PAS­SO A PAS­SO PA­RA A PRODUTIVIDADE

Segredos da Mente - - Pílulas -

1 Ve­ri­fi­que quais se­rão as ati­vi­da­des do seu dia e te­nha um pla­ne­ja­men­to es­tra­té­gi­co pa­ra ge­ren­ci­ar as in­for­ma­ções, des­li­gan­do-se do que in­ter­rom­pe­ria sua ta­re­fa. 2 De­ter­mi­ne um tem­po pa­ra fa­zer a ati­vi­da­de. Por exemplo, se for es­tu­dar, es­ta­be­le­ça um ho­rá­rio e, du­ran­te o pe­río­do es­ta­be­le­ci­do, des­co­nec­te-se do smartpho­ne ou e-mail. Des­sa for­ma, vo­cê po­de evi­tar ser ví­ti­ma do vo­lu­me de in­for­ma­ções que re­ce­be­mos o dia to­do. 3 Se vo­cê não es­tá con­se­guin­do realizar uma ta­re­fa pois es­tá per­den­do o foco o tem­po to­do, ve­ri­fi­que se não es­tão fal­tan­do fer­ra­men­tas cog­ni­ti­vas que te tor­nem mais pro­du­ti­vo. 4 Evi­te dei­xar as coi­sas pa­ra de­pois. Nos­sa memória é ope­ra­ci­o­nal, é co­mo uma cai­xi­nha de ta­re­fas; en­tão, se vo­cê dei­xa pa­ra re­sol­ver mais tar­de, is­so vai pa­ra a cai­xi­nha. O acú­mu­lo de coi­sas por fa­zer pre­ju­di­ca sua con­cen­tra­ção e com­pro­me­te seu dia de tra­ba­lho. Se pu­der, é me­lhor fa­zer ime­di­a­ta­men­te su­as ta­re­fas. 5 As­sim que vo­cê des­co­briu o que mais des­via sua aten­ção, ela­bo­re es­tra­té­gi­as pa­ra que elas não atra­pa­lhem mais. Por exemplo: co­lo­que o ce­lu­lar no mo­do si­len­ci­o­so ou mes­mo des­li­gue-o por um mo­men­to. Se a con­ver­sa pa­ra­le­la da me­sa ao la­do é um pro­ble­ma, co­lo­que um fo­ne de ou­vi­do ou até mes­mo mu­de de lu­gar. 6 Evi­te pes­so­as, com­por­ta­men­tos e pen­sa­men­tos ne­ga­ti­vos. Es­se ti­po de ati­tu­de nos con­di­ci­o­na a não en­con­trar so­lu­ções, ape­nas fi­car la­men­tan­do so­bre os pro­ble­mas. 7 Es­ta­be­le­ça pe­que­nas pau­sas pa­ra des­can­sar seu cor­po e sua mente du­ran­te a ati­vi­da­de. A re­co­men­da­ção é pa­rar por 10 mi­nu­tos a ca­da 50 mi­nu­tos tra­ba­lha­dos. 8 Pro­cu­re co­nhe­cer os mé­to­dos de tra­ba­lho das pes­so­as pro­du­ti­vas. O mais im­por­tan­te é ti­rar as bo­as idei­as de ca­da um de­les, mas não ten­te co­pi­ar à ris­ca. Afi­nal, o que fun­ci­o­na pa­ra uma pes­soa po­de não ser bom pa­ra ou­tra. 9 Apro­vei­te os mo­men­tos de des­can­so pa­ra re­al­men­te re­la­xar e des­li­gar sua mente da ati­vi­da­de. Além dis­so, uma boa noi­te de so­no é es­sen­ci­al não so­men­te pa­ra re­car­re­gar as ener­gi­as, mas tam­bém pa­ra pre­pa­rar a mente pa­ra o dia se­guin­te. 10 Use aque­les mi­nu­tos “im­pro­du­ti­vos” no fi­nal do ex­pe­di­en­te de sex­ta-fei­ra ou aque­le mo­men­to de té­dio dos do­min­gos à noi­te pa­ra or­ga­ni­zar as ta­re­fas da se­ma­na. 11 Pre­pa­re-se ade­qua­da­men­te pa­ra a ati­vi­da­de. Or­ga­ni­ze to­do o ma­te­ri­al ou equi­pa­men­to que vai pre­ci­sar pa­ra que não te­nha que in­ter­rom­per o pro­ces­so. 12 Uti­li­ze aque­les mo­men­tos que não exi­gem mui­to de seu cé­re­bro, co­mo la­var a lou­ça, pa­ra or­ga­ni­zar su­as idei­as ou pla­ne­jar fu­tu­ros com­pro­mis­sos. 13 Va­lo­ri­ze o seu tem­po e o do ou­tro. Pre­pa­re-se pa­ra as ati­vi­da­des com an­te­ce­dên­cia – se é vo­cê o res­pon­sá­vel por elas, fa­ça com que se­jam ob­je­ti­va. 14 Pra­ti­que ati­vi­da­des fí­si­cas. Es­se há­bi­to me­lho­ra a dis­po­si­ção fí­si­ca e a oxi­ge­na­ção do sis­te­ma ner­vo­so, tra­zen­do re­tor­nos po­si­ti­vos ao hu­mor e à cog­ni­ção. 15 Não con­fun­da fal­ta de con­cen­tra­ção com fal­ta de in­te­res­se, mo­ti­va­ção e uma boa estratégia. Ge­ral­men­te, é is­so que es­tá mais em jogo do que o pró­prio foco em si.

Não faltam em­pe­ci­lhos pa­ra nos ti­rar a con­cen­tra­ção nos mo­men­tos im­por­tan­tes. Se­ja pe­la fal­ta de mo­ti­va­ção ou o flu­xo cons­tan­te de in­for­ma­ções pe­las re­des so­ci­ais, am­bos atra­pa­lham e com­pro­me­tem a produtividade.

CONSULTORIA So­raia Schu­tel, CEO da So­na­ta Bra­sil, em­pre­sa de educação cor­po­ra­ti­va es­pe­ci­a­li­za­da em de­sen­vol­vi­men­to de li­de­ran­ças.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.