POR OU­TRO LA­DO...

Segredos da Mente - - Pilulas -

É cer­to que a me­di­ta­ção foi di­fun­di­da co­mo uma prá­ti­ca ex­tre­ma­men­te be­né­fi­ca à saú­de, o que, con­se­quen­te­men­te, aju­dou em sua pro­pa­ga­ção. Po­rém, co­mo apon­tou um es­tu­do re­a­li­za­do por pes­qui­sa­do­res da Uni­ver­si­da­de Brown e da Uni­ver­si­da­de da Ca­li­fór­nia, am­bas nos Es­ta­dos Uni­dos, a téc­ni­ca pas­sa­da atra­vés dos sé­cu­los po­de ge­rar certos des­con­for­tos ao pra­ti­can­te. A pes­qui­sa pu­bli­ca­da na re­vis­ta ci­en­tí­fi­ca Plos

One, bus­cou re­la­tar ex­pe­ri­ên­ci­as ne­ga­ti­vas de me­di­ta­do­res que não são mui­to des­ta­ca­das po­pu­lar­men­te. Por meio de ava­li­a­ções com bu­dis­tas oci­den­tais, ex­pe­ri­en­tes nas prá­ti­cas das es­co­las bu­dis­tas te­ra­va­da e zen e tra­di­ções ti­be­ta­nas, fo­ram in­di­ca­das sen­sa­ções de­sa­gra­dá­veis em es­ta­dos me­di­ta­ti­vos:

Nyams:

o ter­mo co­nhe­ci­do das tra­di­ções ti­be­ta­nas tem um sig­ni­fi­ca­do mais abran­gen­te em re­la­ção aos efei­tos da me­di­ta­ção, co­mo fe­li­ci­da­de, tris­te­za, do­res in­ten­sas e até pa­ra­noia.

Makyo:

ca­rac­te­rís­ti­co da me­di­ta­ção zen bu­dis­ta, o no­me in­di­ca efei­tos co­la­te­rais, re­la­ta­dos co­mo sen­sa­ções per­tur­ba­do­ras en­vol­ven­do a per­cep­ção agu­ça­da al­can­ça­da du­ran­te a prá­ti­ca.

Ilu­sões:

se­gun­do o es­tu­do, o Śū­ran­ga­ma Sū­tra, es­cri­tu­ras tra­di­ci­o­nais da es­co­la bu­dis­ta ma­ai­a­na e com ca­rac­te­rís­ti­cas si­mi­la­res à te­ra­va­da, con­tém uma lis­ta de ex­pe­ri­ên­ci­as ilu­só­ri­as re­la­ci­o­na­das ao es­ta­do de con­cen­tra­ção ele­va­do. Is­so po­de le­var a pes­soa a ter uma fal­sa sen­sa­ção de be­ne­fí­ci­os men­tais e es­pi­ri­tu­ais.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.