CA­LOR MORTAL

O Bra­sil sur­ge co­mo o ter­cei­ro país mais im­pac­ta­do em es­tu­do que pro­je­tou nú­me­ros fu­tu­ros de ví­ti­mas de pro­ble­mas de saú­de de­cor­ren­tes de al­tas tem­pe­ra­tu­ras em 20 na­ções até 2080

Planeta - - EDITORIAL - Pe­lo Ob­ser­va­tó­rio do Cli­ma

O Bra­sil sur­ge co­mo o ter­cei­ro país mais im­pac­ta­do em es­tu­do que pro­je­tou nú­me­ros fu­tu­ros de ví­ti­mas de pro­ble­mas de saú­de de­cor­ren­tes de al­tas tem­pe­ra­tu­ras até 2080

Omais abran­gen­te es­tu­do já fei­to so­bre o im­pac­to de on­das de ca­lor na ta­xa de mor­ta­li­da­de hu­ma­na traz uma no­tí­cia ruim pa­ra o Bra­sil: o país es­tá en­tre aque­les on­de o pro­ble­ma mais de­ve se agra­var à me­di­da que a mu­dan­ça cli­má­ti­ca avan­ça.

O tra­ba­lho que apon­ta es­sa ten­dên­cia é uma pes­qui­sa con­du­zi­da por 39 ci­en­tis­tas mun­do afo­ra, ana­li­san­do da­dos de mor­ta­li­da­de em 412 ci­da­des de 20 paí­ses di­fe­ren­tes. Quan­do se con­si­de­rou o au­men­to per­cen­tu­al nas mor­tes re­la­ci­o­na­das a on­das de ca­lor, o Bra­sil fi­cou atrás ape­nas de Colôm­bia e Fi­li­pi­nas.

“Os re­sul­ta­dos mos­tram que, se não ocor­rer adap­ta­ção, o in­cre­men­to na mor­ta­li­da­de re­la­ci­o­na­da a on­das de ca­lor de­ve au­men­tar mais em paí­ses e re­giões tro­pi­cais/sub­tro­pi­cais (mais per­to do equa­dor), en­quan­to paí­ses eu­ro­peus e os Es­ta­dos Uni­dos te­rão au­men­tos me­no­res nes­sa mor­ta­li­da­de ex­ce­den­te”, afir­mam os au­to­res em ar­ti­go pu­bli­ca­do em agos­to na re­vis­ta “PLOS Me­di­ci­ne”.

O es­tu­do ma­pe­ou vá­ri­os ce­ná­ri­os fu­tu­ros, com pre­vi­sões di­fe­ren­tes de au­men­to de tem­pe­ra­tu­ra e cres­ci­men­to po­pu­la­ci­o­nal. Fo­ram com­pa­ra­das as mor­tes li­ga­das a on­das de ca­lor acu­mu­la­das en­tre 1971 e 2020 com um pe­río­do pro­je­ta­do num in­ter­va­lo fu­tu­ro, de 2031 a 2080. Só no Bra­sil, os pes­qui­sa­do­res ava­li­a­ram 3,4 mi­lhões de mor­tes de 1997 a 2011 e sua po­ten­ci­al re­la­ção com on­das de ca­lor pa­ra fa­zer a pro­je­ção.

Nas pre­vi­sões mais pes­si­mis­tas de mu­dan­ça cli­má­ti­ca — em que emis­sões de ga­ses-es­tu­fa con­ti­nu­am de­sen­fre­a­das, com a po­pu­la­ção cres­cen­do mui­to e sem me­di­das de adap­ta­ção –, as mor­tes por on­das de ca­lor no Bra­sil po­de­ri­am su­bir mais de 850%.

O Nor­des­te e o Nor­te do Bra­sil po­de­rão es­tar en­tre as áre­as mais afe­ta­das. O es­tu­do in­di­ca que, sob uma for­te po­lí­ti­ca glo­bal de re­du­ção de emis­sões (tor­nan­do pro­vá­vel o pla­ne­ta es­quen­tar me­nos de 2 °C), o Bra­sil po­de­ria der­ru­bar es­se nú­me­ro pa­ra 313% — ain­da uma ci­fra pre­o­cu­pan­te.

Pa­ra evi­tar uma ele­va­ção mai­or nes­sa ta­xa se­ria pre­ci­so in­ves­tir em vá­ri­as me­di­das de adap­ta­ção. En­tre elas es­tão: pre­pa­rar o sis­te­ma de saú­de pa­ra o pro­ble­ma, ins­ta­lar mais be­be­dou­ros pú­bli­cos, edu­car a po­pu­la­ção pa­ra os ris­cos, ele­var a ren­da das po­pu­la­ções mais po­bres pa­ra per­mi­tir com­pra de apa­re­lhos de ar con­di­ci­o­na­do e cri­ar sis­te­mas de aler­ta. Ain­da as­sim, o país as­sis­ti­ria a um au­men­to mé­dio de 82% nas mor­tes re­la­ci­o­na­das a on­das de ca­lor, no ce­ná­rio pes­si­mis­ta.

Se­miá­ri­do nor­des­ti­no: a re­gião po­de­rá ser uma das áre­as mais afe­ta­das

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.