é pro­du­zi­do pe­lo cor­po, sen­do es­sen­ci­al que ali­men­tos com o mi­ne­ral es­te­jam na di­e­ta. Ape­sar de ser fa­mo­so por es­tar em gran­des quan­ti­da­des nos la­ti­cí­ni­os, o li­mão (prin­ci­pal­men­te sua cas­ca) con­tém uma quan­ti­da­de ra­zoá­vel de cál­cio. É im­por­tan­te des­ta­car que a ab­sor­ção da subs­tân­cia de­pen­de de ní­veis cor­re­tos de vi­ta­mi­na D.

PO­TÁS­SIO

Ali­a­do do cál­cio, ele aju­da o mi­ne­ral já ab­sor­vi­do pe­los os­sos a não ser per­di­do, com­ba­ten­do áci­dos que atu­am na sua per­da. O po­tás­sio tam­bém tem efei­to va­so­di­la­ta­dor, por is­so é um ali­a­do da saú­de car­día­ca, evi­tan­do a hi­per­ten­são. É es­pe­ci­al­men­te im­por­tan­te du­ran­te a prá­ti­ca de exer­cí­ci­os, já que tem pa­pel na ir­ri­ga­ção mus­cu­lar, evi­tan­do as oca­si­o­nais cãi­bras.

FLA­VO­NOI­DES

En­con­tra­dos tam­bém em grãos e ver­du­ras, es­ses com­pos­tos or­gâ­ni­cos têm fa­to­res an­ti­o­xi­dan­tes, além das fun­ções an­ti-in­fla­ma­tó­ri­as e anal­gé­si­cas.

AMI­GO DO SIS­TE­MA DIGESTIVO

Fer­nan­do Cas­tro ain­da apon­ta que uma das me­lho­res ca­rac­te­rís­ti­cas des­sa fru­ta é seu per­fil de re­du­ção da aci­dez di­ges­ti­va. Ape­sar de o prin­cí­pio ati­vo do li­mão ser o áci­do cí­tri­co, es­te, qu­an­do em con­ta­to com o meio ce­lu­lar no in­te­ri­or do or­ga­nis­mo, com­por­ta-se co­mo um al­ca­li­ni­zan­te, ou se­ja, um neu­tra­li­zan­te da aci­dez in­ter­na. “Um dos efei­tos no­tá­veis do li­mão é o de com­ba­ter o áci­do úri­co. A in­ges­tão diá­ria da fru­ta au­men­ta, na uri­na, a ex­cre­ção des­se áci­do, da ureia e do áci­do fos­fó­ri­co”, acres­cen­ta. Es­sa fru­ta tam­bém tem ação na digestão de pro­teí­nas e gor­du­ras, por exem­plo. Por fim, ele ain­da pos­sui um efei­to an­ti­bac­te­ri­a­no, aju­dan­do a evi­tar ou ame­ni­zar o efei­to de in­fec­ções.

A vi­ta­mi­na D é ad­qui­ri­da pe­lo or­ga­nis­mo atra­vés da ex­po­si­ção ao sol. 15 mi­nu­tos diá­ri­os an­tes das 10h ou de­pois das 16h já são o su­fi­ci­en­te pa­ra es­ta­be­le­cer o ní­vel.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.