No­vi­da­des, des­co­ber­tas e curiosidades so­bre o fun­ci­o­na­men­to da men­te hu­ma­na

Segredos da Mente - - Pílulas -

Por que gri­tos des­per­tam tan­to nos­sa aten­ção?

Pa­ra res­pon­der a es­sa per­gun­ta, pes­qui­sa­do­res da Uni­ver­si­da­de de psi­co­lo­gia e neu­ro­ci­ên­cia de Nova York re­a­li­za­ram uma pes­qui­sa en­vol­ven­do ví­de­os de YouTu­be, fil­mes e 19 vo­lun­tá­ri­os. Pri­mei­ro, foi me­di­do o tom dos gri­tos. De­pois, fo­ram com­pa­ra­dos aos de uma con­ver­sa co­mum, ob­ser­van­do os vo­lu­mes e a reação das pes­so­as. Ao ana­li­sar ima­gens do cé­re­bro dos par­ti­ci­pan­tes, des­co­briu-se que os gri­tos não são in­ter­pre­ta­dos co­mo o res­tan­te dos ba­ru­lhos. Eles pas­sam pe­la área das amíg­da­las, co­nhe­ci­das co­mo o pro­ces­sa­dor de me­do do cé­re­bro. Ou se­ja, os gri­tos são con­si­de­ra­dos não ape­nas um som, mas um ga­ti­lho pa­ra a cons­ci­en­ti­za­ção, se­gun­do Da­vid Po­ep­pel, neu­ro­ci­en­tis­ta e res­pon­sá­vel do es­tu­do.

A re­la­ção en­tre cé­re­bro ado­les­cen­te e es­qui­zo­fre­nia

Uma equi­pe do de­par­ta­men­to de psi­qui­a­tria da Uni­ver­si­da­de de Cam­brid­ge, na In­gla­ter­ra, iden­ti­fi­cou as áre­as do cé­re­bro que mais se al­te­ram du­ran­te a ado­les­cên­cia. Se­gun­do a pes­qui­sa, que en­vol­veu jo­vens en­tre 14 e 24 anos, áre­as as­so­ci­a­das a pro­ces­sos de pen­sa­men­to com­ple­xo e to­ma­das de de­ci­são são as que mais so­frem al­te­ra­ções. Além dis­so, des­co­briu-se uma li­ga­ção en­tre o de­sen­vol­vi­men­to do ór­gão do ado­les­cen­te e do­en­ças co­mo es­qui­zo­fre­nia. Pa­ra com­pre­en­der a re­la­ção, ima­gi­ne o cé­re­bro co­mo uma ma­lha aé­rea glo­bal, for­ma­da por pe­que­nos ae­ro­por­tos pou­co usa­dos e gran­des cen­tros de co­ne­xão, on­de há bas­tan­te trá­fe­go. À me­di­da que o tempo pas­sa, os ae­ro­por­tos me­no­res vão au­men­tan­do e fi­can­do mais mo­vi­men­ta­dos. Uma es­tru­tu­ra pa­re­ci­da é usa­da pe­lo cé­re­bro pa­ra co­or­de­nar pen­sa­men­tos e ações — e, na ado­les­cên­cia, es­sa re­de de gran­des cen­tros é con­so­li­da­da e for­ta­le­ci­da. Ao ana­li­sar os ge­nes en­vol­vi­dos no de­sen­vol­vi­men­to des­ses cen­tros ce­re­brais, des­co­briu-se que são si­mi­la­res àque­les as­so­ci­a­dos com al­gu­mas do­en­ças men­tais, in­cluin­do a es­qui­zo­fre­nia. A des­co­ber­ta evi­den­cia que di­ver­sos dis­túr­bi­os men­tais po­dem se de­sen­vol­ver na ado­les­cên­cia. Por exem­plo, maus tra­tos, abu­sos e ne­gli­gên­cia po­dem pre­ju­di­car o de­sen­vol­vi­men­to de fun­ções ce­re­brais du­ran­te es­sa fa­se da vi­da, con­tri­buin­do pa­ra o sur­gi­men­to de fu­tu­ros pro­ble­mas men­tais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.