Dos­siê do CrossFit

É mui­to di­fí­cil en­con­trar al­guém que nun­ca te­nha ou­vi­do fa­lar so­bre a mo­da­li­da­de do mo­men­to. Afi­nal, o CrossFit pro­põe uma trans­for­ma­ção rá­pi­da do cor­po. Por is­so, jun­ta­mos uma equi­pe de pro­fis­si­o­nais pa­ra nos aju­dar a res­pon­der as dú­vi­das mais co­muns sob

Sport Life - - CROSSFIT - por THAIS SZEGÖ

Ahis­tó­ria do CrossFit co­me­ça com uma ce­na tris­te: ain­da cri­an­ça, o ame­ri­ca­no Greg Glas­s­man te­ve po­li­o­mi­e­li­te. Mas, em vez de se en­tre­gar, re­sol­veu lan­çar mão da gi­nás­ti­ca pa­ra re­cu­pe­rar a for­ça do seu cor­po. Du­ran­te a vi­da, ele pas­sou por di­ver­sas aca­de­mi­as, mas em ne­nhu­ma en­con­trou um ti­po de ati­vi­da­de que o sa­tis­fi­zes­se to­tal­men­te. Por es­sa ra­zão, em me­a­dos dos anos 1990, ele re­sol­veu de­sen- vol­ver um mé­to­do pró­prio, com­bi­nan­do hal­te­res, bar­ras, ket­tle

bells e o pe­so do cor­po, e no ano 2000 o ba­ti­zou de CrossFit. O su­ces­so foi tan­to que Glas­s­man se tor­nou um gi­nas­ta pro­fis­si­o­nal e a sua me­to­do­lo­gia po­de ser con­si­de­ra­da um fenô­me­no do mun­do fit­ness, já atu­al­men­te exis­tem mi­lha­res de aca­de­mi­as es­pa­lha­das pe­lo mun­do to­do e uma le­gião de adep­tos. Ape­sar de tan­to su­ces­so, mui­ta gen­te não co­nhe­ce a mo­da­li­da­de a fun­do e acre­di­ta que ela se­ja des­ti­na­da ape­nas aos “ra­tos” da ma­lha­ção, pen­san­do que quem não tem um pre­pa­ro ex­tre­ma­men­te bom não tem con­di­ções de en­ca­rar uma au­la. Le­do en­ga­no! Pa­ra aca­bar de vez com es­ses e ou­tros con­cei­tos er­ra­dos, es­cla­re­ce­mos as dú­vi­das mais co­muns so­bre o te­ma. De­pois de ler es­se tex­to, vo­cê pro­va­vel­men­te vai se per­gun­tar por­que não ex­pe­ri­men­tou um treino an­tes.

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.