O que o se­xo opos­to po­de nos en­si­nar

Sport Life - - EDITORIAL - Vanessa de Sá Edi­to­ra-che­fe vanessa.fer­nan­des@as­tral.com.br

Que po­de­mos, e de­ve­mos, até, apren­der com o se­xo opos­to, não se dis­cu­te. Mas que ho­mens têm mui­to a en­si­nar às mu­lhe­res na cor­ri­da, e elas a eles, tal­vez se­ja no­vi­da­de pa­ra mui­ta gen­te. Vo­cê sa­bia, por exem­plo, que os ra­pa­zes são mais apres­sa­di­nhos na lar­ga­da e mui­tas ve­zes não con­se­guem sus­ten­tar es­se rit­mo em pro­vas mais lon­gas? Se eles têm a for­ça, elas têm a ca­be­ça mais tra­ba­lha­da. Diz a trei­na­do­ra in­gle­sa Lau­ra Foun­tain: “Mu­lhe­res sa­bem me­lhor quan­do ser com­pe­ti­ti­vas e quan­do cor­rer mais nu­ma boa. Afi­nal, nem to­da pro­va é pra ser uma com­pe­ti­ção pro­pri­a­men­te di­ta”. A nos­sa co­la­bo­ra­do­ra Ma­ri­na Go­mes ou­viu téc­ni­cos e um ca­sal mui­to es­pe­ci­al, que tam­bém ilus­tra a nos­sa ca­pa (Mar­ce­lo Ta­dao, di­re­tor téc­ni­co da assessoria es­por­ti­va ca­ri­o­ca Rio Saú­de, e a mu­lher, a pro­fes­so­ra de edu­ca­ção fí­si­ca Mô­ni­ca Pe­ça­nha), so­bre o que po­de­mos en­si­nar e apren­der com eles (no ca­so das cor­re­do­ras) e com elas (no ca­so dos atle­tas). A re­por­ta­gem é su­pe­rins­tru­ti­va e uma de­lí­cia. Boa lei­tu­ra! Di­vir­ta-se!

O que os cor­re­do­res po­dem apren­der com as cor­re­do­ras? E o que eles po­dem en­si­nar a elas?

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.