Fim das afli­ções do cor­po e da al­ma com N. Sra. da Ca­be­ça

Salmos & Anjos - - News -

C on­ta-se que Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça apa­re­ceu para um sol­da­do cha­ma­do Ju­an que ha­via per­di­do seu bra­ço du­ran­te a guer­ra. A san­ta, en­tão, pe­diu para que ele con­ver­tes­se as pes­so­as, afir­man­do que uma igre­ja de­ve­ria ser cons­truí­da pró­xi­ma ao lo­cal, um lu­gar co­nhe­ci­do co­mo Pi­co da Ca­be­ça. Ju­an, com me­do que os mo­ra­do­res não acre­di­tas­sem, pe­diu à san­ta que lhe des­se um si­nal, as­sim, o sol­da­do te­ve o seu bra­ço re­fei­to. Ele cor­reu para o po­vo­a­do e to­dos fi­ca­ram ma­ra­vi­lha­dos ao ve­rem-no com o bra­ço. O dia 1º de agos­to é de­di­ca­do a Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça. Qu­an­do es­ti­ver pas­san­do por afli­ções, con­te com a san­ta e al­can­ce gra­ças.

Pre­ce para N. Sra. da Ca­be­ça

“Salve ima­cu­la­da, rai­nha da gló­ria, Vir­gem San­tís­si­ma da ca­be­ça, em cu­jo ad­mi­rá­vel tí­tu­lo fun­dam-se nos- sas es­pe­ran­ças por ser­des rai­nha e se­nho­ra de to­das as cri­a­tu­ras. Re­fú­gio dos pe­ca­do­res, ro­gai por nós. Es­ta ja­cu­la­tó­ria, re­pe­ti­da mi­lha­res de ve­zes em to­do o uni­ver­so, so­be ao tro­no de gló­ria em que es­tais sen­ta­da e vol­ta à Ter­ra, tra­zen­do aos po­bres pe­ca­do­res tor­ren­tes de lu­zes e de gra­ças. So­cor­rei-me, pois, ó dul­cís­si­ma Se­nho­ra da Ca­be­ça. Eu vos su­pli­co com fi­li­al con­fi­an­ça, pe­los me­re­ci­men­tos das do­res que sen­tis ao ver vos­so di­vi­no Fi­lho com a ca­be­ça co­ro­a­da de es­pi­nhos, que me li­vreis, e a to­dos os meus, de qu­al­quer en­fer­mi­da­de da ca­be­ça. Ro­go-vos, tam­bém, ó Vir­gem po­de­ro­sís­si­ma da ca­be­ça, que in­ter­ce­dais jun­to ao bom Je­sus, vos­so di­le­to Fi­lho, pe­los que so­frem des­ses ma­les, a fim de que, com­ple­ta­men­te cu­ra­dos, glo­ri­fi­quem a Deus e exal­tem vos­sa ma­ter­nal bon­da­de.” (Re­ze um Pai-Nos­so, uma Ave-Ma­ria, uma Gló­ria ao Pai e uma Salve-Rai­nha, acres­cen­tan­do-se a ja­cu­la­tó­ria “Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça, ro­gai por nós”)

Ora­ção à san­ta

“Eis-me aqui, pros­tra­do aos vos­sos pés, ó Mãe do Céu e Se­nho­ra nos­sa! To­cai o meu co­ra­ção a fim que de­tes­te sem­pre o pe­ca­do e ame a vi­da aus­te­ra e cris­tã que exi­gis dos vos­sos de­vo­tos. Ten­de pi­e­da­de das mi­nhas mi­sé­ri­as es­pi­ri­tu­ais! E, ó Mãe ter­nís­si­ma, não vos es­que­çais tam­bém das mi­sé­ri­as que afli­gem o meu cor­po e en­chem de amar­gu­ra a mi­nha vi­da ter­re­na. Dai-me saú­de e for­ças para ven­cer to­das as di­fi­cul­da­des que me opõe o mun­do. Não per­mi­tais que a mi­nha po­bre ca­be­ça se­ja ator­men­ta­da por ma­les que me per­tur­bem a tran­qui­li­da­de da vi­da. Pe­los me­re­ci­men­tos de vos­so di­vi­no Fi­lho, Je­sus Cris­to, e pe­lo amor que a ele con­sa­grais, al­can­çai-me a gra­ça que ago­ra vos pe­ço (fa­ça seu pe­di­do). Aí ten­des, ó Mãe po­de­ro­sa, a mi­nha hu­mil­de sú­pli­ca. Se qui­ser­des, ela se­rá aten­di­da. Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça, ro­gai por nós.” Fon­te: Ora­ções e San­tos Po­pu­la­res, Sal­les Edi­to­ra, 2004

Pre­ce de lou­vor

“Lou­va­mos a vós, Se­nho­ra da Ca­be­ça, que nos pro­te­ge nos mo­men­tos de afli­ção e que ti­ra as do­res de nos­sas ca­be­ças qu­an­do es­tão per­tur­ban­do a nos­sa tran­qui­li­da­de. Lou­va­mos a vos­sa for­ça e o po­der do vos­so san­gue, em no­me de Je­sus. Afas­tai de nós, en­fer­mos de en­xa­que­ca, si­nu­si­te, tu­mor ma­lig­no ou benigno, ou qu­al­quer ou­tro ti­po de dor de ca­be- ça que nos afe­te, para que te­nha­mos paz na al­ma e no es­pí­ri­to. Com vos­sa sa­be­do­ria e al­ti­vez, Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça, se­ja lou­va­da to­dos os di­as e aben­ço­a­da por Je­sus Cris­to e que trans­for­me es­sas bên­çãos, em pro­mes­sas de cu­ra, ca­da vez mai­o­res. Se­nho­ra, ro­gai por nós!”

Para agra­de­cer

“Ajo­e­lho-me fren­te a ti, Se­nho­ra da Ca­be­ça, para agra­de­cer to­dos os di­as as bên­çãos que re­ce­bi em mi­nha vi­da, num mo­men­to de afli­ção, qu­an­do re­zei com fé e to­das as for­ças de mi­nha al­ma para que me im­pe­dis­se de ter ter­rí­veis do­res de ca­be­ça, as quais não me dei­xa­vam tra­ba­lhar, dor­mir, es­tu­dar, con­vi­ver em so­ci­e­da­de, cui­dar de mi­nha fa­mí­lia e ter paz em mo­men­to al­gum. Gra­ças a vós e a seu Fi­lho Je­sus Cris­to, que sa­be o quan­to é do­lo­ro­so car­re­gar uma co­roa de es­pi­nhos, pe­ço que fa­ças com que nun­ca eu per­ca a fé di­an­te de qu­al­quer pro­ble­ma de saú­de, es­pe­ci­al­men­te des­se gê­ne­ro. Obri­ga­do, mi­nha ado­ra­da e de­di­ca­da, Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça. In­ter­ce­de sem­pre por mim. Amém!”

Ora­ção dos afli­tos

“Ajo­e­lho-me fren­te a ti para agra­de­cer to­dos os di­as as bên­çãos que re­ce­bi em mi­nha vi­da, num mo­men­to de afli­ção. Pe­ço que fa­ças com que nun­ca eu per­ca a fé di­an­te de qu­al­quer pro­ble­ma de saú­de. Nos­sa Se­nho­ra da Ca­be­ça, in­ter­ce­dei por mim. Amém!”

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.