SUBIDA NA ES­TEI­RA

As le­sões que mais aco­me­tem os jo­e­lhos, umas das áre­as mais vul­ne­rá­veis do pra­ti­can­te de cor­ri­da e ou­tros es­por­tes

Sport Life - - NESTA EDIÇÃO - Fel­li­pe Sa­vi­o­li

Tá frio? Vá de 3 trei­nos pa­ra man­ter e ga­nhar con­di­ci­o­na­men­to

Con­dro­ma­lá­cia – de gran­de pre­va­lên­cia na po­pu­la­ção, es­pe­ci­al­men­te em ado­les­cen­tes do se­xo fe­mi­ni­no, ela se re­fe­re a uma le­são me­câ­ni­ca da car­ti­la­gem. Nor­mal­men­te es­tá re­la­ci­o­na­da ao mau ali­nha­men­to do me­ca­nis­mo ex­ten­sor (ten­dões do qua­drí­ceps-pa­te­la-ten­dão pa­te­lar). É pre­ci­so in­ves­ti­gar o pa­ci­en­te, pois mui­tas ve­zes o pro­ble­ma po­de es­tar re­la­ci­o­na­do aos pés de per­fil pla­no ou no qua­dril (fra­que­za do glú­teo mé­dio). O prin­ci­pal me­ca­nis­mo de le­são é quan­do a pes­soa me­di­a­li­za o jo­e­lho (po­si­ção em for­ma de “X”), dei­xan­do uma pe­que­na área da pa­te­la (os­so re­don­do lo­ca­li­za­do na par­te fron­tal do jo­e­lho) apoi­a­da no tró­clea (on­de a pa­te­la fi­ca apoi­a­da), cau­san­do al­ta so­bre­car­ga, dan­do iní­cio à le­são. Es­sa me­di­a­li­za­ção do jo­e­lho tam­bém po­de ocor­rer em pes­so­as de jo­e­lho ar­que­a­do. Ge­ral­men­te, ses­sões de fi­si­o­te­ra­pia são o su­fi­ci­en­te pa­ra me­lho­rar o qua­dro.

Ar­tro­se – é uma le­são da car­ti­la­gem da pa­te­la, po­rém de ori­gem de­ge­ne­ra­ti­va (en­ve­lhe­ci­men­to da car­ti­la­gem) ou trau­má­ti­ca, por meio de fra­tu­ra. Atle­tas que re­a­li­za­ram ati­vi­da­des es­por­ti­vas de al­ta in­ten­si­da­de e por mui­to tem­po ten­dem a de­sen­vol­ver a cha­ma­da “ar­tro­se pre­co­ce”, de­vi­do ao ex­ces­so de uso. Am­bas cau­sam dor e in­ca­pa­ci­da­de, mas po­dem ser tra­ta­das com me­di­ca­ções, fi­si­o­te­ra­pia, in­fil­tra­ções e pro­ce­di­men­tos ci­rúr­gi­cos mais in­va­si­vos. Le­são do li­ga­men­to cru- za­do an­te­ri­or – ge­ral­men­te oca­si­o­na­da pe­la tor­ção do jo­e­lho. O li­ga­men­to cru­za­do an­te­ri­or tem pou­ca ca­pa­ci­da­de de ci­ca­tri­za­ção e, por­tan­to, di­fi­cil­men­te re­cu­pe­ra sua an­ti­ga for­ma. Po­rém, nem to­das as le­sões são ci­rúr­gi­cas: é pos­sí­vel que o atle­ta te­nha uma le­são par­ci­al do li­ga­men­to, a qual não cau­sa ne­nhum ti­po de ins­ta­bi­li­da­de do jo­e­lho, po­den­do re­a­li­zar ati­vi­da­des fí­si­cas sem li­mi­ta­ções. Po­rém, quan­do é ne­ces­sá­ria a ci­rur­gia, o pa­ci­en­te de­ve fi­car afas­ta­do de trei­nos e com­pe­ti­ções por 6 me­ses.

Jo­e­lho do cor­re­dor – exis­te uma es­tru­tu­ra na re­gião la­te­ral da co­xa e jo­e­lho cha­ma­da de ban­da ili­o­ti­bi­al. Quan­do vo­cê cor­re, ela se mo­vi­men­ta pa­ra a fren­te e pa­ra trás. As pes­so­as que pos­su­em jo­e­lhos mais ar­que­a­dos (o opos­to do jo­e­lho em “X”), fa­zem com que uma re­gião do fê­mur – o epicôn­di­lo – fique mais pro­tu­be­ran­te. Com a prá­ti­ca da cor­ri­da, es­se epicôn­di­lo en­tra em atri­to com a ban­da ili­o­ti­bi­al, le­si­o­nan­do es­sa re­gião. Tra­ta­men­tos con­ser­va­do­res, prin­ci­pal­men­te a fi­si­o­te­ra­pia, cos­tu­mam ge­rar bons re­sul­ta­dos.

Fel­li­pe Sa­vi­o­li é es­pe­ci­a­lis­ta em Me­di­ci­na Es­por­ti­va, nu­tró­lo­go e or­to­pe­dis­ta

Newspapers in Portuguese

Newspapers from Brazil

© PressReader. All rights reserved.