30 Na es­tan­te

Li­vros que abor­dam al­guns dos te­mas tra­ta­dos nes­ta edi­ção

Segredos da Mente - - Editorial - TEX­TO JULIANA BORGES

TRAU­MA E SU­PE­RA­ÇÃO - O QUE A PSICOLOGIA , A NEU­RO­CI­ÊN­CIA E A ESPIRITUALIDADE ENSINAM AU­TOR: Ju­lio Pe­res EDI­TO­RA: Ro­ca

Ju­lio Pe­res, au­tor do li­vro, é psi­có­lo­go clí­ni­co e dou­tor em neu­ro­ci­ên­ci­as e com­por­ta­men­to. Nes­sa obra, ele reú­ne da­dos ci­en­tí­fi­cos so­bre o trau­ma psi­co­ló­gi­co e en­si­na aos lei­to­res o que po­de ser fei­to, na prá­ti­ca, pa­ra evi­tar a ca­rac­te­ri­za­ção do trau­ma, as­sim co­mo as es­tra­té­gi­as de su­pe­ra­ção que au­xi­li­am na me­lho­ra da qua­li­da­de de vi­da. Ba­se­an­do-se na psi­co­te­ra­pia vol­ta­da di­re­ta­men­te ao pa­ci­en­te, o tex­to traz exem­plos de pes­so­as que cres­ce­ram e se de­sen­vol­ve­ram com ba­se nos apren­di­za­dos ad­qui­ri­dos em su­as ex­pe­ri­ên­ci­as do­lo­ro­sas, além de no­vos ca­mi­nhos pa­ra a com­pre­en­são, o tra­ta­men­to e a pre­ven­ção do trau­ma psi­co­ló­gi­co.

O DESPERTAR DO TIGRE - CURANDO O TRAU­MA AU­TOR: Pe­ter A. Le­vi­ne EDI­TO­RA: Sum­mus

O au­tor par­te da pre­mis­sa de que o ser hu­ma­no pos­sui um po­der ins­tin­ti­vo de cu­ra, as­sim co­mo a ca­pa­ci­da­de in­te­lec­tu­al de cul­ti­vá-lo. A par­tir dis­so, faz uma re­la­ção en­tre a di­nâ­mi­ca que tor­na os ani­mais sel­va­gens vir­tu­al­men­te imu­nes a sin­to­mas trau­má­ti­cos e o mis­té­rio do trau­ma hu­ma­no. O li­vro sis­te­ma­ti­za o es­tu­do do trau­ma, su­as ma­ni­fes­ta­ções e ofe­re­ce ao lei­tor exer­cí­ci­os pa­ra a to­ma­da de cons­ci­ên­cia e cu­ra.

ME­DOS, FO­BI­AS E P­NI­CO - APRENDA A LI­DAR COM ES­TAS EMO­ÇÕES AU­TOR: Lour­des Pos­sa­to EDI­TO­RA: Lu­men Edi­to­ri­al

Do que vo­cê tem me­do? Me­do de vi­ver? Me­do de mor­rer? Me­do de do­en­ças? Do es­cu­ro, de água, de al­tu­ra, de in­se­tos, de ani­mais, de per­das ma­te­ri­ais, de per­der pes­so­as que­ri­das? Nes­ta obra, a au­to­ra ex­pli­ca que acei­tar, en­ten­der e con­fron­tar os me­dos é uma ma­nei­ra de au­to­co­nhe­ci­men­to, e que o me­do não vai em­bo­ra so­zi­nho, a me­nos que se com­pre­en­da por­que de­ter­mi­na­das ati­tu­des são con­ser­va­das por nós. Por ou­tro la­do, ela tam­bém de­mons­tra que o me­do é um me­ca­nis­mo de pre­ser­va­ção da vi­da, que nos faz to­mar cui­da­do e ob­ser­var me­lhor al­gu­mas ques­tões.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.