Mãos que cu­ram

En­ten­da co­mo a ener­gia po­de fluir pe­lo cor­po atra­vés de seus de­dos

Segredos da Mente - - Pilulas - TEXTO E ENTREVISTAS LIRIAN PÁDUA DESIGN DOU­GLAS NORONHA/ COLABORADOR

Vo­cê já re­pa­rou que os pra­ti­can­tes de me­di­ta­ção, na mai­o­ria das ve­zes, fi­cam com as mãos po­si­ci­o­na­das de uma for­ma di­fe­ren­te do ha­bi­tu­al? O que se­rá que sig­ni­fi­ca a união do po­le­gar com o de­do in­di­ca­dor? A res­pos­ta es­tá em uma pa­la­vra tam­bém pou­co co­mum: mu­dra. Os mu­dras são con­tra­ções e ges­tos re­a­li­za­dos com to­do o cor­po, po­rém, os mais co­nhe­ci­dos e fá­ceis são com as mãos. “Eles nos sin­to­ni­zam com a ener­gia de cu­ra uni­ver­sal, com a pu­ra po­ten­ci­a­li­da­de dis­po­ní­vel pa­ra qual­quer pes­soa”, afir­ma a pro­fes­so­ra de io­ga Thais Joy.

Os mu­dras são co­nhe­ci­dos no ori­en­te há mi­lha­res de anos, por is­so, a ayur­ve­da – me­di­ci­na mi­le­nar in­di­a­na – uti­li­za es­ses ges­tos co­mo fer­ra­men­tas po­de­ro­sas pa­ra a saú­de. As mãos, po­si­ci­o­na­das em mu­dras, atu­am co­mo pe­que­nas an­te­nas que ca­na­li­zam ener­gia, aju­dan­do no tra­ta­men­to, cu­ra e ame­ni­za­ção dos so­fri­men­tos tan­to no cor­po físico qu­an­to em ques­tões emo­ci­o­nais.

De acor­do com Thais, as­sim co­mo os ása­nas – pos­tu­ras de io­ga – há in­fi­ni­tas pos­si­bi­li­da­des de exe­cu­ções e de va­ri­a­ções dos mu­dras. “Po­rém, se­gun­do os es­cri­tos da tra­di­ção io­gue Ghe­ran­da Samhi­ta, exis­tem vin­te e cin­co ti­pos. A prá­ti­ca pro­por­ci­o­na o triun­fo ao io­gue”.

Ca­da mu­dra tem uma fun­ção di­fe­ren­te. Al­gu­mas po­si­ções evi­tam a insô­nia, re­du­zem a fa­di­ga, re­vi­ta­li­zam o sis­te­ma di­ges­ti­vo, en­quan­to ou­tras au­xi­li­am na to­ma­da de de­ci­sões ou au­men­tam a mo­ti­va­ção, por exem­plo. Ou­tro pon­to in­te­res­san­te é que, mes­mo fa­zen­do po­si­ci­o­na­men­tos idên­ti­cos dos de­dos e das pal­mas das mãos, uma pes­soa po­de ter re­a­ções di­fe­ren­tes da ou­tra. “Ca­da de­do car­re­ga uma ener­gia es­pe­cí­fi­ca e, quan­do com­bi­na­da, har­mo­ni­za em uma di­re­ção. Além dis­so, so­ma­mos aos ges­tos de po­der a re­cep­ti­vi­da­de, con­cen­tra­ção e de­di­ca­ção de ca­da in­di­ví­duo, que é úni­ca”.

A se­guir, apren­da a fa­zer al­guns ges­tos de mu­dras:

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.